31 de julho de 2010

Paz...


Hoje queria falar de Paz.
Momentos de sublime beleza enchem nossos olhos, e nossa alma,
Não fazem barulho, nem alarde,
Simplesmente acontecem, sem pedir licença,
Apenas acontecem, se estamos presentes,
Se estamos ali, naquele momento,
Centrados no coração,
E não fora...
A beleza da natureza, da manifestação é tão inebriante,
Que muitas vezes nos tira o fôlego, e nos arrebata,
Em sentimentos tão profundos, tão impressionantes, tão únicos,
E ao mesmo tempo, tão simples,
Tão intensamente simples, infinitamente rápidos,
Mas absolutamente belos e perfeitos...
A paz é assim.
Já é nossa natureza profunda, silenciosa, imóvel, plena, abundante na sua majestade,
E assim, nessa vacuidade plena, se manifesta sempre em êxtase, exuberante, radiante...
Não tem como definir, é indefinível,
Mas tem como ser compartilhada,
Essa é a beleza daqueles que habitam a mesma paisagem,
Que partilham do mesmo clima, do mesmo ambiente...
Vivem na unicidade do instante apenas,
E nele se realizam, seja o que for...
A paz é assim.
Não é algo que chegue, que venha a ser,
Já é.
Desde sempre, já é.
É a nossa verdadeira face, nosso nome,
Sem limites, sem formas, sem nem palavras que consigam definir,
Apenas usufruir,
Beber, e saborear esses eternos,
Luminosos,
Harmoniosos,
Divinos e absolutamente plenos,
Momentos de Paz...
Amor
Lilian

30 de julho de 2010

Sonho acabado...


Tu tens um medo:
De acabar.
Não vês que acabas todo o dia.
Que morres no amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que te renovas todo o dia.
No amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que és sempre outro.
Que és sempre o mesmo.
Que morrerás por idades imensas.
Até não teres medo de morrer.
E então serás eterno.
Cecilia Meireles

29 de julho de 2010

Deus acontece...


"Pessoas vem a mim e me dizem que querem amar, mas hesitam; querem meditar, mas hesitam; gostariam de dançar, mas hesitam;

Se essas hesitações estiverem presentes, você estará perdendo toda a sua vida. Ainda é tempo, abandone isso agora! Basta tornar-se consciente de que é apenas uma maneira que foi criada em você, e isso é tudo.

Conscientemente isso pode ser abandonado; isso não é a sua natureza. Isso está apenas no seu cérebro, é apenas uma ideia que foi forçada em você. Isso se tornou um hábito - um hábito muito perigoso. Se você não puder desfrutar a vida, para quê ela serve afinal?

E essas pessoas não podem desfrutar nada -amor, vida, comida, uma cena bela, um por-do-sol, uma manhã, roupas bonitas, um bom banho, coisas simples - se você não pode usufruir dessas coisas, e existem pessoas que não usufruem de nada, então elas se tornam interessadas em Deus.

Essas são as pessoas mais impossíveis. Eles nunca podem chegar a Deus.
Deus ama essas árvores, do contrário porque Ele iria criá-las?
Ele nunca fica farto, nunca! Por milênios Ele esteve trabalhando nas árvores, nas flores, nos pássaros, e ele continua ouvindo. Ele continua substituindo: novas espécies, novas terras, novos planetas. Ele é realmente muito, muito criativo.

Olhe a vida, observe-a, e o que você vê é o coração de Deus, é isso que ela é. (...)
Deus é a realização da vida. Deus é a fragrância da vida.
Deus é a unidade orgânica da vida. Deus não é algo que existe como uma pedra morta.
Deus é um fenômeno dinâmico. Deus não existe, Ele acontece.

Quando você está pronto, Ele acontece. Não pense que Deus existe em algum lugar, e você vai encontrar o caminho para alcança-Lo. Não existe lugar algum, e não existe Deus te esperando em algum lugar.

Deus acontece a você quando você está pronto. Quando toda tristeza desaparece, e você pode dançar, quando todo peso, toda opressão desaparece e você pode cantar, quando todos os condicionamentos não estão mais no seu coração e você pode fluir - Deus acontece.
Deus não é uma coisa que existe. Ele acontece. É uma unidade orgânica, dinâmica.

Quando Deus acontece, tudo acontece: as árvores, as estrelas, os rios. E a capacidade de usufruir tudo isso, é a porta.
Pessoas sérias nunca sabem quando o alcançam. Seriedade é a barreira - a atitude errada. Tudo que te torna sério, é anti-religioso."
Osho em Come Follow Me

28 de julho de 2010

Iluminação...


"Iluminação é a maior brincadeira que existe.
Você está tendando buscar o que já é.
Está tentando evitar o que não é.
E esse esforço é ridículo!

Você é Iluminado desde o começo.
Iluminação é a sua natureza.
Iluminação não é algo que precise ser obtido.
Ela não é uma meta.

Ela é sua fonte.
Ela é sua própria energia."
Osho

Todos os 'defeitos', 'pecados', 'erros', tudo que nos torna 'menos merecedores', vem da mente...
Não existem de fato.
São criações mentais, baseadas em comparações...
A existência É..absolutamente plena e auto-realizada em Si mesma...mesmo que nossa mente não aceite, não compreenda certas coisas...a existência É assim mesmo...

Tudo incluido, tudo perfeito, tudo absolutamente, milimétricamente, infinitamente perfeito....

Toda chamada 'imperfeição' vem da mente, de pensamentos que supostamente imaginam algo além, algo mais assim, ou mais assado...só que isso que a mente imagina não existe...ou melhor existe apenas nela mesma...ou seja em nada, em lugar nenhum!

Cada vez que caimos nessa 'armadilha' da mente, da negação da nossa real natureza, trazemos mais e mais conflito, esforço, confusão, sofrimento, a nossa vida...
Assumirmos a nossa verdadeira natureza é sair fora dessa 'irrealidade mental' e ancorarmos na nossa consciência luminosa e tranquila...que É, que Flui, que tudo Sabe...e relaxar em Si mesma...

A beleza da Existência, de Deus, da Pura Presença, do Absoluto é exatamente essa...
Tudo incluído, tudo pronto, tudo perfeito como está...
E o que somos agora, é o que somos sempre...
Existência/Consciência que simplesmente manifesta e experimenta a Si mesma... aqui e agora...
Amor
Lilian

27 de julho de 2010

Deixe acontecer...


"O céu é puro, o mais puro que há na existência.
Nada o faz impuro.
Os mundos vêm e vão, há Terras e logo desaparecem, e o céu permanece puro.
A pureza existe.

