31 de maio de 2010

Awakening...

O Amor é Deus...


"Jesus diz: Deus é amor.
Mas eu digo a vocês: o Amor é Deus.

'Amor' é uma palavra muito mais importante do que a palavra 'Deus'.
'Amor' tem um significado existencial.
Amor ainda permanece sem contaminação; ele ainda é virgem.
Assim, deixe-me repetir: em vez de dizer Deus é amor, diga Amor é Deus, e você estará mais próximo da verdade.
E não apenas mais próximo, você imediatamente estará ligado à verdade, porque o amor é uma experiência sua.
Ele pode não ser tão profundo ao ponto de ser tornar Deus, mas ainda assim, ouro é ouro, mesmo que não seja refinado.
O diamante é diamante mesmo que não tenha sido lapidado e polido.
O diamante pode estar perdido no meio da lama, mas, a qualquer momento, ele pode ser limpo, a lama não consegue entrar dentro do seu ser.
O amor é o seu ser.
E no momento em que usamos a palavra 'Deus', grandes controvérsias se levantam.(...)
Use a palavra 'amor', e ficam descartados: teísmo, ateísmo e todo tipo de argumentos
desnecessários.
O amor também representa o centro mais interno da própria existência.
A existência não é indiferente a você, ela não é distanciada.
Ela está envolvida com você, ela cuida de você.
Ela pode não cuidar do jeito como você queria ser cuidado, mas ainda assim, ela cuida da maneira que lhe é própria.
E a sua expectativa pode não ser verdadeiramente a sua necessidade; pode ser exatamente o oposto.
A existência de fato preenche as suas necessidades, não o que você gosta e desgosta, não o que você quer; mas as suas necessidades reais, verdadeiras e autênticas são sempre cuidadas.
A existência não pode ser indiferente a você: você é parte dela.
Ser indiferente a você significaria ser indiferente a ela mesma, o que é impossível.
A existência já teria desaparecido há muito tempo, se fosse assim. Nós somos as suas ondas.
Nós somos as flores dessa árvore de vida e existência.

O seu desejo de ser amado e o seu desejo de amar é o seu desejo mais supremo. Ele mostra algo da sua natureza básica fundamental, ele representa o seu centro mais interno, ele representa isso.
Uma vez que você entenda o amor como Deus, toda a sua visão da vida irá mudar.
Então você não irá venerar num templo ou numa igreja ou numa mesquita: então o amor será a sua veneração.
E então você não terá medo da existência, porque ela cuida de você.
O medo desaparecerá. Você não terá medo nem mesmo da morte, porque a morte só pode levar aquilo que não é mais necessário, mas ela não pode destruir você."
Osho em "Unio Mystica"

Realidade única...


"Quando o olho já não dorme, todos os sonhos param por si mesmos.
Quando o espírito nada mais diferencia, todas as coisas são uma única realidade.
Quando se fundamenta o profundo mistério da Realidade Única, esquece-se de imediato os envolvimentos externos.
Quando se compreendem todas as coisas em seu ser intrínseco, retorna-se à naturalidade espontânea."
Terceiro Patriarca Chien-Chih Seng-T´san

30 de maio de 2010

Fábula das Areias...


Um regato, vindo de sua fonte nas distantes montanhas, passando por todos os tipos e espécies de regiões, finalmente alcançou as areias do deserto.
Da mesma forma como atravessou todas as outras barreiras, tentou atravessar também esta, mas percebeu que ao entrar em contato com a areia suas águas desapareciam...
Porém estava convencido de que seu destino era atravessar o deserto, mas não havia como.
Uma voz oculta vindo do deserto sussurrou: -O vento atravessa o deserto e da mesma maneira o regato pode fazê-lo.
O regato percebeu que sempre que investia contra as areias o que obtinha era ser absorvido; mas o vento podia voar e por isso podia atravessar o deserto.

