31 de dezembro de 2012

Recomeçar...

Hoje é o dia do Recomeço!
Nova Era,
Novo Ciclo,
Nova Forma,
Nova Consciência...

O Agora nos oferece sempre a chance de Recomeçar
Aliviar as pressões
Revirar os porões
Abrir as gavetas
As janelas
Abrir a Alma
e Voar...

Resplandecer nosso Ser
Luminoso e Belo
em tudo que realizarmos
e por onde passarmos...

Estamos vivendo o esplendor do instante
Momento radiante e único
Feito só para você.
Tudo acontecendo plenamente
Para revelar a Infinitude da Graça de Deus
Revelar, a exuberância da Criação
A Totalidade, acontecendo
através dos olhos seus...

Recomeçar,
Abrir os braços ao que vier
Abrir o coração ao Presente
Consciente
Paciente
Amorosa
Plena e 
Simplesmente...

Que possamos reconhecer nossa beleza Única,
nossa Grandeza Única
nossa Família Universal.
Nossa Mãe Terra,
A cada um e a todos, 
incluir, 
acolher e cuidar
com Amor..

Feliz Ano Novo a todos!!

Consciência plena,
Realização,
Alegria,
Luz,
Amor
e PAZ
a cada passo,
a cada instante...
Com Amor e Gratidão,
Lilian




30 de dezembro de 2012

O Néctar da Compaixão...

"Toda violência é injusta. Não se pode apagar o fogo do ódio e da violência alimentando suas chamas com mais ódio e violência.

O único antídoto para a violência é a compaixão.
Do que é feita a compaixão? Ela é feita de compreensão. Quando não há compreensão, como podemos sentir compaixão, como podemos sequer começar a aliviar o enorme sofrimento que ali está?
Portanto, compreensão é realmente o alicerce sobre o qual construímos a nossa compaixão. (...)


Como podemos produzir uma gota de compaixão que seja capaz de apagar o fogo do ódio? 

Você sabe que compaixão não é coisa que se venda nos supermercados. Se fosse, bastaria a gente comprar e levar para casa e assim resolveríamos o problema do ódio e da violência no mundo com muita facilidade. 

Acontece que só a nossa prática pode produzir compaixão no coração de cada um de nós. (...)

O método do Buda consiste em examinar em profundidade para ver a fonte do sofrimento, a fonte da violência. Se temos violência dentro de nós, qualquer ação pode fazer essa violência explodir. A energia do ódio e da violência pode ser muito grande e, quando vemos isso em outra pessoa, nós temos pena 
dela. Quando temos pena dessa pessoa, a gota da compaixão nasce em nosso coração e nos sentimos bem mais felizes e em paz com nós mesmos. Isto gera o néctar da compaixão dentro de nós. (...)

O mal existe. Deus também existe. O Mal e Deus são dois lados de cada um de nós. 
Deus é a grande compreensão e o grande amor dentro de nós. É o que nós também chamamos de Buda, a mente esclarecida que pode ver através de toda a ignorância.

O que é o mal? É o que surge quando o rosto de Deus, de Buda ficou escondido. Cabe a nós escolher se o lado do mal se tornará mais importante ou se o lado de Deus e do Buda irá resplandecer. Mesmo que o lado de 
grande ignorância - o lado do mal - esteja se manifestando com vigor em determinado momento, isto não implica que Deus não esteja ali

Está perfeitamente claro na Bíblia: "Perdoa-lhes, porque eles não sabem o que fazem". Isto significa que um ato de maldade é um ato de imensa ignorância e incompreensão. É provável que haja muitas percepções equivocadas por trás de um ato maligno; é preciso perceber que a ignorância 
e a incompreensão estão na raiz do mal. 

Todo ser humano traz em si todos os elementos de grande compreensão, grande compaixão e também de ignorância, ódio e violência. (...)

Desenvolver a gota de compaixão no próprio coração é a única resposta espiritual eficaz ao ódio e à violência. 

Essa gota de compaixão resultará em acalmarmos nossa raiva, examinarmos a fundo as raízes da nossa violência, escutarmos em profundidade e compreendermos o sofrimentos de todos os envolvidos nos atos de ódio e violência."
Thich Nhat Hanh em Serenando a Mente

29 de dezembro de 2012

A mente tem pensamentos, não você...

A mente tem pensamentos, não você.
"Você” tem maus sentimentos, ou simplesmente há pensamentos e sentimentos surgindo na atenção, na consciência presente. 

O sol “tem” nuvens ou tempestades? 
É a mente que tem pensamentos, não você. Você está simplesmente consciente da mente. É como deitar-se na grama olhando para as nuvens. 

Você “tem” nuvens? Elas são “suas” nuvens? 
Não. De jeito nenhum. Você não se identifica com elas, e elas simplesmente passam. 
Você, como o conhecedor delas não é afetado. Assim, pensamentos geram outros pensamentos, mas você é o conhecedor deles. 

Você é o espaço no qual eles aparecem e desaparecem. 

O que acontece ao sol quando as nuvens vêm e vão? 
A consciência é perturbada com o surgimento dos pensamentos? 

Ela está lá antes, durante e após os pensamentos. 

Ela é você. Você é ela, a consciência. Sua natureza real é imperturbável.

Pergunta:Como se descobre em você aquilo que não é afetado pelo pensamento?
John: Simplesmente observando tudo o que acontece na mente. Todos os pensamentos, sentimentos que passam por você, que apenas observa cada um deles e deixa passar.

Questione e descarte todos os pensamentos auto-centrados. Todos aqueles pensamentos em que aparentemente surgem de você mesmo. São miragens. Não tem verdade em si mesmos. Aliás, todos os pensamentos são miragens, não tem vida própria apenas acontecem para a consciência que os observa. A consciência os alimenta, dá-lhes atenção ou não. Se recebem atenção, crescem, se não recebem atenção passam;

Permanecer centrado no centro Crístico, centro Búdico é permanecer observando tudo o que surge na mente sem se identificar com nenhum deles. Permanecer silencioso internamente é ocupar a dimensão da Verdade; 
Esta Verdade é a Única verdade, a dimensão da Unicidade da Consciência não identificada. O centro de Paz em cada um de nós.

Pergunta: Como posso reconhecer essa verdade em um momento em que estou identificado com a mente?
John: Não se preocupe com isso. Se você descobrir esta dimensão da consciência não identificada uma única vez, você se transformará. E mesmo que você se identifique, esta mesma consciência se manifestará e você rapidamente se centrará novamente. Não se preocupe com isso.
Aquilo que parece ser real, na maioria das vezes não é. No momento em que  você identifica o que não é real, o real se apresenta por si só.
Imaginar uma coisa não significa que ela exista realmente.

Permaneça confiante e compartilhe com amigos que estão neste caminho espiritual. Esta convivência aguça o feedback da verdade em vocês, e permaneçam confiantes.

Agora vá fundo nisso. Seus pensamentos e estados emocionais obscurecem o fato de ser? Se você foca nas nuvens e dá toda realidade ás nuvens, você lamentará as nuvens para sempre. 
Volte-se para o sol, e as nuvens serão irrelevantes.
Não entre em luta com os pensamentos. Mude o foco para aquilo que já é livre dos pensamentos. É como um jato furando as nuvens, e de repente tudo está claro e aberto. Você não se liberta, você descobre através de um exame profundo que sua liberdade já é presente.
Pensamentos não são relevantes. A presença ou não dos pensamentos não faz nenhuma diferença.

Pergunta: Mas durante a tempestade, esse ir e vir de pensamentos é que me deixa louco!
John: Não caia nisso! Eu? Louco? Soa como um monte de pensamentos auto-centrados flutuando nisso que está sempre livre e claro. Veja isso agora.
Vai e volta é uma total ilusão. Isso só é assim porque todo o foco está indo para a mente. Ponha o foco na fonte real, a atenção em si mesma e o obter está terminado. Isso pode ser realizado em um momento de visão clara do que está acontecendo.
Assim, olhe até que isto seja visto e você resolverá isto para sempre.

Pergunta: Eu acho que preciso continuar olhando enquanto permanecer alguma dúvida. E ainda acontecem algumas vezes onde isso é perdido em um monte de pensamentos. Então isso se torna insuportável.
John: Sim, o foco cai nos pensamentos auto-centrados e a claridade sempre-presente fica escondida. Mas ela permanece lá. Uma vez isso seja visto, você será incapaz alimentar o que é falso. O jogo acabou. 

Questione tudo que a mente diga sobre quem você seja. 

Mantenha-se na única coisa que não pode ser questionada, o fato inegável de seu próprio Ser."
John Wheeler em Satsang

28 de dezembro de 2012

Do eu ao Ser - Yogananda

"O lugar mais amado por Deus é o templo interior de silêncio e paz de Seus devotos.
Sempre que você entrar aqui, neste lindo templo, deixe a inquietude e as preocupações para trás. Se não se despojar delas, Deus não poderá vir a você.

A unidade das várias religiões só poderá se concretizar quando seus praticantes tornarem-se realmente conscientes de Deus dentro de si mesmos. Teremos, então, uma verdadeira fraternidade de homens sob a Paternidade de Deus.

Não é pela concentração em dogmas que poderemos alcançar Deus, e sim pelo verdadeiro conhecimento da alma... Para mim, não existem judeus, cristãos ou hindus; todos são meus irmãos. Eu presto adoração em qualquer templo, pois todos foram construídos em honra de meu Pai.

Precisamos das "colméias" das igrejas, mas necessitamos também encher as igrejas com o "mel" da nossa Auto-realização... Frequentar a igreja é bom, mas a meditação diária é ainda melhor.
O que toda religião deveria dar a seus seguidores é a percepção da Verdade, a experiência de Deus - e não meros dogmas.
Quem não dedica tempo à sua religião não pode esperar conhecer, de uma hora para outra, tudo sobre Deus e o além. Geralmente, as pessoas não se esforçam ou, se o fazem o esforço não é bastante profundo e sincero...
Lembre-se: se você não encontra Deus é porque não está se empenhando bastante na meditação.

A verdadeira prática da religião consiste em sentar-se quieto, em meditação, e conversar com Deus... A maioria dos frequentadores de igrejas não consegue ficar sentada quieta por uma hora, a não ser que alguma atividade esteja ocorrendo o tempo todo, para distrair suas mentes.

Os que pensam em Deus brilham pouco, mas não são capazes de dar luz ao mundo. Pessoas religiosas comuns são como estrelas, emitindo apenas uma débil luz.
Quem não está disposto a renunciar a tudo o que possui para encontrar Deus não O conhecerá. Quem pretende conhecer Deus deve ser capaz de abandonar tudo o mais por Ele.
Não há forma de serviço maior que falar de Deus. Se você convencer alguém de que o caminho do erro leva ao vale da morte e que o caminho da meditação, à vida eterna, terá dado algo mais valioso do que um milhão de dólares. O dinheiro é perecível, mas a realização divina nos acompanhará além dos portais do túmulo.


Para quem se comporta mal, o Ser é um inimigo. Ajude o Ser e Ele o salvará. Não há outro salvador, além do seu Ser.
Ser iogue é meditar. Assim que acorda de manhã, o iogue não pensa primeiro em alimentar o corpo; ele nutre a alma com a ambrósia da comunhão com Deus. Saciado com a inspiração que sua mente encontrou, ao mergulhar profundamente na meditação, está apto para cumprir com êxito todos os deveres do dia.

Ao analisar o que você é, tenha o firme desejo de eliminar suas fraquezas transformar-se no que deveria ser. Não se permita desanimar com imperfeições que são comumente reveladas através de uma auto-análise sincera.
Que o homem eleve o eu pelo eu; que o eu não se degrade. Para aquele cujo eu foi conquistado pelo Ser, o Ser é o amigo do eu; mas, em verdade, o Ser comporta-se de maneira hostil, como um inimigo, para com o eu que não foi subjugado.


Você agora está limitado; quando, porém, pela meditação diária e profunda, puder transferir sua consciência do finito para o Infinito, será livre. Você não se destina a ser prisioneiro do corpo. Você é filho de Deus e deve viver à altura dessa herança divina.
As pessoas mundanas buscam as dádivas de Deus, mas o sábio busca o próprio Doador.

Nosso empenho deve ser não apenas adquirir segurança financeira e boa saúde, mas procurar o significado da vida. A vida: de que se trata?... Quando pensamos com suficiente profundidade, encontramos uma resposta em nosso interior. Esta é uma forma de prece atendida.
Não deixe que ninguém o chame de pecador.
Que importância tem o que você foi ontem?
Você é filho de Deus, agora e sempre."

Yogananda em O Filho de Deus

27 de dezembro de 2012

Sobre o Amor e a posse - Osho

"Somente após brahmacharya, quando você alcançou a realização, você possui o mundo sem possui-lo. Mas aos poucos você precisa treinar a si mesmo para a não-possessão.

Não seja possessivo, pois sempre quando você fica possessivo você simplesmente demonstra que você é um mendigo. Sempre quando você tenta possuir, você simplesmente demonstra que você não possui; do contrário não há nenhum esforço. Você é um mestre. Não há nenhuma necessidade de tentar para isso.

Por exemplo, se você ama uma pessoa: se você tentar possuir a pessoa, então você não a ama. Você também não tem certeza do amor dela. É por isso que você cria todas as medidas de segurança, cercando-a de todo truque, pela esperteza, pela argúcia, para que ela não lhe deixe. 

Porém você está matando o amor.

Amor é liberdade, amor dá liberdade, amor vive na liberdade. 
Amor é, no seu núcleo intrínseco, liberdade. Você irá destruir a coisa toda.
Se você realmente ama, não há nenhuma necessidade de possuir; você possui tão profundamente, qual é a necessidade? Você não reivindica; uma reivindicação parecerá superficial. 
Quando você realmente possui, você torna-se não-possessivo. Contudo a pessoa precisa treinar a si mesma, estar atenta. Não tente possuir coisa alguma. No máximo use-a, e seja agradecido que lhe foi
permitido usar, mas não possua.
Possessão é uma mesquinhez; e um ser mesquinho não pode florescer. 
Um ser mesquinho está sempre numa constipação espiritual, enfermo. Você tem que se abrir, compartilhar. Compartilhar seja o que for que você tenha e isso irá crescer; compartilhe mais e isso cresce mais. 

Continue dando, e você é continuamente recarregado. A fonte é eterna; não seja avarento. O que quer que seja – amor, sabedoria...seja o que for, compartilhe.
Compartilhar é o significado da não-possessibilidade.

Mas você pode ser tolo, como muitas pessoas são. Elas pensam, “Deixe a casa, vá para a floresta, pois como você pode viver numa casa se você não possui?”

Você pode viver na casa; não há nenhuma necessidade de possui-la. Você estará vivendo na floresta. Você irá possuir a floresta? Dirá você, “Agora sou o senhor desta floresta?” Se você puder viver na floresta sem possui-la, qual é o problema?
Porque você não pode viver na casa e na loja sem possui-la? Pessoas tolas dizem, “Deixe sua esposa, seus filhos. Fuja, pois não-possessibilidade é para ser praticada”. Eles são estúpidos.

Para onde você irá? Onde você for, sua possessibilidade estará com você. Não fará qualquer diferença. Onde você estiver, apenas compreenda e abandone possessibilidade. Nada está errado com sua esposa – não diga minha esposa. Basta largaro “minha”. Nada de errado com seus filhos – são lindas crianças, crianças do divino. A você foi dado uma oportunidade para servir e amar a eles: use-a, mas não diga “meu”. Eles vieram através de você, mas eles não lhe pertencem. Eles pertencem ao futuro; eles pertencem ao todo. 

Você foi uma passagem, um veículo, porém você não é o dono.Então qual é a necessidade de fugir para
algum lugar? Esteja onde quer que aconteça você estar. Esteja onde a existência lhe colocou e viva numa não-possessibilidade, e de repente você começará a florescer.

Energias estarão fluindo, você não será um fenômeno bloqueado, você se tornará um fluxo. E fluxo é belo. Viver bloqueado e congelado é ser feio e morto.
Estas cinco auto-disciplinas internas são o requerimento básico “... independente de classe, lugar, tempo, ou circunstâncias”. Se você nasceu hoje ou você nasceu cinco mil anos passados não faz nenhuma diferença.
Existem pregadores na Índia que dizem, “Nesse kali yuga você não pode tornar-se iluminado”. Patanjali diz, “...independente de classe, lugar, tempo, ou circunstâncias”.

Você pode tornar-se iluminado onde quer que você esteja. Tempo não importa. 
É consciência que importa. Lugar não importa. 

Esteja você nos Himalaia ou no mercado isso não importa. Circunstâncias não importam – seja você um grahasta, uma dona de casa, ou uma pessoa que renunciou a tudo, não. 
Classe não importa – seja você rico ou pobre, educado ou analfabeto, brâmane ou um sudra, Hindu ou um Maometano, Cristão ou um Judeu. 

Nada importa, pois bem no fundo vocês são um.
Na circunferência pode haver diferenças, mas é só na circunferência; o centro permanece intocado.
Alcance a pureza do centro. Essa é a meta."

Yoga: the Alpha and Omega

26 de dezembro de 2012

Iluminação Silenciosa...