Não precisa projetá-la; simplesmente tem que senti-la -ser vulnerável a ela para poder senti la-e a claridade está aí.
Deixa que o céu te aconteça.
Não pode forçá-lo; só pode permitir que aconteça.

Todas as meditações são realmente permitir que algo aconteça.
Nunca pense do ponto de vista da agressão, nunca pense em função de forçar algo.
Não pode forçar nada.
Em realidade, criaste toda a desdita porque estiveste tratando de forçar.
Não se pode forçar nada, mas pode deixar que aconteçam as coisas.

Seja feminino.
Deixa que aconteçam as coisas.
Seja passivo.

O céu é absolutamente passivo: não faz nada absolutamente, tão somente permanece aí. Simplesmente seja passivo e permanece sob o céu -vulnerável, aberto, feminino, sem nenhuma agressão por sua parte -e então o céu se revelará a ti.
Osho em Todos os dias

26 de julho de 2010

Crack the Code...

Não-identificação...


"Não rejeite a mente — entenda-a.
Quando entende algo, você vai além disso — isso fica abaixo de você.
A mente tem sua utilidade —uma grande utilidade. Não existiriam qualquer ciência sem a mente, qualquer tecnologia.
Todos os confortos do ser humano desapareceriam sem a mente humana.
O homem regrediria para o mundo dos animais ou até para um mundo ainda mais inferior.
A mente nos deu muito. O problema não é a mente.
O problema é a sua identificação com ela.

Você acha que você é a mente — aí está o problema.
Pare de se identificar com a mente. Seja o observador e deixe-a funcionar — sob sua vigilância, seu testemunho, sua observação. Uma diferença radical ocorre por meio da observação.

A mente funciona com muito mais eficácia quando você a observa, porque todo o lixo é
descartado e ela não precisa carregar um peso desnecessário — fica leve.
E quando você se torna um observador, a mente também pode ter algum descanso.
Do contrário, durante toda a vida a mente trabalha, dia após dia, ano após ano.
Ela só pára quando você morre. Isso cria uma fadiga profunda, uma fadiga mental.

Agora os cientistas estão dizendo que até os metais se cansam —
existe a chamada "fadiga do metal".
Então o que dizer da mente, que é extremamente sutil, que é tão delicada?
Trate-a com cuidado. Mas continue à distância, indiferente, desapegado.

Quando escreve, você não se torna a caneta, embora não possa escrever sem ela.
Uma boa caneta é essencial para uma boa escrita.
Se você começar a escrever com os dedos, ninguém entenderá o que escreveu, nem mesmo você, e será muito primitivo.
Mas você não é a caneta e a caneta não é o escritor, é só um instrumento para escrever.
A mente não é o mestre, mas só um instrumento nas mãos do mestre.
A consciencia é o verdadeiro mestre."
Osho em Faça seu Coração Vibrar

25 de julho de 2010

Olhos brincalhões...


Ela entrou, deitou-se no divã e disse:
"Acho que estou ficando louca.
Eu fiquei em silêncio aguardando que ela me revelasse os sinais da sua loucura.
"Um dos meus prazeres é cozinhar. Vou para a cozinha, corto as cebolas, os tomates, os pimentões - é uma alegria!
Entretanto, faz uns dias, eu fui para a cozinha para fazer aquilo que já fizera centenas de vezes: cortar cebolas.
Ato banal sem surpresas. Mas, cortada a cebola, eu olhei para ela e tive um susto.
Percebi que nunca havia visto uma cebola. Aqueles anéis perfeitamente ajustados, a luz se refletindo neles: tive a impressão de estar vendo a rosácea de um vitral de catedral gótica.
De repente, a cebola, de objeto a ser comido, se transformou em obra de arte para ser vista! E o pior é que o mesmo aconteceu quando cortei os tomates, os pimentões...
Agora, tudo o que vejo me causa espanto."

Ela se calou, esperando o meu diagnóstico.
Eu me levantei, fui à estante de livros e de lá retirei as "Odes Elementales", de Pablo Neruda. Procurei a "Ode à Cebola" e lhe disse: "Essa perturbação ocular que a acometeu é comum entre os poetas. Veja o que Neruda disse de uma cebola igual àquela que lhe causou assombro: 'Rosa de água com escamas de cristal'. Não, você não está louca. Você ganhou olhos de poeta... Os poetas ensinam a ver".
Ver é muito complicado.
Isso é estranho porque os olhos, de todos os órgãos dos sentidos, são os de mais fácil compreensão científica. A sua física é idêntica à física óptica de uma máquina fotográfica: o objeto do lado de fora aparece refletido do lado de dentro.
Mas existe algo na visão que não pertence à física.

William Blake sabia disso e afirmou: "A árvore que o sábio vê não é a mesma árvore que o tolo vê". Sei disso por experiência própria. Quando vejo os ipês floridos, sinto-me como Moisés diante da sarça ardente: ali está uma epifania do sagrado.
Mas uma mulher que vivia perto da minha casa decretou a morte de um ipê que florescia à frente de sua casa porque ele sujava o chão, dava muito trabalho para a sua vassoura. Seus olhos não viam a beleza. Só viam o lixo.

Adélia Prado disse: "Deus de vez em quando me tira a poesia. Olho para uma pedra e vejo uma pedra". Drummond viu uma pedra e não viu uma pedra. A pedra que ele viu virou poema.

Há muitas pessoas de visão perfeita que nada vêem. "Não é bastante não ser cego para ver as árvores e as flores. Não basta abrir a janela para ver os campos e os rios", escreveu Alberto Caeiro, heterônimo de Fernando Pessoa.

O ato de ver não é coisa natural. Precisa ser aprendido.
Nietzsche sabia disso e afirmou que a primeira tarefa da educação é ensinar a ver.
O zen-budismo concorda, e toda a sua espiritualidade é uma busca da experiência chamada "satori", a abertura do "terceiro olho".
Não sei se Cummings se inspirava no zen-budismo, mas o fato é que escreveu: "Agora os ouvidos dos meus ouvidos acordaram e agora os olhos dos meus olhos se abriram".

Há um poema no Novo Testamento que relata a caminhada de dois discípulos na companhia de Jesus ressuscitado. Mas eles não o reconheciam. Reconheceram-no subitamente: ao partir do pão, "seus olhos se abriram".