As areais lhe disseram: -Você não pode atravessr abrindo caminho de sua maneira costumeira. Você ou desaparecerá, ou se tornará um pântano. Você precisa permitir que o vento o carregue a seu destino.
- Mas como isso pode acontecer? perguntou o regato.
- Permitindo ser absorvido pelo vento, responderam as areias.
Essa idéia não era aceitável para o regato. Afinal de contas ele jamais fora absorvido antes, não queria perder sua individualidade, e uma vez perdida como saber se ela poderia ser readquirida?
-O vento, disse a areia, executa essa função; ele ergue a água, carrega-a sobre o deserto e então a deixa cair novamente; caindo como chuva a água de novo se torna um rio.
-Como posso saber se isso é verdade? retrucou o riacho.
-É assim, e se não acreditar você não pode passar de um lamaçal, e mesmo assim isso levaria muitos anos, disse a areia.
-Mas não posso permanecer o mesmo regato que sou hoje?
-Em nenhum dos casos você pode permanecer assim. Sua parte essencial é levada para longe e novamente forma um regato. Você se chama pelo que você é hoje porque não conhece qual é a sua parte essencial.

Quando ele ouviu isso, certos ecos começaram a surgir em seus pensamentos. Vagamente se lembrou de um estado no qual ele - ou seria parte dele? - foi erguido nos braços de um vento. Lembrou-se também - será mesmo? - que esta era a coisa real...

O regato ergueu seu vapor nos respectivos braços do vento que gentil e facilmente o transportaram para cima e adiante deixando-o cair suavemente tão logo eles alcançaram o topo de uma montanha muitos quilômetros além.
E porque teve suas dúvidas, o regato foi capaz de se lembrar e gravar mais fortemente em sua mente os detalhes da experiência. Ele refletiu: - Sim agora descobri minha verdadeira identidade.
O regato estava aprendendo.

Mas as areias sussurraram. - Sabemos pois vemos isto acontecer todos os dias; nós as areias, nos estendemos da margem do rio até as montanhas.
E é por isso que se diz estar escrito nas areias o caminho pelo qual o curso da vida deve continuar sua jornada...
Fábula Sufi, extraído de A sabedoria das Areias por Osho

29 de maio de 2010

Iluminação...


"Quando não existe objeto para o seu testemunhar, ele simplesmente volta-se para você - para a fonte, e esse é o ponto em que a pessoa se torna iluminada.
A iluminação é simplesmente o reconhecimento de seu ser, o reconhecimento da eternidade de seu ser, o reconhecimento de que não houve morte antes, nem haverá morte novamente - de que a morte é uma ficção.

Vendo o seu ser em sua nudez total, em sua beleza absoluta, sua grandiosidade, seu silêncio, sua bem-aventurança, seu êxtase- tudo isso está compreendido na palavra iluminação.
Uma vez que tenha experienciado esse néctar, a mente começa a perder a garra sobre você, porque você encontrou algo que é qualitativamente tão elevado, preenche tanto, um contentamento tão extraordinário, que a mente sente que a sua função terminou.

A mente parece feia, porque só lhe deu miséria, preocupação, ansiedade.
Qual tem sido a sua contribuição para você? Sua garra começa a afrouxar; ela começa a se esconder nas sombras e pouco a pouco, desaparece..."
Osho em Pepitas de Ouro

28 de maio de 2010

Verdade...


"Se você se apega aos sentidos, existe separação.
Se você olha com a sua alma, não tem separação.
Não existe separação.
Separação é uma noção nascida da ignorância da realidade - chamamos isso de "Karma".
Karma é a limitação da forma no mundo,a limitação e a expressão.
Viver o seu Karma é aceitar as coisas como são.
Você tende a "cair em tentação" e ficar preso na ilusão de Sansara, do mundo. Inconscientemente, decide ir contra os designos divinos, querendo ser o que você não é.
Sim, você pode fazer isso.
Mas dor é o que resulta disso.
Não tem como você ser o que você não é.
Você só pode ser o que é.
Encontrar o divino em si mesmo, resulta na sua liberação.
Você tem que nascer para a Verdade, em você.