"Silenciosa e serenamente, todas as palavras são esquecidas;
Clara e vividamente, ela aparece diante de você.
Quando é realizada, o tempo não tem limites;
Quando é experienciada, seus arredores vêm à vida.
Singularmente iluminadora é esta consciência brilhante,
Cheia de maravilhas é a iluminação pura.


A aparência da lua, um rio de estrelas,
Pinheiros vestidos de neve, nuvens flutuando sobre os picos das montanhas.
Na escuridão, resplandece com o brilho;
Nas sombras, brilha com uma luz esplêndida.
Como o sonho de um grou voando no espaço vazio,

Como a água clara e calma de um lago de outono,
Éons infinitos dissolvem-se no nada,
Cada um indistinguível do outro.

Nesta iluminação, todo esforço é esquecido;
Onde esta maravilha existe?
O brilho e a claridade dissipam a confusão
Sobre o caminho da iluminação silenciosa,
A origem do infinitesimal.
Para penetrar o extremamente pequeno,
Há a naveta de ouro sobre um tear de jade.
Sujeito e objeto influenciam um ao outro;
Luz e escuridão são mutuamente dependentes.
Não há mente nem mundo sobre os quais confiar,
Mas os dois interagem mutuamente.

Beba o remédio das visões corretas;
Bata no tambor sujo de veneno.
Quando o silêncio e a iluminação estão completos,
Matar e trazer à vida são escolhas que faço.
Por último, através da porta, emerge-se;
O fruto amadureceu sobre um galho.
Apenas este silêncio é o ensinamento último;
Apenas esta iluminação é a resposta universal.
A resposta é sem esforço;

O ensinamento não é escutado com os ouvidos.
Através do universo, todas as coisas
Emitem luz e falam o Dharma.
Testemunhem umas às outras,
Respondendo as perguntas umas das outras.
Respondendo e testemunhando mutuamente,
Respondendo em perfeita harmonia.
Quando a iluminação é sem serenidade,
Então distinções são vistas.
Testemunhando e respondendo mutuamente,
Dando surgimento a desarmonia.
Se, dentro da serenidade, a iluminação for perdida,
Tudo se tornará desperdiçador e secundário.

Quando a iluminação silenciosa estiver completa,
O lótus desabrochará, o sonhador despertará.
Os cem rios fluem para o oceano,
As mil montanhas encaram o pico mais elevado.
Como o ganso que prefere leite a água,
Como a abelha ocupada juntando pólen,
Quando a iluminação silenciosa alcança o absoluto,
Carrego a tradição original de minha escola.
Esta prática é chamada iluminação silenciosa;
Penetra desde o mais profundo até o mais elevado."
The poetry of enlightenment: Poems por ancient Ch'an masters. 

23 de dezembro de 2012

Natal...

Natal...
Nasce o Encanto
A Pureza
A Paz,
Nasce a Simplicidade
A Cumplicidade
A Comunhão...

Nasce em um menino toda a Luz,
Consciência
Perdão
Nasce a Sinceridade
a Cura 
e a Compaixão...

Natal é o reconhecimento da Unidade
Nossa grande Família Universal
Beleza ímpar
de se viver sem fronteiras
Eternidade...

Bebemos da mesma Fonte
Cantamos e dançamos a mesma canção...

Revelamos em cada momento
cada olhar, cada gesto e oração
A Beleza infinita da Criação
A Divindade 
A suprema Glória do Cristo Vivo 
Realizado
em cada um de nós..

Viver o Natal 
é deslumbrar-se com a Vida,
Amar sem medida,
Compreensão..

Natal é Nascimento,
Revelação
da Verdade Absoluta
a cada momento,
é o Reconhecimento do Amor
é a Beleza da Paz...

Feliz Natal a TODOS!!
Natal que acontece a cada batida do nosso sempiterno
coração...
Amor
Lilian


22 de dezembro de 2012

Além da individualidade - Osho

"A técnica de pensamento positivo não é uma técnica que o transforma. Ela está simplesmente reprimindo os aspectos negativos da sua personalidade. É um método de escolha. Ela não pode ajudar a consciência; ela vai contra a consciência. 

consciência é sempre algo sem escolha.

O pensamento positivo simplesmente significa forçar o negativo para o inconsciente e condicionar a mente consciente com pensamentos positivos. Mas o problema é: o inconsciente é muito mais poderoso, nove vezes mais poderoso que a mente consciente. 

Então, uma vez que uma coisa se torne inconsciente, se torna nove vezes mais poderosa do que antes. Ela pode não ser mostrada da maneira antiga mas irá encontrar novas maneiras de expressão...
E isso é danoso e perigoso também.
As idéias negativas da sua mente precisam ser liberadas, não reprimidas por idéias positivas. Você tem de criar uma consciência que não é nem positiva nem negativa. Isso será a consciência pura. Neste puro estado de consciência, você viverá a vida mais natural e plena de felicidade...
O pensamento positivo é simplesmente a filosofia da hipocrisia - para lhe dar o nome correto.(...)

Você tem que entender que não tem apenas este corpo de carne, ossos e sangue, não apenas este cérebro que é parte do corpo. 
Por trás do cérebro, você tem uma mente - que a mente é abstrata - e, por trás do corpo, você tem um corpo astral. 
A palavra "astral" vem de estrelas; ela significa luz... Ao invés de carne e ossos, um corpo somente de luz. Este corpo de luz, o corpo astral, tem a mente dentro de si.

Quando você morre, seu corpo físico e sua mente física são deixados para trás. Mas o corpo astral viaja com você, com a mente, com todas as lembranças da vida passada e do corpo, lembrando de todas as feridas e cicatrizes que acontecem no corpo físico.
Este fenômeno abstrato viaja com você; oculto dentro dele está o seu centro fundamental, existencial.
Até que você conheça o seu centro, terá que viajar continuamente de um corpo para outro
.

Você já tem viajado por milhares de vidas, juntando mais e mais memórias na sua mente astral, mais e mais memórias no seu corpo astral. Embora o seu centro não seja afetado, ele é envolto pelo corpo astral, e o corpo astral vai de um útero a outro, de um túmulo a outro. Ele é a sua individualidade; ele tem um continuum. Mas o continuum chega ao fim quando você se torna um buda.
Quando você penetra profundamente em direção ao centro, você também está rompendo o corpo astral, fazendo um caminho através da mente, além da mente, através do corpo astral e além do corpo astral, em direção ao centro do seu ser. Um vez que tenha chegado no centro do seu ser, o continuum da
individualidade pára. Agora começa a existência universal. Você não entrará num útero novamente e não será cremado numa pira funeral novamente. Agora você será um com o todo.

É claro, tudo tem um custo. Você terá de deixar o seu tão estimado amor pela individualidade. Durante milhões de anos, você tem amado a sua individualidade, mas a sua individualidade, no final das contas, é uma limitação.

Agora, dê um salto para fora do continuum e torne-se um com o todo. Você irá desaparecer exatamente como uma gota no oceano. Mas isto é a bênção essencial, tornar-se oceânico, tornar-se cósmico é o mais profundo êxtase. 
Você jamais irá se arrepender de perder a sua individualidade.

O que era a sua individualidade?
Você já pensou alguma vez?
A sua individualidade era uma prisão sutil, que o tirou de um útero, passou de um túmulo para outro útero e repetiu as mesmas coisas de novo e de novo e de novo. Esta é a razão pela qual, no oriente, eles chamam isto de ciclo de vida e morte. 

Saltar fora deste círculo é todo o propósito da meditação - sair fora deste continuum, que tem sido apenas uma profunda angústia, tortura e sofrimento, e desaparecer no céu azul.
Este desaparecimento não é a sua morte. Este desaparecimento o torna um com o todo. E ser um com o todo é a maior alegria, a maior bênção."
Osho em Krishna, the man and his Philosophy

21 de dezembro de 2012

Aniversário Ventos de Paz...

Somos Um com a vida, somos a mesma energia, o mesmo poder, a mesma dimensão.
Nascemos desse universo infinito, onde todas as possibilidades acontecem, todas se revelam, todas se tornam evidentes.

Somos a consciência particularizada em cada rosto, oportunidade única, divina, fantástica de experimentar essa infinitude e colher toda beleza, toda sabedoria e todo amor que existe aqui.

Essa graça não é uma pessoa, não sou eu, nem é você,
Essa graça é a própria vida se revelando em toda sua grandeza e diversidade em cada um de nós, em todos nós... em tudo que há...


Somos folhas dessa árvore da vida... Somos ondas desse oceano infinito...

Universos multimensionais se desdobrando, e a pura consciência podendo observar toda a beleza criativa dela mesma...acontecendo...
Somos a Totalidade auto revelada!
Somos essa grandeza de detalhes fantásticos se realizando...
Nada nos toca, nem nos diminui... Somos vastos, simplesmente por sermos Totais...
Totalidade é verdadeiramente a nossa natureza...

Hoje dia 21/12/2012 o blog Ventos de Paz completa 3 anos online!
Um tempo de luz, alegria, sabedoria, amizade, amor e muita gratidão...
Saibam que é uma alegria estar aqui todos os dias com vocês e descobrir essa beleza infinita, saborear essa delicadeza sempre nova, sempre renovada...todos os dias...
Aprofundamento e abertura em cada texto, em cada ensinamento... em cada verso...
Agradeço a todos amigos e amigas que nos seguem, e a todos os blogs e sites que nos apoiam com seu amor...
Agradeço de coração a todos que compartilham conosco essa trilha..
Trilha que é luminosa,
Amorosa,
Trilha da Consciência em cada um de nós...
Beijos no coração de cada um de vocês!

Celebremos hoje e sempre essa maravilhosa dança da Vida!!
Todo Amor, Namaste!
Lilian


20 de dezembro de 2012

O Vazio Dançante - Papaji

"Tudo que você é apegado, tudo que você ama,
Tudo que você sabe, algum dia irá embora.
Saber isso, e que o mundo é a sua mente
onde você cria, brinca, e sofre
é conhecido como discriminação.

Discrimine entre o Real e o Irreal,
O conhecido é irreal e vai ir e vir
Então fique com o Desconhecido, o Inalterável, a Verdade.

Deixe que haja PAZ e AMOR entre todos os seres do universo.
Deixe que haja PAZ, deixe que haja PAZ.
OM Shanti, Shanti, Shanti.

Ser é o que você é
Você é aquele Insondável
Onde toda experiência e conceitos aparecem.
Ser é o Momento em que não há o ir e vir.

Isto é o Coração, a Fonte, o Vazio.
Isto brilha de Si, por Si, em Si.
Ser é o que dá o sopro a Vida.
Você não precisa procurar por Isto, Isto está Aqui.

Você é Isto através do que você procura.
Você é Isto que você procura !
E Isto é Tudo o que é.
Somente o Ser é.

Você é Aquele que está cônscio
Da consciência dos objetos e idéias.
Você é Aquele que é ainda mais silencioso do que consciente.
Você é a Vida que precede o conceito de vida.

Sua natureza é silencio e isto não é alcançável,
Isto sempre é.
Você é o Vazio, a Suprema Essência:
Remova o Vazio do Vazio
Deixe somente o Vazio pois não há nada além disso.

Vazio está entre o “é” e o “não é”
E nada esta fora do Vazio então isto é Cheio.

Para ser Livre, você precisa da firme convicção
De que você é este Substrato, esta Paz, este Vazio.

Tudo emerge disso,
Baila em volta disso
E retorna para Isto.
Como o Oceano emerge numa onda para dançar,
Assim, você é este Vazio Dançante!"
Papaji em O Vazio Dançante

19 de dezembro de 2012

A flor mais rara, o Amor - Osho

"O amor é uma flor rara
O amor é uma flor rara. Ele só acontece às vezes. Milhões e milhões de pessoas vivem na falsa atitude de que amam. Elas acreditam 
que amam, mas isso é só uma crença.


O amor é uma flor rara. 
Às vezes ele acontece. É raro porque só pode acontecer quando não existe medo, nunca antes disso.

Isso significa que o amor só pode acontecer a uma pessoa profundamente espiritualizada, religiosa.
O sexo é possível para todos. A familiaridade é possível para todos. Não o amor.

Quando você não tem medo, não há o que esconder; então você pode se abrir, pode pôr abaixo todas as fronteiras. E então pode convidar o outro a tocar a sua essência.

E, lembre-se, se você deixa que alguém o toque profundamente, o outro também deixará que você o toque, pois, quando deixa que alguém o toque, você inspira confiança.

Quando você não tem medo, o medo da outra pessoa também desaparece.

No amor de vocês, o medo está sempre presente. O marido teme a mulher, a mulher teme o marido. As pessoas que se amam sempre têm modo uma da oura. Então não é amor. É só um arranjo entre duas pessoas medrosas, que 
dependem uma da outra, brigam, exploram-se, manipulam, controlam, dominam, possuem uma a outra — mas não é amor.

Se você conseguir deixar que o amor aconteça, não precisará de prece, não 
precisará de meditação, não precisará de igreja nenhuma, de templo nenhum.
Se amar, você pode se esquecer completamente de tudo, porque, por meio do amor, tudo terá acontecido a você: meditação, prece, Deus, tudo terá acontecido a você.

É isso que Jesus quis dizer quando falou que Deus é amor.
Mas o amor é difícil. O medo tem que ser superado. E é isto que é estranho, vocês têm tanto medo e, ao mesmo tempo, não têm nada a perder."
Osho em Coragem: O Prazer de Viver Perigosamente

18 de dezembro de 2012

Sobre a Felicidade - Alan Watts


"Encarada de forma tão confusa e aparentemente misteriosa, a questão da felicidade está longe da simplicidade. 
É extremamente complexa porque, de fato, é incrivelmente simples. 

Sua solução está tão próxima de nós e é tão óbvia, que nós temos a maior dificuldade em vê-la; devemos complicá-la a fim de focalizá-la e sermos capazes de discutí-la. 


Isso pode parecer um terrível paradoxo, mas diz-se que um paradoxo é apenas uma verdade de ponta-cabeça para chamar atenção. Pois há certas verdades que têm de estar de ponta-cabeça para que possam ser notadas; geralmente elas são tão simples, que deixamos de percebê-las. Nossas próprias faces são um exemplo disso. 

Nada poderia ser mais óbvio e auto-evidente do que a própria face do homem, mas muito estranhamente ele não pode vê-la de forma alguma, ao menos que ele introduza o artifício de um espelho que lhe apresenta a imagem invertida. 

A imagem que ele vê é a sua face, todavia, não é sua face; e isso é em parte um paradoxo. E eis aqui a razão de toda a nossa incerteza e ambigüidade a respeito das coisas do espírito, porque, se nossos olhos não podem se ver, tanto menos aquilo que se vê através dos olhos poderá ver a si mesmo.

Então, nós temos que encontrar algum modo de superar a dificuldade, algum meio de compreender a coisa mais óbvia do mundo, uma coisa que é geralmente negligenciada, porque nossos pensamentos e sentimentos estão sendo conduzidos por canais muito mais complicados.

Para vê-la eles têm que se rebaixar a um nível de humildade, não temeroso e prostrado, senão com a mais direta e infantil abertura de espírito. (...)
Não é de surpreender portanto, que essas mais profundas verdades do espírito freqüentemente passem despercebidas por pessoas da mais brilhante e penetrante inteligência.

Isso não quer dizer, contudo, que serão mais facilmente entendidas, pela mera falta de intelecto. Tal introspecção não vem nem com o esplendor, nem com o embotamento da mente visto que se um é iludido pelo seu próprio brilho, o outro simplesmente omite seu registro.
Para compreender simplicidade tão extraordinária, DEVE-SE APENAS ABRIR OS OLHOS DO ESPÍRITO E VER; não há segredo nisso, porque ela está diante de nós, à luz do dia, tão grande como a vida. 

Nas palavras do sábio chinês Tao-Wu, “se você a quer ver, olhe-a diretamente, mas se você tentar nela pensar, se desvanecerá”.

Portanto, quando se diz que aqueles que buscam a felicidade nunca a encontram, talvez seja mais adequado dizer que não há necessidade de procurá-la.
Como nossos próprios olhos, ela está nos acompanhando o tempo todo; mas quando nos voltamos para tentar vê-la, nós nos iludimos."
Alan Watts O Significado da Felicidade

17 de dezembro de 2012

Nem isso, nem aquilo...

Tem a pressa
tem o medo
tem a raiva
o rancor
melancolia
desespero
ambição...

Tem o tempo 
que não pára
tem a hora
e o lugar
ventania
tempestade
altas horas
e luar...

Tem as coisas
prá fazer
tem as coisas
prá comprar
tem o filho 
na escola
tem a fila 
prá pagar...

Tem a dor
tem o enjôo
tem a cólica
e o calcanhar
tem o salto
do sapato
e a mala
prá carregar...

Tem o modo 
de viver
tem o modo
de pensar
Tem o modo
de sentir
Tem o modo
de olhar...

Somos todos
muitos modos
Somos modos
pensamentos
somos frases prá
falar
e caminhos
sem lugar...

Se paramos
de buscar
Se paramos 
de correr
Se paramos 
de querer
Descobrimos
um lugar
onde os modos
não são mais
e onde 
a paz
tem seu lugar
e paramos de sofrer...

Se paramos
de lutar
encontramos
nosso lar
relaxamos 
simplesmente
e ganhamos
tanta vida
que dá prá imaginar...

Pare e veja!
Pare e sinta!
Pare e SEJA!

Pare e a Paz
acontece 
a você...

Nada a fazer...
Ser já basta Ser!

Felicidade?
É isso!! :)


16 de dezembro de 2012

Por que me sinto sempre infeliz?

Porque me sinto inferior, infeliz, sem lugar, sem amor nesse mundo?

Um dilema que a grande maioria de nós já viveu, ou ainda vive... hoje quero refletir com vocês...

Uma criança nasce, completamente entregue, confiante, relaxada, não sabe de nada, não conhece nada, e está plenamente realizada e feliz sem motivo algum.

Como pode depois de alguns anos, se transformar em uma pessoa sofrida, amarga, infeliz, como pode conter em si sentimentos de rancor, medo, culpas, vícios, desgosto, mágoas? Como isso é possível?
O que levou aquela criança tão simples, tão relaxada em si mesmo, a se transformar em alguém que perdeu toda a graça de viver, que perdeu de vista toda a leveza e beleza da vida, o que foi que aconteceu?

Nascemos puros, simples, sem ambição. Somos tão realizados em nós mesmos, não temos ódios, raivas, não temos desejos nem lembranças pesadas. Somos simplesmente o momento presente. Se temos sono, dormimos, se temos fome, comemos, se temos preguiça, descansamos, se estamos alegres, brincamos, sorrimos, e assim vivemos os dias em total 
felicidade gratuita, descondicionada.

Acumulamos tanto saber, tantos conceitos, tanto conhecimento que vamos perdendo de vista aquela pureza e simplicidade original. 
Nossa mente passa a ser tão prolixa, tão falante, tão dominadora, tão cheia de condicionantes, normas, condutas, memórias, complexos, regras, tudo aprendido, tudo isso vindo de fora, nunca foram originais de nós mesmos. 

Estes comportamentos aprendidos, são aprisionantes. Nos enchem de medos, e acabamos por nos tornar divididos entre aquilo que sentimos profundamente e que nosso coração puro aponta, e aquilo que é o "certo" que é o "conveniente" socialmente falando.

Cria-se daí uma divisão dentro de nós. 
Ficamos meio lá meio cá. Cria-se em nós um inferno. 
Sentimentos se misturam, emoções ficam confusas, não compreendemos aquilo que se passa dentro, nem aquilo que se passa fora de nós. 

Acreditamos que somos errados, porque a sociedade, a família, os sistema 
religioso, político, educacional pressionam, e nos sentimos fracos, errados, incompetentes, e vamos perdendo o brilho, e a alegria de viver. Somos cobrados, somos desafiados, somos pressionados e julgados, e condenados. Somos vítimas e algozes uns dos outros. A própria imagem que criamos de nós mesmos é negativa. Não conseguimos nos amar, nem em reconhecer a nossa beleza única, autêntica.
Percorremos tantos caminhos sem sentir o sabor do vento no rosto, sem sentir o coração batendo, sem sentir o amor manifesto a nossa volta;
Mergulhamos em uma espécie de poço sem fundo, longe da luz, longe de si mesmo....Neste estado de obscuridade vivem hoje milhões de pessoas neste mundo. 
Sobrevivem sem se dar conta de onde se perderam de si mesmas. 
Onde foi parar aquela criança linda, pura, simples, confiante, entregue e em paz que foram um dia?

Nossa verdade original permanece sempre aqui. 
Apesar de acreditarmos que ela se perdeu de nós, na verdade ela é a única 
verdade nisso tudo. 
Nossa essência jamais é perdida, ela é confundida, com uma imensidão de coisas falsas, que um dia tomamos por verdadeiras, mas nunca foram...

Nunca deixamos de ser essa verdade. 

Acreditamos em conceitos que nos falaram, em regras que nos impuseram, em normas que tentamos seguir. Acreditamos que somos errados, que somos pecadores, que somos inferiores, que não temos direito ao amor, a alegria, a felicidade.
Tudo isso são histórias que nos contaram e acreditamos sem refletir. Aceitamos e seguimos nossa vida baseada nesses conceitos mentirosos.

Se paramos para ver, e olhamos com atenção para toda essa infelicidade que querem nos "vender" todos os dias...podemos parar e compreender que a vida continua seguindo seu ritmo, o coração continua batendo, toda a natureza permanece no controle, e nós somos parte dela, somos ela na verdade, não somos estrangeiros, somos onda desse mar...

Nunca houve um "derrotado", a natureza não dá valor a ganhar ou perder. 
Todos são importantes por serem únicos, todos são jóias preciosas dessa imensa festa chamada vida. 
Se permanecemos fechados em nós mesmos, acreditando em conceitos mentirosos, criados por pessoas também infelizes, podemos...mas o sol continua brilhando lá fora todos os dias... 

Abrir nossas janelas internas é descobrir nosso próprio coração. Abrir nossas janelas internas, é descobrir a verdade do Ser em nós. Permanecemos os mesmos, imaculados de outrora. A beleza do infinito é nosso Ser.

O Ser que existe em cada um de nós, e por ser tão puro se envolve, se comove, se humilha, se desfaz de si mesmo...mas também se recompõe e se refaz, se reconstrói e se realiza... tem a infinita capacidade de se recuperar e de se desfazer das amarras...

O Ser é a divindade em nós. Nossa dimensão eterna, bela, pura, perfeita e absolutamente original, a dimensão que nasce, que emerge nesse mundo como as ondas do oceano...
Viver de passado, de conceitos, de memórias ou sonhos, é cair na armadilha das histórias da mente crítica, a causa da infelicidade. 

Voltar a atenção ao momento presente, aquilo que é real, a aquilo que somos, aquilo que se passa a nossa volta, aos pequenos e belos detalhes únicos que se apresentam sempre puros, autênticos e passageiros...isso é retomar a pureza de se viver o aqui e agora na sua totalidade.

Reconhecer nossa real natureza, retomar o momento presente de forma consciente é a cura para todos os supostos "males" que carregamos como sendo nossos. Nunca foram na verdade. 
Nossa luz que nutria cada um deles. E quando nos damos conta disso, mudamos, recuperamos a simplicidade e leveza originais, e não mais alimentaremos pensamentos, sentimentos menores que nos afastem de nós mesmos...

Felicidade não se aprende, se É! 
E é sempre PRESENTE!

Nossa grandeza, está em realizar a essência do Ser em cada um de nós, aqui e agora e permanecer alerta, consciente de que o Ser que é terno, é livre, e absolutamente realizado em Si mesmo... e isso é LIBERDADE..

Termino com uma frase luminosa de Darshan Singh Maharaj sobre isso: 
"O Supremo é como o sol. Se buscássemos Sua Luz e pudéssemos manifestá-la dentro de nós, todas as luzes tornar-se-iam desnecessárias, porque onde brilham os raios do sol, não há necessidade de lâmpadas, nem velas, nem candelabros. Não somente as luzes menores se tornam desnecessárias, mas todos os nossos problemas, tribulações e preocupações são eliminados..." 
Amor
Lilian


14 de dezembro de 2012

Aprofundando na Consciência - Nisargadatta

"Uma mente quieta é tudo o que você precisa. 

Todo o mais ocorrerá normalmente, uma vez que sua mente se (cale) aquiete.
O sol, ao surgir torna o mundo ativo, assim também, consciência de si produz mudanças na mente. 

Sob a luz de uma consciência de si calma e estável, as  energias internas acordam e perfazem milagres sem qualquer esforço de sua parte. 
A janela é a ausência da parede, e ela dá ar e luz porque ela é vazia. Seja vazio de todo conteúdo mental, de toda imaginação e esforço, e essa própria ausência de obstáculos aviará que a realidade se derrame para dentro de ti.

Aprofunde e amplie sua consciência de si mesmo e todas as bênçãos 
fluirão. Você não precisa buscar nada, tudo virá a ti de forma mais natural e sem esforço. 

Mantenha o “Eu sou” no foco da consciência, lembre-se que você é,

Assista a si mesmo incessantemente e o inconsciente fluirá para dentro do 
consciente sem qualquer esforço especial de sua parte.

Não há qualquer esforço em testemunhar. Você só compreende que é a 
testemunha, e a compreensão age. Você não precisa nada mais, lembre-se apenas que você é a testemunha. 
  
Tendo realizado que eu estou no mundo, e ainda assim alem do mundo, eu 
me tornei livre de todo desejo e medo. Eu não mais aspiro que eu deveria ser livre, eu me descubro inesperadamente livre sem o menor esforço. 
(Eu posso descrever o estado natural, supremo) somente pela negação, tal 
como incausado, independente, não relacional, incomposto, inquestionável, 
inalcançável pelo esforço. 

Mas há uma pré-condição: sinceridade de propósito. 

Todo esperar é fútil. Depender do tempo para solucionar nossos problemas é 
auto-ilusão. O futuro, deixado por si mesmo meramente repete o passado. Mudança só pode acontecer agora, nunca no futuro.  

Ação postergada é ação abandonada.Pode ser que haja outras chances para outras ações, mas o momento presente está perdido, irremediavelmente perdido. Toda preparação é para o futuro – você não pode preparar-se para o presente.

Uma vez que você realize que o corpo depende da mente, e a mente depende da consciência, e a consciência de estar alerta e não  o contrário, sua pergunta sobre esperar pela auto-realização até sua morte está respondida. Não é que você tenha que primeiro se libertar da idéia “Eu sou o corpo” e depois realizar o Ser. É absolutamente o contrário – você se agarra ao falso porque não conhece a verdade. Propósito, e não perfeição, é a pré-condição para a auto-realização. 

Virtudes e poderes vêm com a realização, não antes. 
Para a auto-realização, você precisará uma vida bem ordenada e quieta, paz 
mental e imenso propósito. Propósito não é um desejo pelos frutos das atividades de alguém. Ele é a expressão de um desvio interno do interesse para longe do falso, do não essencial, o pessoal. 

A pessoa é removida por determinação. 
Compreenda que ela deve ir e deseje que ela se vá – ela deverá ir se você 
for absolutamente claro com relação a isso. 

É o propósito que é indispensável, o fator crucial. A disciplina é um vaso e 
deve ser preenchido até a borda com o propósito, o qual é amor em ação pois nada pode ser feito sem amor.  

Você deve encontrar seu próprio caminho. 

A menos que você mesmo o encontre, ele não será seu caminho e não o 
levará a lugar algum. Determinadamente viva sua verdade como você a encontrou, aja com base no pouco que você compreendeu. É a determinação que o levará, e não a esperteza seja sua ou de outros. 

Para ser real você o deve ser real nas menores ações diárias; não deve haver nenhum artifício na busca da verdade. Tente. Um passo de cada vez é fácil. 
energia flui da honestidade, flui do propósito.

Sua primeira tarefa é ver o sofrimento em você e ao seu redor; a próxima é 
ansiar intensamente pela liberação. Sua intensidade o guiará; você não 
precisa de outro guia. 

É o absoluto em você que o leva para o absoluto além de você – absoluta verdade, amor, desprendimento são fatores decisivos na auto-realização. 
Com propósito eles podem ser alcançados."
Nisargadatta Maharaj em Excertos do Livro Eu Sou Aquilo 

Related Posts with Thumbnails