21 de junho de 2011

O Único desejo...


Muito se fala sobre desejo, busca, aquilo que queremos para nos sentirmos realizados, felizes...
Mas o que ninguém percebe é qual é a verdadeira causa do desejo? Ou melhor, o que o desejo realmente significa em nossas vidas? Vocês já se questionaram sobre isso?

Desde pequenos lidamos com o desejo, ele passa a ser tão comum, tão presente em nossas vidas, e passamos a vida inteira lidando com o desejo sem sequer compreender o que ele significa.

A necessidade é diferente do desejo, pois a necessidade está relacionada as questões de sobrevivência, como comida, água, sono. Está associadas ao equilíbrio e bem estar do corpo.

Já o desejo é algo mais, é algo criado pela mente, pelo pensamento, com a intenção de trazer prazer, felicidade, realização, porém, se estamos buscando algo que irá nos trazer prazer, realização, felicidade, supõem-se que não estamos de fato felizes nem realizados, aqui e agora não é? Pois se precisamos de algo, ou acreditamos quando realizarmos nosso desejo estaremos felizes...significa que a felicidade ainda está por vir, não está presente...

Por isso é importante refletirmos sobre o único desejo. Sim, digo único porque, só existe um mesmo, e não está ligado a possuir nada, nem está ligado a nenhuma pessoa, nem lugar, nem nada.
O único desejo, é desejo de se sentir inteiro novamente.
O desejo de ser feliz para sempre, a auto-realização.
Viver a cada momento, indefinidamente mergulhado na paz profunda, na plenitude, na felicidade incondicionada. Esse é o único desejo.
Todos os outros desejos que vamos tendo ao longo de nossas vidas, não passam de disfarces desse único e verdadeiro desejo. O desejo de voltar para casa, o desejo de recuperarmos nossa inteireza, nossa plenitude, aquele sentimento em que já não falta nada, tudo está absolutamente perfeito como está, e somos parte integrante de um todo perfeito, absoluto.

Essa consciência está além de qualquer desejo que conhecemos. É retornar à nossa fonte original, descobrindo quem somos nós em verdade.

Quando nos deixamos iludir pela mente, ficamos a merce dos pensamentos, dos conceitos, e perdemos de vista a totalidade da consciência auto-realizada. Com isso, acabamos por nos deixarmos levar pelo pensamento da falta, pelo pensamento do sonho, de que quando alcançarmos, ou conquistarmos tal coisa, ou alguém, ou algum cargo, enfim, isso nos trará o sentimento de realização, de felicidade. Só que ainda estamos condicionando a felicidade a algo, ainda não saímos da mente condicionada, apenas estamos trocando os desejos, mas ainda estamos iludidos por não termos ainda mergulhado na consciência além da mente, na consciência que não deseja, pois é auto-realizada, é plena em si mesma.

Para muitos, a realização dos desejos é a única solução para se sair deles. Mas eu pergunto, isso é possível? Realizar todos os desejos?
Não será o desejo apenas uma indicação de que ainda estamos andando em círculos, e tentando alcançar a felicidade, a plenitude, em algo que é temporário? em algo que é efêmero?

Em cada pessoa existe o desejo de ser feliz, Não conheço sequer uma pessoa que não tenha esse desejo em seu coração.
E para realizar esse desejo, fazem mil coisas, buscam em tantos lugares, e em nenhum lugar a realização é plena, absoluta, permanente, por melhor que seja, a felicidade passa, ela não permanece luminosa e clara por muito tempo.

O que os mestres do oriente nos apontam é justamente como se alcançar a felicidade duradora, é isso que o único desejo significa, felicidade sem fim, eterna.
Só pode ser eterna, se for incondicionada, ou seja, a felicidade, a auto-realização não está associada a nada, nem a ninguém, nem a nenhum objeto, pessoa, lugar, valor, nada.
A verdadeira felicidade acontece dentro, quando conhecemos nossa natureza verdadeira, quando saímos das "faltas" da mente, e repousamos na plenitude do Ser.

Na verdade sempre fomos o Ser, somos o Ser, e do Ser nunca saímos...
Apenas nos deixamos enganar pela mente, que cria dia apos dia, ano apos ano, o pensamento de desejo, que precisamos de algo para sermos felizes. Esse pensamento que nos engana é que realmente nos ilude, e "cria" uma falta em nós, onde verdadeiramente nunca existiu nenhuma falta.

A realização não vem de fora. Nem é algo a se atingir um dia. A realização, a felicidade verdadeira está além do desejo, é nossa natureza original, nossa fonte, nosso Ser.
A natureza vive em estado de felicidade. Os animais, as plantas vivem em eterna e absoluta felicidade auto-realizada. Só o homem cria sua própria falta, sua própria infelicidade.
Quando paramos para refletir sobre o desejo, vemos que somos nós que criamos a falta, para depois ir buscar a realização.
Nunca houve a falta de verdade. O que havia era o pensamento da falta. Mas se identificamos isso, vemos que é perfeitamente possível ser feliz, e realizado já aqui neste momento, basta apenas que identifiquemos o pensamento da falta, do desejo que nossa mente cria, e ir além dele, não se deixar mais enganar por ele.

Todo desejo criado, é uma maneira de realizar que não existe a falta, isto é, todo desejo é um mecanismo de se ir além da mente, além do pensamento da falta, além daquele que deseja.

Todo desejo é apenas uma estratégia de se chegar aonde nunca se saiu, ou seja, chegar na consciência plena, auto-realizada e incondicionada que nós somos em verdade aqui e agora, e que nunca precisou de nada, nem nunca precisará de nada para se realizar, pois é a Totalidade, Absoluta, é a própria Realização.

Esta paz perene, e eterna felicidade acontece naturalmente simplesmente mergulhado no Ser. Não é condicionada, não é temporária, não nos remete a nada, é plena em si mesma, é um transbordamento tão profundo, é a própria fonte de água pura. Não existe mais sede...
Amor
Lilian

3 comentários:

Related Posts with Thumbnails