Quem é você?
Você tem tamanho?
Forma? Nome?
Você nasceu em algum lugar?
Veja! Isso tem que ser olhado com olhos nus, com o coração aberto, em vulnerabilidade...sem nenhuma pré-concepção.
Todas as concepções não servem.
Jogue-as de lado!
Olha de frente e veja.
Você está fadado a ver aquilo que todos os budas viram, não existe ninguém chamado "eu" em lugar nenhum -a não ser quando você pensa.
Mas pensar não é saber.
Pensar não é ser.
Pensar é pensar.
O que existe na mente, não existe em lugar nenhum, a não ser na mente."
Por Satyaprem

27 de maio de 2010

Cobiça...

"O dinheiro é um assunto carregado, porque a psicologia do homem é cheia de cobiça. Caso contrário, o dinheiro é um simples meio de trocar as coisas, um meio perfeito; não há nada de errado nele. Mas a maneira como o fazemos parece ser totalmente errada.
Se você não tem dinheiro, você é condenado, toda a sua vida é uma maldição, e a vida inteira você fica tentando ter dinheiro por qualquer meio.

Se você tem dinheiro, isso não muda a coisa básica - você quer mais e mais, e não há fim no querer mais - embora não seja o suficiente, nunca é o suficiente, mas é mais do que tem qualquer outra pessoa - você começa a se sentir culpado, porque os meios que usou para acumular dinheiro são feio, desumanos, violentos. (...)

Isso cria dois tipos de pessoas: o que começa a fazer doações para instituições de caridade, a fim de se livrar da culpa e o que se sente tão culpado que fica louco (...)
Sua própria existência torna-se pesada. E o estranho é que ele trabalhou a vida inteira para conseguir todo esse dinheiro, porque a sociedade provoca o desejo, a ambição de ser rico, de ser poderoso.
E o dinheiro trás poder; ele pode comprar tudo, exceto aquelas poucas coisas que não podem ser compradas(...)

A meditação não pode ser comprada, nem o amor, nem a amizade, nem a gratidão podem ser compradas - mas ninguém se preocupa com essas coisas.(...)
Você tem que compreender que o vazio que você está tentando preencher, é porque você deixou de ser existencial. A existência é toda tão repleta...

Então seja existencial, flua e mova-se para mais perto da existência, em silêncio e paz, em meditação. E um dia você perceberá que está tão pleno, muitíssimo pleno, transbordando de contentamento, de êxtase, de benção. Você tem tanto que pode dar para o mundo inteiro, mesmo assim essa benção não se esgotará.
Nesse dia, pela primeira vez você não sentirá nenhuma cobiça, por dinheiro, por comida, por coisa nenhuma. Você viverá não com uma ambição que não pode ser preenchida, nem com uma ferida que não pode ser curada; você viverá com naturalidade e o que for preciso você encontrará".
Osho em Pepitas de Ouro

The OM

26 de maio de 2010

Espírito de Amor...


"É necessária uma grande capacidade para criar silêncio, solidão interior e nos tornarmos conscientes destas inspirações divinas.
Deus não grita nem empurra.
O Espírito de Deus é calmo e sereno como uma voz suave ou uma ligeira brisa.
É o espírito de amor.
Pode ser que, ainda não acreditemos perfeitamente que o Espírito de Deus é, na verdade, o Espírito de amor que nos conduz cada vez mais profundamente para o amor.

Pode ser que, ainda não confiemos no Espírito, com medo de sermos conduzidos para lugares que nos possam tirar a liberdade.
Ou, quem sabe, ainda pensamos no Espírito de Deus como um inimigo que exige de nós algo que julgamos não ser bom para nós.

Mas Deus é amor, só amor, e o Espírito de Deus é o Espírito de Amor que anseia por nos guiar para lugares onde os desejos mais profundos do nosso coração podem ser satisfeitos.
Com frequência, nem sequer nós próprios sabemos qual é o nosso mais profundo anseio.
Ficamos muito facilmente enredados pela nossa cobiça e raiva, partindo do pressuposto errado de que esses sentimentos nos comunicam o que realmente queremos.

