17 de junho de 2011

O Samurai e o mestre Zen...


Certo dia um Samurai, que era um guerreiro muito orgulhoso, veio ver um Mestre Zen.
Embora fosse muito famoso, belo e habilidoso, ao olhar o Mestre, o Samurai sentiu-se repentinamente inferior.

Ele então disse ao Mestre:- "Por que estou me sentindo inferior? Apenas um momento atrás, tudo estava bem. Quando aqui entrei, subitamente me senti inferior e jamais me sentira assim antes. Encarei a morte muitas vezes, mas nunca experimentei medo algum. Por que estou me sentindo assustado agora?"

O Mestre falou:- "Espere. Quando todos tiverem partido, responderei.

Durante todo o dia, pessoas chegavam para ver o Mestre, e o Samurai estava ficando mais e mais cansado de esperar.

Ao anoitecer, quando o quarto estava vazio, o Samurai perguntou novamente:

- "Agora o senhor pode me responder por que me sinto inferior?"O Mestre o levou para fora. Era uma noite de lua cheia e a lua estava justamente surgindo no horizonte.

Ele disse:- "Olhe para estas duas árvores: a árvore alta e a árvore pequena ao seu lado. Ambas estiveram juntas ao lado de minha janela durante anos e nunca houve problema algum. A árvore menor jamais disse à maior: 'Por que me sinto inferior diante de você?' Esta árvore é pequena e aquela é grande - este é o fato, e nunca ouvi sussurro algum sobre isso."

O Samurai então argumentou:- "Isto se dá porque elas não podem se comparar."

E o Mestre replicou:- "Então não precisa me perguntar. Você sabe a resposta. Quando você não compara, toda a inferioridade e superioridade desaparecem. Você é o que é e simplesmente existe. Um pequeno arbusto ou uma grande e alta árvore, não importa, você é você mesmo. Uma folhinha da relva é tão necessária quanto a maior das estrelas.
O canto de um pássaro é tão necessário quanto qualquer Buda, pois o mundo será menos rico se este canto desaparecer."Simplesmente olhe à sua volta. Tudo é necessário e tudo se encaixa.
É uma unidade orgânica: ninguém é mais alto ou mais baixo, ninguém é superior ou inferior. Cada um é incomparavelmente único.
Você é necessário e basta. Na Natureza, tamanho não é diferença.
Tudo é expressão igual de vida!"
Conto Zen

Neste conto vemos como que só a mente é capaz de comparar. Na existência cada ser, cada coisa está absolutamente incluída, presente e integrada ao Todo.
Todos os julgamentos, classificações, comparações advém da mente, que "tenta" dividir, comparar e com isso criar mesmo que de forma fictícia uma hierarquia, colocando aspectos que são considerados "melhores" em detrimento dos que são considerados "piores".

Mas o mais importante é observar que toda e qualquer comparação nasce do pequeno pensamento de "eu". São observações, pontos de vista, vistos a partir de um ponto, ou seja, são projeções do pequeno ponto do "eu" (ego).

Quando ampliada a consciência, percebe-se que até mesmo estes pontos de vista são ilusões, são criações imaginárias de "quem" vê.
Não existem na realidade. A existência sempre foi Total, permanece Total, e vai continuar Total, apesar de todas as divisões, classificações e julgamentos que possamos ilusóriamente projetar nela.

A unidade orgânica da existência permanece incomparável e única.
Tudo é expressão igual de vida.
Nenhuma mente pode sequer "tocar" nisso...
Amor
Lilian

2 comentários:

  1. Que engraçado ao procurar uma imagem para exatamente o mesmo texto encontrei-te e ficarei por cá e seguirei-a.Deixo um pouco de: po-magico.blogspot.com
    Apareça, será um prazer :)
    Um beijo de luz!
    FA.

    ResponderExcluir
  2. Beijos querida, seja bem vinda!! Vou te visitar sim, ok? Namaste :)

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails