28 de junho de 2011

Relaxar no silêncio...



A maior preciosidade da vida é o relaxamento no próprio Ser.

Muitas voltas, muitos desejos, sonhos, buscas, não se comparam a doce e simples sensação de estar totalmente em casa, quando se está em si mesmo.

No mais ínfimo instante, a eternidade é tocada.
No mais profundo silêncio, a música suprema acontece.
Na profunda paz sem motivo, a realidade divina acontece.

No relaxamento em si as sombras desaparecem,
Aqueles caminhos diversos, que pegamos tantas vezes simplesmente se transformam em um não-caminho,
Aquelas falas tão convincentes, se transformam em além-da-palavra, além do que quer que seja.
Aquelas memórias tão importantes, se afastam simplesmente, e relaxamos no céu azul sem horizonte.

Aqui falta não há
Aqui há a plenitude simplesmente
Aqui tudo se transforma em pura luz, puro amor.

Uma morada tão vasta tão luminosa
Que todos são convidados a participar,
Todos são convidados e amados sem medida,
Os contornos se dissolvem naturalmente,
E onde haviam muitos, diferenças, agora há apenas o Ser-unidade.

O ego-anfitrião não mais está.
Mas a festa silenciosa continua, é Verbo..
Festejar,
Celebrar,
Viver,
Agradecer,
Amar,
Em plena PAZ...
~ Amidha Prem~

2 comentários:

  1. Ola Lilian,
    Quanto relaxamento, que lindo!
    E faz muito bem mesmo.
    Estou na pagina 412, do livro Eu sou aquilo, e sinto a graca desse livro em minhas maos, tenho aprendido tanto com ele, tantas respostas estou encontrando nele, nao e por acaso que a primeira vez que abri o livro para ler tive um tipo de uma visao, que na hora nao entendi, mais hoje entendo.
    Apesar de tudo que tenho aprendido, sinto interiormente um apelo por silencio,
    quietude, parece um chamado interno para o nao fazer total, apenas ser. Ja sentiu isso tao forte?

    Paz e Luz!
    Desculpa pela escrita, apanhando do teclado do ipad rs

    ResponderExcluir
  2. Oi Sissi!! Que lindo seu depoimento...
    O chamado do silêncio acontece mesmo, e nos toma por completo, até que a ele cedemos e só então reconhecemos que ele sempre esteve em nós e nós nele, só que havia uma barreira fantasiosa, falante que "aparentava" nos separar...

    Os mestres como Nisargadatta, Ramana, Ramesh, Osho, Krishnamurti, são o próprio silêncio vivo, e tudo que ensinam brotam deste silêncio vasto e da paz interior, daí que em nós acontece uma ressonância e acabamos mergulhados na mesma luz, a unidade ressona em si mesma...
    Obrigada por compartilhar e por sua luz..
    Namaste :)

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails