6 de dezembro de 2012

Dissolvendo as barreiras - Adyashanti

"A maioria das pessoas está num estado constante de luta consigo mesmas. 

Tremendamente sobrecarregados pelo passado e em constante antecipação do futuro, a maioria dos seres humanos raramente é capaz de estar plenamente presente, por mais do que momentos muito breves. 

A tremenda abertura e 
intimidade necessárias para se estar plenamente presente, está além da capacidade da maioria das pessoas de se sustentarem por mais de poucos momentos, antes de habitualmente se contraírem de volta à sua condição familiar de separatividade e luta, que tanto caracteriza a condição humana. 

Este constante estado de luta, se manifesta como uma relação compulsiva e viciosa, com o movimento do pensamento, da emoção e do tempo.

Há uma grande relutância em parar de lutar, porque, na ausência de luta, você de repente começa a perder seus limites e definições sobre quem você é. Para muitas pessoas isso faz surgir medo, já que elas experimentam a perda do seu familiar sentido de si. 

Lutar, é a maneira de a personalidade-ego manter sua existência. 
Quando você deixa de lutar, a identificação com a personalidade começa a 
desmoronar, e você se conscientiza de sua vacuidade e falta de limites.

A coisa mais difícil de fazer para os buscadores espirituais é parar de lutar, de 
esforçar-se, de procurar e buscar. Por que será? 
Porque na ausência de luta você não sabe quem você é; você perde suas 
fronteiras, perde a sua separatividade, perde a sua especialidade, perde o sonho que você viveu durante toda a sua vida. 
Por fim, você perde tudo quanto a sua mente criou, e desperta para quem você verdadeiramente é: a plenitude da liberdade, não limitada por quaisquer identificações, identidades ou fronteiras.

É desta liberdade de ser sem residência fixa, que a maioria da gente espiritualizada está ao mesmo tempo em busca e em fuga, porque a sua natureza sem face, não fornece nenhum ponto de referência fixo ao qual a personalidade possa se apoiar ou no qual possa buscar segurança. 

Enquanto permanecer identificado com a personalidade, você sempre estará em busca de segurança à exclusão da Verdade, e permanecerá em constante estado de luta. 

É somente quando o seu amor e anseio pela Verdade forem maiores que 
a necessidade compulsiva de segurança, que tem a personalidade que você pode começar a parar de lutar e deixar-se levar pelos braços de uma revelação florescente e contínua da Verdade e Liberdade do Ser."
Adyashanti em Satsang

2 comentários:

Related Posts with Thumbnails