A diferença se encontra no lugar onde os olhos são guardados. Se os olhos estão na caixa de ferramentas, eles são apenas ferramentas que usamos por sua função prática. Com eles vemos objetos, sinais luminosos, nomes de ruas - e ajustamos a nossa ação.

O ver se subordina ao fazer. Isso é necessário. Mas é muito pobre. Os olhos não gozam...
Mas, quando os olhos estão na caixa dos brinquedos, eles se transformam em órgãos de prazer: brincam com o que vêem, olham pelo prazer de olhar, querem fazer amor com o mundo (...).
Os olhos que moram na caixa de ferramentas são os olhos dos adultos.

Os olhos que moram na caixa dos brinquedos, das crianças.
Para ter olhos brincalhões, é preciso ter as crianças por nossas mestras.
Alberto Caeiro disse haver aprendido a arte de ver com um menininho, Jesus Cristo fugido do céu, tornado outra vez criança, eternamente: "A mim, ensinou-me tudo. Ensinou-me a olhar para as coisas. Aponta-me todas as coisas que há nas flores. Mostra-me como as pedras são engraçadas quando a gente as têm na mão e olha devagar para elas".

Por isso - porque eu acho que a primeira função da educação é ensinar a ver - eu gostaria de sugerir que se criasse um novo tipo de professor, um professor que nada teria a ensinar, mas que se dedicaria a apontar os assombros que crescem na banalidade cotidiana.
Como o Jesus menino do poema de Caeiro. Sua missão seria "partejar olhos brincalhões...
Ruben Alves, em A Folha de São Paulo - 2004

Início...


"Onde você estiver, é sempre o início.
É por isso que a vida é tão bela, tão jovem, tão virgem.
Quando você começar a pensar que algo está completo, começará a ficar morto.

A perfeição é morta; assim, os perfeccionistas são suicidas.
Desejar ser perfeito é uma maneira indireta de cometer suicídio.
Nada jamais é perfeito, não pode ser, porque a vida é eterna.

Nada jamais se conclui; não existe conclusão na vida — apenas pontos cada vez mais elevados. Quando você atinge um ponto culminante, um outro está desafiando-o, chamando-o, convidando-o.
Assim, lembre-se sempre de que onde você estiver é sempre um início.
Então você sempre permanece uma criança, você permanece virgem.

E essa é toda a arte da vida: permanecer virgem, permanecer novo e jovem, não corrompido pela vida, não corrompido pelo passado, não corrompido pela poeira que normalmente se junta nas estradas da jornada.

Lembre-se: cada momento abre uma nova porta.
Isso é muito ilógico, porque sempre pensamos que, se houver um começo, deverá haver um fim. Mas nada pode ser feito.
A vida é ilógica: ela tem um começo, mas não tem um fim.
Nada que está realmente vivo jamais termina, mas segue continuamente em frente."
Osho, em Todos os Dias

24 de julho de 2010

Fênix...

Você...


Só de respirar
Você me inspira..
Ao me olhar e suspirar
Você me dá paz..
Ao me querer
Você me dá sonhos..
Só de existir
Você faz a vida
O amor
As escolhas
Valerem a pena...

Obrigada por existir!
Por Victtoria Rossini

22 de julho de 2010

Harmonia Oculta...


"A harmonia oculta é superior à aparente.
A oposição traz concórdia.
Da discórdia nasce a mais bela harmonia.
É na mudança que as coisas encontram repouso.
As pessoas não compreendem como o divergente consigo mesmo concorda.
Há uma harmonia de tensões contrárias assim como a do arco e da lira.
O nome do arco é vida, mas sua função é a morte.
Em seus momentos despertos os homens são tão negligentes
e descuidados com aquilo que os circunda como o são quando adormecidos.
Tolos! Embora ouçam, são como surdos;
a eles aplica-se o adágio: mesmo presentes estão sempre ausentes.
Não se deve agir ou falar como os que dormem.
Os despertos têm um mundo em comum;
os adormecidos, cada um o seu próprio mundo privado.
Tudo o que vemos quando despertos é morte, quando adormecidos, são sonhos.
...
É próprio a todos os homens o conhecer a si mesmo e ser moderado.
Ser moderado é a maior virtude.
A sabedoria consiste em falar e agir segundo a verdade, observando cuidadosamente a natureza das coisas.
Ouvindo a mim, embora não ouça o Logos, é sábia admitir que todas as coisas são uma só.
A sabedoria é uma só — conhecer a inteligência pela qual todas as coisas são dirigidas por todas as coisas.
A sabedoria é una e única; relutando e todavia almejando ser chamada pelo nome de Zeus.
...
Deus é dia e noite, inverno e verão, guerra e paz, saciedade e desejo.
A água do mar é muito pura e, ao mesmo tempo, muito suja: é bebível e saudável para os peixes, mas imbebível e mortal para os homens.
A natureza do dia e da noite é uma só.
A subida e a descida são uma e a mesma.
Mesmo os que estão adormecidos trabalham e colaboram com o que acontece no universo.
No círculo, o princípio e o fim são comuns.
...
No mesmo rio nós pisamos e não pisamos.
Não se pode pisar duas vezes no mesmo rio.
Tudo flui e nada permanece.
Tudo cede e nada se fixa.
As coisas frias tornam-se quentes e as quentes, frias.
O úmido seca, o ressecado umedece.
E pela doença que a saúde dá prazer, pelo mal que o bem apraz, pela fome, a saciedade;
pela exaustão, o repouso.
É a mesma e uma só coisa estar vivo ou morto, desperto ou adormecido, jovem ou velho.
Em cada caso, o primeiro aspecto torna-se o último, e o último, novamente o primeiro,
por uma súbita e inesperada reversão.
Eles se separam e depois se unem novamente.
Tudo vem na estação certa.
No mesmo rio nós pisamos e não pisamos."
Harmonia Oculta por Heráclito

21 de julho de 2010

Friendship...

Não-merecimento...


Nessa últimas semanas, tenho meditado muito sobre um sentimento que existe em cada um de nós... e que é a causa de muitos conflitos e bloqueios.
É a sensação se "não merecimento."

Sempre observo que essa sensação acompanha a grande maioria das pessoas, e chega a ser tida até como "natural". Por mais absurdo que isso pareça, a sensação de "menos valia", de não merecimento é incutida na gente desde pequenos. Crescemos e vamos "aprendendo" a dar mais valor a outras pessoas, a coisas etc...e menos valor a nós mesmos...

Freud dizia que o homem teve que abrir mão de sua individualidade pelo social, pela vida em grupo. Acontece que, esse "abrir mão" teve e tem um preço enorme, acaba saindo caro demais, se olharmos os indivíduos, e o que esse sentimento de menos valia causa em cada um de nós.
Sociedade, é feita de indivíduos. Isto é: não divididos, únicos, autênticos...
O que chamamos de "massas" na verdade são células, são pessoas únicas, que estão vivendo, manifestando sua grandeza, sua unidade.

Quando as culturas, as religiões começam a incutir nas cabeças dessas pessoas que elas não tem tanto valor, que elas são menores, são mais fracas, são erradas, são pecadoras, são deficientes em certos aspectos, que deveriam ser assim, ou agir assado....nossa, isso causa um verdadeiro estrago.. e digo um estrago que muitas vezes passa desapercebido até da própria pessoa.
Passa desapercebido porque é aceitável socialmente, é até bonito socialmente, que uma pessoa diminua a si mesma...que se ache menor, inferior as outras, isso é visto como humildade.... e humildade é bonita, é bela....

Mas será que humildade é isso mesmo?
Ou será esse sentimento de menos valia, de não merecimento que se passa de humildade e que é aplaudido pela sociedade, a própria pessoa acredita e continua nisso, por toda sua vida e nem se dá conta de que ali existe na verdade um complexo, um bloqueio, ou seja uma baixa auto estima, mascarada de humildade...

Isso é curioso pois nos coloca frente a alguns sinais que queria refletir com vocês.
Na evolução da personalidade, se nos mantemos sempre na postura de inferioridade, submissos, sempre obedientes, será muito difícil que alcancemos algum tipo de autonomia ou de liderança das nossas próprias vidas.

A consciência da nossa grandeza, da nossa unicidade é fundamental para que possamos ser os verdadeiros"donos" da nossa vida. Digo "donos", no sentido de que quando afirmamos algo, ou negamos algo, essa ação vem de dentro, vem do cerne, da nossa essência, e não de um comportamento periférico, aprendido, repetido como um papagaio...
Mas para isso é necessário que tomemos consciência de quem somos de fato. E nos aceitemos como tal, sem julgamentos, nem críticas...Nos amemos como somos...
Só valorizaremos o outro, e reconheceremos a sua grandeza, na medida que reconhecemos o nosso valor e a nossa grandeza.
Podemos dizer que humildade é simplicidade, não é submissão, inferioridade. Ser simples, é ser autentico, é ser verdadeiro consigo mesmo, e naturalmente, verdadeiro com os demais.

As famílias, as escolas, as igrejas, a sociedade nos impõe comportamentos ao longo de nossas vidas. Mas é sempre importante que questionemos essas imposições. Tomemos consciência do que se trata, se aquilo é aceito por nós, ou não. Se passa por nosso "filtro" interno, o filtro da nossa consciência. Ela define o que tem a ver ou não tem a ver com a gente, de verdade.

Na busca espiritual isso também é super importante. Pois se nós continuamos com esse sentimento de menos valia, de não merecimento, será muito difícil alcançarmos a espiritualidade plena, pois esse próprio sentimento se torna uma barreira ao despertar.
Uma vez que haverá sempre presente o sentimento de que precisamos nos esforçar para alcançar algo, para alcançar a Deus. Que o esforço faz parte do processo, que sem esforço nada acontece...enfim tudo isso que vemos por aí...sacrifícios, sofrimentos, angústia, e esforço, esforço e mais esforço....tudo isso para se alcançar um Deus idealizado...

Por isso deixo aqui a dica dos mestres...
Nascemos prontos. Toda criança que nasce está absolutamente pronta. Você está pronto agora mesmo. A única "barreira" que existe é exatamente esse sentimento de não merecimento, e ele é apenas um mísero, ínfimo, insignificante pensamento...só isso.
Livre-se dele agora mesmo!!
E desfrute da grandeza que você sempre foi e É!!
E veja o que acontece !!
Veja o que Mooji nos diz:"Se você acredita nos pensamentos de "não estou pronto, ainda tenho muito a fazer", na verdade, veja que esses pensamentos são malignos - tenho que lhe dizer isso. Pode parecer humildade. Não, não estás sendo franco, e sim um cúmplice da sua própria sensação de fracasso.
Amor
Lilian

Vacuidades...


"Existem dois tipos de vacuidade. Uma é a vacuidade negativa, a outra positiva.

A vacuidade negativa é solidão. Você perde a presença de algo ou de alguém. Você não está usufruindo da pureza da solitude. Você está na perda(...) O vazio é negativo.

Existe a vacuidade positiva. Esta não está na falta de ninguém. Pelo contrário, é agradável, é relaxante, permanecer na presença de Si mesmo. Quando você está sentado só, apenas aprecie a si mesmo, delicie-se a si mesmo, celebre o ser- você está vazio, mas a vacuidade é positiva.
A vacuidade negativa é um inferno. A positiva é divina. Ambas são vacuidades, mas existe uma tremenda diferença entre ambas. A negativa precisa se tornar na positiva.(...)

A solitude, que representa a vacuidade positiva. Ela é inocente, é silêncio, é quietude, é virgindade.
Se você nunca experimentou essa vacuidade positiva, sempre que a vacuidade chegar até você, você a temerá, por ser de natureza negativa, e vai querer sair dela o mais rápido possível. Mas isso não é necessário.
Relaxe nela, seja ela. Permita que ela seja em você, e não tente modificá-la em nada.(...)
Quando você entra na vacuidade pela primeira vez, você sente a mesma sensação do vazio. Isso é natural, já que você até então só experimentou o vazio anteriormente.

Nisso, eu digo a vocês, permaneçam, não fujam, vão além, sejam esse vazio. De repente, o foco muda, a gestalt muda, e vocês perceberão que o que era vazio, se tornou vacuidade. Não é mais isolamento, é a infinita presença.
Você desapareceu...e nesse desaparecimento, Deus apareceu.

Deus e você são gestalts. Se você está ali, Deus permanece escondido. Quando você desaparece, Ele se manifesta. Quando você volta, Ele se esconde de novo. Quando você está presente, você o oculta, como as nuvens no céu.

Usufrua dessa vacuidade sempre que puder. Feche seus olhos, e esvazie-se. Logo a beleza se revelará a você.
Pouco a pouco você estará provando de um novo sabor, um novo vinho, absolutamente novo, um que você nunca experimentou antes.(...)
Isso irá inebriar você. Ele te tornará cada vez mais elevado, absorto, e você será transformado através dele."
Osho em Come Follow Me

20 de julho de 2010

Arte de ser feliz...


Houve um tempo em que minha janela se abria sobre uma cidade que parecia ser feita de giz.
Perto da janela havia um pequeno jardim quase seco.

Era uma época de estiagem, de terra esfarelada, e o jardim parecia morto.
Mas todas as manhãs vinha um pobre com um balde, e, em silêncio, ia atirando com a mão umas gotas de água sobre as plantas.
Não era uma rega: era uma espécie de aspersão ritual, para que o jardim não morresse.
E eu olhava para as plantas, para o homem, para as gotas de água que caíam de seus dedos magros e meu coração ficava completamente feliz.
Às vezes abro a janela e encontro o jasmineiro em flor.
Outras vezes encontro nuvens espessas.
Avisto crianças que vão para a escola.
Pardais que pulam pelo muro.
Gatos que abrem e fecham os olhos, sonhando com pardais.
Borboletas brancas, duas a duas, como refletidas no espelho do ar.
Marimbondos que sempre me parecem personagens de Lopes de Vega.
Ás vezes, um galo canta. Às vezes, um avião passa.

Tudo está certo, no seu lugar, cumprindo o seu destino.
E eu me sinto completamente feliz.

Mas, quando falo dessas pequenas felicidades certas, que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem, outros que só existem diante das minhas janelas, e outros, finalmente, que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim.
Arte de ser feliz por Cecília Meireles

19 de julho de 2010

A grande ambição...


"Todo ser humano é amor em gestação, daí a aflição a angústia.
A semente não pode ficar satisfeita em ser uma semente.
Ela deseja se tornar uma árvore, deseja brincar com os ventos, deseja se erguer ao céu - ela é ambiciosa !
Cada ser humano nasce com uma grande ambição, a ambição de florescer em amor, de desabrochar em amor.
Assim percebo cada ser humano como uma possibilidade, como uma potencialidade, como uma promessa.
Algo que não aconteceu ainda precisa acontecer, e a menos que aconteça, não poderá haver satisfação nem paz; haverá agonia, sofrimento e aflição.
Somente quando uma pessoa chegou a um florescimento no qual sente que agora está realizada - agora ela se tornou aquilo para que nasceu, agora ela atingiu seu destino, agora nada mais ficou por fazer- somente quando a ambição desapareceu completamente porque foi preenchida, somente então a pessoa está na bem-aventurança, e nunca antes disso."
Osho em Todos os dias

17 de julho de 2010

Poeminha Amoroso...

O Sábio...


"O Sábio não tem coração próprio,
ele faz seu o coração das pessoas.
Para os bons, sou bom;
Para os que não são bons, também sou bom;
pois a Vida é bondade.
Para os leais, sou leal.
E leal também para os que não o são;
pois a Vida é lealdade.

O Sábio vive muito tranquilo no mundo
e abre todo o seu coração para o mundo.
Todas as pessoas olham para ele e o escutam.
E o Sábio as recebe como filhos seus."
...
"Querer conquistar e manipular o mundo,
sei por experiência própria que não dá certo.
O mundo é uma coisa espiritual,
que não se deve manipular.
Quem o manipula o destrói,
quem quiser segurá-lo, perde-o.
As coisas ora se adiantam, ora se atrasam,
ora irradiam calor, ora sopram geladas,
ora são fortes, ora delgadas,
ora flutuam na superfície, ora despencam.
Por isso o Sábio evita todo excesso:
de quantidade, de número e de medida."
...
"As palavras verdadeiras não são bonitas,
as palavras bonitas não são verdadeiras.
A habilidade não é persuasiva,
a persuasão é destituída de mérito.
O Sábio não é um erudito,
o erudito não é um Sábio.
O Sábio não acumula posses.
Quanto mais ele faz para os outros,
mais ele possui.
Quanto mais dá aos outros,
mais ele recebe.
O Tao do Céu "favorece sem prejudicar".
O Tao do Sábio é "agir sem lutar".
Tao Te King Versos XLIX , XXLX e LXXXI

16 de julho de 2010

Borboletas...

Seu Olhar...


Seu olhar me acalma
Me enche de luz
E me faz esquecer...
Esquecer que existiu um dia
Que já fui só sem ninguém
Que me perdi pelos caminhos
E que já sofri de amores também...

Seu olhar me dá asas
E me acaricia como uma pétala de flor
Me perfuma e me aquece
E me faz perceber...
Perceber a beleza
Que existe por toda parte
Beleza que é simples
Que se faz pequenina
E por ser tão simples
Se transforma na mais pura paisagem...

Seu olhar me provoca
E me faz navegar por mares desconhecidos
Arriscar, aventurar, ou apenas ir
Ir para nenhum lugar
Ou para todos ao mesmo tempo
Num tempo sem segundo
Numa aventura sem saída nem chegada
Onde até mesmo o eu viajante se foi...

Seu olhar me entorpece
E junto com o sorriso maroto, me encanta
Me faz de novo criança
E esqueço tudo que se precisa esquecer
Para simplesmente
Ser...

Seu olhar que não consigo descrever
Acho que é porque ele é tão pleno que nenhuma palavra cabe
Ou será tão absoluto
Que o próprio absoluto dele se inveja..
Seu olhar...
Só mesmo,
Seu olhar...

15 de julho de 2010

Nada acontece...


"A Verdade é incrivelmente ordinária.
Incrivelmente comum.
Incrivelmente disponível!
Basta parar de fantasiar, parar de imaginar.
Se, em algum momento, você imagina que está entendendo alguma coisa, você está apenas imaginando.
Mantenha-se calado!
Não tem nada acontecendo.
Isso é absolutamente impossível de ser compreendido com a mente.
Porque a mente jura que tem coisas acontecendo.
Mas, é somente ela que está acontecendo.
Olhe! Veja! Insista!
Até que essa realização seja límpida.
A mente pensa que existe um 'você'.
E eu não quero que a mente pare de pensar que existe um 'você'
Eu, simplesmente, quero que você veja que é a mente que está pensando que existe um 'você'. Não precisa fazer nada com a sua mente.
Ela não é sua.
Deixa-a!
Deixe-a fazer o que quiser.
Não se envolva!
Não há nenhuma exigência em tornar a mente perfeita.
Essa exigência só pode vir da própria mente -e é altamente falaciosa.
Se você tenta fazer qualquer coisa para mudar a sua mente, está fazendo do ponto de vista da própria mente.
Porque, do ponto de vista da observação,
Agora, não tem mente."
Por Satyaprem

13 de julho de 2010

Verdade e Beleza...


"Você só conhecerá Deus depois de experimentá-Lo.

Você o sente, experimenta, depois como uma sombra, o conhecimento Dele acontece. Você reconhece depois de ter acontecido. Acontecimento vem antes, reconhecimento vem depois.
Ás vezes demanda muito tempo para reconhecê-lo, pois a mente é idiota. Acontece muitas vezes ao longo da sua vida - você precisa estar atento a alguns momentos de uma tremenda realidade, autenticidade, mas você ainda não os reconhece. Eles são perdidos no deserto.
Antes que você possa reconhecê-los, eles terão ido embora, e haverão outras coisas, e a mente se torna engajada. Você perdeu.
Essa é minha observação: Não se pode encontrar um ser humano em todo o mundo que não tenha vivido momentos de profunda realidade. Apesar de você, algumas vezes o vislumbre vem até você, porque não é só você que busca a realidade, a realidade também busca você. Não é só você que precisa de Deus, Deus também precisa de você tremendamente. Você não pode ser sem Ele; Ele não pode ser sem você.

Você pode esquecê-Lo, mas Ele não esquece você. Você pode dar as costas para Ele, mas Ele continuará buscando você. Suas mãos podem ser pequenas, a mão de Deus não é pequena. Ele pode te alcançar, lembre-se disso.

É por isso que, não por sua causa, ou apesar de você - o vislumbre acontece. Mas você não pode reconhecê-lo. Muitas pessoas tem experiências religiosas, mas não conseguem reconhecê-las como experiências religiosas.(...)

Quando você vê um rosto bonito de um homem, ou uma mulher, ou uma criança, se a realidade te golpeia com a beleza. Nesse momento de beleza Deus está olhando para você face a face. Deus se revela através da sua face. Através dos olhos, a profundidade da existência tem tentado se comunicar com o profundo do seu ser. Profundo fala com o profundo, então acontece um diálogo.

De repente, pela manhã você está cheio de graça e de luz. Você está fresco e leve. O passado não mais o persegue, e o futuro ainda não começou. Você olha para o céu, o vasto e vazio...isso é uma experiência religiosa.

A Beleza é verdade...e a verdade é Bela...

Ás vezes você escuta uma canção, e a mente silencia. A música repercute em você, você está possuído por ela. Você não está mais lá. Como uma presença transparente: a música vai além e além de você, no mais profundo do seu ser, ali é somente a música que acontece: isso é religião.
Deus penetra em você. Ele te torna mais e mais vivo. Ele acontece através do amor, da criança, do amigo, e as vezes do inimigo também. Flores, oceano, areia, montanhas, estrelas e pássaros. Ele vem de mil maneiras, infinitas maneiras, mas sempre VIVO...

Aonde quer que você tenha vivido uma experiência poética, seu coração se torna um pequeno poema- alguma coisa treme em você, alguma coisa que você não sabe o que é - isso é religião..."
Osho em Come Follow Me.

12 de julho de 2010

Azul do Mar...


O mar é de um azul profundo,
Que nos invade,
Que atinge nossos olhos, almas, coração,
E que nos toca como um doce e longo beijo de amor…

Pássaro esvoaçando,
Que nos abrem as asas,
Como se nos abraçassem.
Como se quisessem nos dizer algo.
Dizer que o mundo é belo, muito belo...

Abrir o coração à vastidão do universo,
E lembrar que somos infinitos.
Não se deixar amordaçar,
Não se esconder, não se restringir.
Abrir a alma e deixar o sol tomá-la por inteiro,
Soltar o corpo, e amar, amar e amar...

Encontrando no azul profundo do mar,
O que pensávamos ter perdido:
A essência do divino que cada um comporta.
Deixar brotar a alegria da criança que somos, eternamente...

E encontrá-la no canto dos pássaros,
No coração dos apaixonados,
Nas esperanças dos que vivem soltos…
E deixar-se rejuvenescer,
Deixar invadir,
Deixar ser amada, para sempre amada e amar...

Porque sim, porque se pode…
Contemplar o pôr-do-sol,
Deixar-se inundar pelo azul do mar,
Afogar-se no pó das estrelas,
Ser um com o Universo Azul e de todas as cores...

11 de julho de 2010

Encontros...


" A vida é a arte do encontro...embora haja tanto desencontro pela vida..."

Hoje queria começar com essa linda frase do amado poetinha, Vinícius de Moraes...

Um mestre da poesia e da música, foi uma pessoa que viveu, e amou, e deixou-se fluir com a existência, jorrando poesia, lirísmos, melodias e muita sabedoria...amo Vinícius, e toda sua obra...ressona diretamente no meu coração...

Essa frase que é uma das mais marcantes dele, me faz refletir sobre a supremacia do encontro, ( no singular mesmo!) ao longo de nossas vidas.
Digo encontro, porque encontro é Único, é pessoal, intransferível, inédito e absolutamente autêntico e irrepetível rsrsr

Um encontro se dá coraçãocoração -assim mesmo sem hífen-dois corações que se fazem um, ou melhor, se reconhecem um, desde sempre...
Um despertar de emoções profundas, um cantar de almalma, um eco da existência batendo no peito e cantando...emoção que jorra, lágrimas, palavras, silêncio...isso não importa...

Importa o encontro, importa a energia, o amor que emana, transborda, e se materializa nesse mundo, em muitas vezes instantes tão rápidos, tão curtos, mas que são absolutamente eternos enquanto duram...
Aí, já me vem uma outra frase do poetinha lindíssima também: "Que o amor seja eterno enquanto dure..."
Amor é a própria eternidade, pois não é desse mundo. Amor é transcendente, amor é resplandecente, amor é imanentes, amor é o próprio Ser de Deus em nós...

Encontrar alguém nessa vida, e se deixar encontrar por alguém também, é ser aceito, amado, reconhecido, recebido nesse mundo, nessa dimensão...é ser acolhido, abraçado, visto, admirado....
O mundo se torna tão acolhedor, as dificuldades são tão suavizadas, reduzidas...um olhar, um toque, uma palavra...significam: Somos amados, somos aceitos, somos reconhecidos do jeito que somos...

Encontrar um amigo, encontrar um amor, encontrar e ser encontrado...
Toda a vida sorri !!
Nossa alma canta de alegria, e celebra esse momento que é uma obra de arte, e por ser tão único, é absolutamente eterno em si mesmo...
Pois já não pertence mais ao tempo...
É simplesmente...eternidade...
Amor
Lilian

9 de julho de 2010

Jeito de Amar...


"Todo mundo tem sua própria maneira de amar.
Nunca compare. Alguns podem dançar, outros podem ficar parados, estáticos e cantar, e outros podem apenas ficar sentados em silêncio com os olhos fechados.

Não pense que você não é louco, e aquele que dança é louco.
Você é louco? Você está amando e permanece de olhos fechados? O que você está fazendo dance!
Todo mundo tem seu próprio jeito de enlouquecer também. Como cada um tem um rosto diferente, ninguém tem os mesmos olhos que você, ninguém tem as mesmas impressões digitais que você - ninguém tem a mesma loucura que você tem. Todos somos únicos.

Todo mundo ama do seu próprio jeito. E isso é bom; tem que ser assim. Nunca compare.
Com comparações os problemas aparecem.
Assim você sente que está perdendo alguma coisa.

Seu amor é calmo, quieto e respeitável. Então você começa a pensar que algo deve estar errado. Porque você vive tão apaixonadamente no amor? Porque você não é como uma tempestade, porque você sopra como uma brisa leve? Mas esse é o seu jeito. E Deus precisa dos dois. Tempestade, tempestade e tempestade...Ele também precisa de um pequeno descanso. Uma brisa leve é sempre bem-vinda.

Não se preocupe.
Esse é o jeito que Deus acontece para você. Nunca compare. Apenas olhe para dentro e desfrute o que acontece, e deixe acontecer mais.
Desfrute deleite-se nele, e deixe o amor acontecer a você. Você pode se tornar leve como uma brisa (...)

Existem muitas maneiras para Deus, como existem muitos buscadores.
Todo mundo tem seu próprio caminho, e não existe nenhum super-caminho, lembre-se - nenhum super-caminho. Todos caminham á sua própria maneira.
De fato, o caminho de cada um é sempre original. Você o cria caminhando.
Ninguém pode caminhá-lo por você. Seu caminho não deixa rastros.
É como o voo do pássaro no céu. Uma vez que tenha voado, ele não deixa pegadas, nem rastro.
Ninguém pode voar ali novamente.
Não há necessidade.
Não compare.
Fique satisfeito e contente em ser você mesmo. Desfrute, deleite-se - ajude você a ser você mesmo.Esse é o SEU caminho."
Osho em Come Follow Me.

8 de julho de 2010

Prece...


"Você se cria, momento a momento. Você não é uma entidade fixa, mas como uma infinita possibilidade. Você nasceu como uma semente, não como uma árvore. Você nasceu aberto, não fechado. Essa abertura é imensa. Você escolhe momento a momento quem você quer ser . Sua decisão é seu destino. E a menos que você viva a vida completamente, sentindo-a como uma bênção, você não é religioso.

Uma vida religiosa, é uma vida espontânea.
É uma vida que flui, dinâmica.
A vida religiosa é uma vida de prece.
Prece é o supremo bem.
Vou explicar a vocês o que é prece: prece não é alguma coisa que você faça. É algo que você se torna, pouco a pouco. É algo que você vive, é algo que te envolve como um clima. É algo como uma profunda gratidão.

Olhe as árvores, olhe o mar, ou olhe a grama verde, um imenso desejo surge em você em dizer: Obrigada!
Isso é prece.

Algo surge em você, profundamente, e você gostaria de dizer incondicionalmente: Obrigada.
Mesmo sem saber a quem agradecer, mesmo sem saber quem criou a manhã, ou o entardecer, ou as estrelas, a lua e o sol... mesmo sem saber que mãos se escondem por trás das folhas de grama, ou quem sorri em cada gota de orvalho...mesmo sem conhecer...(...)

No mais profundo do seu ser, você sente a gratidão.
Prece é sentimento de uma presença desconhecida.
Esse sentimento se torna uma reverência.
E a prece se torna como a respiração. Não é algo que você faça, e depois termina e você deixa de fazer. É algo que acontece, e acontece e acontece.. como respirar...

Acordado ou dormindo, a prece te envolve.
Palpita dentro do seu coração, se torna você mesmo, não mais existe separação.
A vida de prece é o que eu chamo de boa vida. A vida de gratidão é o que eu chamo de vida religiosa."
Osho em Come Follow Me.

6 de julho de 2010

Realidade...


"Jamais menospreze a força e o poder da REALIDADE.
Deus é AQUIAGORA."

Li recentemente essas frases do amado mestre Osho, que bateram fundo na minha consciência...
Meditando sobre isso me vieram algumas reflexões que queria partilhar com vocês...

A realidade que lidamos, é tão tudo, tão absoluta, que passa desapercebido...muitas vezes vira paisagem..vira coisa nenhuma...
O viver realmente, conscientemente, atentamente é sinonimo de absoluta presença, no aquiagora...nem ontem, nem amanhã...
Vejo muito hoje em dia, o desejo, a necessidade de muitas pessoas em fugir da realidade...em viver no sonho, no sono, na alienação, na mente borbulhante...enfim...nos seus filmes particulares...e acabam deixando escapar a maior preciosidade que existe...a existência real, manifesta..o absoluto que se apresenta momento a momento...em detalhes, em sutilezas e delicadezas...em coerências ou incoerências...enfim...Deus se manifestando, Deus Sendo...

Manter-se no aquiagora, é permanecer na dimensão da consciência...
É ela que "domina" o momento presente.
O quanto nossa mente teima em nos "jogar" para passado e futuro, a consciência é absolutamente presente...e é de fato onde TUDO acontece...

Se nós pararmos para refletir que nosso corpo respira no presente...logo nos damos conta daquilo que os orientais já falavam há séculos, do poder que a respiração tem em nos trazer para o momento presente...meditação, yoga. taichi, artes marciais...técnicas que nos ancoram no momento presente tendo o corpo-respiração como âncora...realmente pura sabedoria...

Quando Osho diz que a realidade é tremendamente forte e poderosa, sinto a grandeza da manifestação divina nessas palavras...só aquiagora existe de fato, só aquiagora É...TODAS as possibilidades estão no aquiagora, nesse único momento...TODAS as eras, dimensões, acontecimentos, pensamentos, emoções, vivências, experiências, sentimentos, TUDO...absolutamente TUDO aquiagora...
Isso mexe mesmo com a cabeça da gente...rsrs e não é prá menos...rsrs

Refletindo sobre isso, percebo a nossa grandeza, a grandeza desse momento e de como SÓ esse momento existe...ou seja, SÓ o AGORA existe...eternamente AGORA...
Da mesma forma que SÓ o AQUI existe...todos os lugares são SOMENTE AQUI...
A consciência experimenta TUDO, pois É TUDO....

O que "aparentemente" muda, e se transforma, e viaja, e navega, e flui, e passa, na realidade, ou seja, na dimensão da consciência TUDO apenas PERMANECE O QUE É...NO AQUIAGORA...
DEUS é isso...
Amor
Lilian

3 de julho de 2010

A Delicadeza do Ser...


Estava meditando esses dias, em que caminhava pela beira da praia, entre os atobás e as gaivotas brancas que teimavam em brincar em voos deslumbrantes, disputando seus peixinhos do jantar rsrsr, cenas únicas que ficam gravadas na alma da gente para sempre...

Em meio a esse paisagem divina, alguns pensamentos vieram a mim...
A delicadeza do Ser...

Tenho vivido um momento absolutamente único na minha vida, muito amor, muita reflexão, alegrias, liberdade, uma amplidão interna...e sinto que a delicadeza essencial, cada vez mais é real, verdadeira e concreta para mim...

Como convivo diariamente com muitas pessoas diferentes, muitas realidades, vidas, histórias, dramas, comédias...enfim muitos "filmes" particulares, que me chegam...sempre com olhos de interrogação...com a alma na mão, com uma carga emocional imensa...e uma demanda de uma palavra, uma luz, um gesto...qualquer coisa...ou mesmo apenas a minha presença ali...nada mais...

É claro que sinto junto com cada uma delas...interajo, partilho...juntos caminhamos, vislumbramos saídas, lições, aprendizados...e buscamos sempre vislumbrar o Ser essencial, luminoso, sábio e que é que realmente vive e faz...
Nisso me trouxe uma consciência dessa "qualidade" do Ser...
O Ser é sempre delicado, simples, amoroso e sábio.
Manifesta uma leveza e uma alegria pura que é incondicional...Por ser aberto, como o céu, o Ser não se prende a nada, nem se deixa limitar ou condicionar...isso é impossível para ele...

Essa beleza indizível é absolutamente tocante e apaixonante, para aqueles que "tem olhos para ver"...
Um encontro de Ser & Ser é algo simplesmente Divino, Mágico, Maravilhoso, Amoroso, Infinitamente abençoado e pleno....Indefinível, Indizível...só mesmo o silêncio profundo, reverente....alcança...

Trata-se do Verdadeiro Encontro, um momento de pura reverência e de adoração, profunda, divina, plena...as palavras naturalmente se silenciam...na perfeição desse encontro não cabe mais nada aqui...já é pleno e absoluto em Si mesmo...

Essa delicadeza do Ser é onipresente em Tudo e em Todos, pois só o Ser É...
Alcançar essa dimensão em Si...na Vida...no Outro... é viver literamente a eternidade no tempo, é manifestar toda a Divindade da vida e da Existência...é Ser Céu aberto, infinitude...é sentir no mais profundo de Si mesma: A Vida Vive em mim, e através de mim...
Sou UMA com a Vida...
Amor
Lilian

2 de julho de 2010

Jesus...


"A escuridão só pode ser vista quando não existe luz.
Se você leva uma luz com você, você nunca verá a escuridão, porque uma luz é presente e a escuridão deixa de existir.

Jesus simplesmente destroi a escuridão, ele destroi a culpa.
Ele cria esperança, cria confiança e fé. Pessoas que foram condenadas por muito tempo, perderam sua esperança.

Eles aceitaram seus pecados, aceitaram sua vida feia, repulsiva e sabiam que nada poderia ser feito para mudar isso.
Eles apenas teriam que esperar pelo inferno.
Eles teriam apenas que aceitar que estavam indo para o inferno e teriam que sofrer.

Jesus veio e ajudou essas pessoas a sair da prisão da escuridão da ignorância.
Ele dizia " Não existe o inferno".
Ele dizia "Exceto por sua ignorância, não existe inferno; exceto por seu próprio fechamento, não existe inferno. Saiam da ignorância, voltem a fluir com a existência, e voltem a vida novamente. Busquem a luz do sol, Deus é acessível, disponível."

É isso que ele dizia: "O Reino de Deus está ao alcance das suas mãos."
Osho em Come Follow Me

1 de julho de 2010

1° de Julho !!


Hoje dia 1° de julho e queria partilhar com vocês a alegria do existir.... simplesmente !!!
Hoje comemoro meu aniversário, mais um ano de vida, mais um ciclo que termina e outro que se inicia...vida que segue, vida que vive em mim...
Nessa existência, tenho podido experimentar muitas coisas interessantes....
Muitas vivências, ganhos de consciência, experiências, aprendizados, viagens, lugares....enfim....

Muitas pessoas passaram pela minha vida...algumas suavemente, outras deixando marcas fortes e algumas simplesmente chegam e se alojam para sempre no meu coração...são comigo para sempre...eternamente...
Viver cada momento com consciência e presença é poder desfrutar TUDO que a vida quer nos dar...seja lá o que for...

E sentindo o instante, deixando o coração fluir junto com o momento, toda a vida se torna luminosa, divinamente preciosa...
Sou absolutamente fascinada pela Vida, pela Existência e tudo que a ela se relaciona...

Amo muito as pessoas, olhares, expressões, sorrisos, falas, gestos...é divino observar, interagir, sorrir, chorar, Ser com cada uma delas e juntas construirmos amizades, relacionamentos...enfim...amor, amor e amor...sempre, sempre....eternamente amor, rsrs
Sinto realmente a beleza divina em cada lugar, cada paisagem, cada país, cada cultura....
Em cada Ser.... e me dou conta de que viver não é só existir, ter um corpo, uma personalidade, uma profissão, sei lá...essas coisas que dizem por aí...rsrs

Viver é muito mais significativo do que qualquer "coisa"...

Viver é alma, é verbo, é ação, é evolução, é processo, descoberta, é desabrochar...é manifestação da grande VIDA que vivem em mim, em você, em cada ser, por mais minúsculo que for...que pulsa, que integra essa maravilha que se chama Existência...Deus...AMOR...
Deixo aqui uma frase de Ibn'Arabi que traduz o que sinto neste momento...
"O Amor é minha Religião...Meu coração se tornou capaz de TODAS as formas..."
Sou grata a Existência, a Deus...pela Graça do existir...
Sou grata a TODOS(AS) que já passaram pela minha existência...e queria deixar aqui o meu "Muito obrigada...de coração !!! Amo muito e de modo especial, cada um de vocês...
Saibam que vocês são comigo para sempre..."
Amor
Lilian
Related Posts with Thumbnails