O Espírito de amor diz: «Não tenhas receio de pôr de lado a necessidade que sentes de controlar a tua própria vida. Deixa-me preencher os verdadeiros desejos do teu coração.»
Henri Nouwen, em Aqui e Agora"

25 de maio de 2010

Liberdade...

"Quando eu digo qua a exceção do ser humano, tudo é a verdade viva - o oceano, as nuvens, as estrelas, as pedras, as flores - que tudo nada mais é que a qualidade da verdade, nada mais que ele próprio, sem máscaras, que somente o ser humano é capaz de enganar os outros, de enganar a si mesmo, deve-se lembrar que essa é uma grande oportunidade.
Não deve ser condenada, deve ser exaltada, porque, mesmo que uma roseira ou uma flor-de-lótus queiram mentir, elas não podem.
A verdade delas não é liberdade, a verdade delas é um cativeiro; elas não podem ir além de seus limites.
O ser humano tem a prerrogativa, o privilégio de não ser verdadeiro. Isso significa que o ser humano tem a liberdade de escolher. Se ele escolher ser verdadeiro, não está escolhendo o cativeiro, está escolhendo a verdade e a liberdade.

A liberdade é seu privilégio. Em toda a existência, ninguém mais tem liberdade. Mas existem perigos quando você tem oportunidades. Quando você tem liberdade, você pode errar.
Nenhuma rosa pode errar, nenhuma rocha pode errar; Você pode errar; por isso uma consciência profunda de cada ato, de cada pensamento, de cada sentimento tem de penetrar você.
Somente o ser humano necessita buscar a verdade, tudo o mais já a tem, mas a glória da liberdade não existe.Você tem de buscá-la e encontrá-la; e nesse próprio buscar e encontrar você é glorioso, você é o próprio coroamento da existência."
Osho, em Pepitas de Ouro

24 de maio de 2010

Coração...


"Esta é uma das mais belas declarações: 'Olhe para o seu coração. Siga a sua natureza'.
Buda não está dizendo, siga as escrituras.
Ele não está dizendo, siga-me.
Ele não está dizendo, siga certas regras de conduta.
Ele não está ensinando a você qualquer moralidade.
Ele não está tentando criar um certo caráter em você, porque todo caráter é uma bela cela de uma prisão.
Ele não está dando a você um certo caminho para viver.
Ao invés disso, ele está lhe dando coragem para seguir a sua própria natureza.
Ele quer que você seja corajoso o bastante para ouvir o seu próprio coração e seguir, de acordo com ele.'Siga a sua natureza' quer dizer: flua com você mesmo.
Você é a escritura... e escondido lá no fundo de você ainda está uma pequena voz.
Se você se tornar silencioso, você será guiado por ela.

O Mestre tem apenas que tornar você consciente de seu Mestre interior.
Aí a sua função estará completa. Aí ele poderá deixar você consigo mesmo, ele poderá mandar você de volta para você mesmo.
A proposta de um Mestre não é escravizar um discípulo, a proposta de um Mestre é libertá-lo, é lhe dar total liberdade. E essa é a única possibilidade de se atingir a liberdade total: 'Siga a sua natureza'.(...)
Ais Dhammo Sananatano - essa é a lei eterna e inesgotável: A sua natureza é tornar-se Deus.
O homem de caráter, o 'chamado homem de caráter', está preso. Mesmo se as circunstâncias mudarem ele segue repetindo o mesmo caráter, mesmo que não seja mais relevante, mesmo que não seja mais adequado.
O contexto no qual ele tinha um significado desapareceu, mas ele segue repetindo as mesmas tolices.
Ele é como um papagaio. Ele é uma máquina: ele não responde, ele simplesmente reage.
Um homem de consciência responde e suas respostas são espontâneas. Ele é como um espelho. Ele reflete tudo aquilo que se confronta com ele. E a partir dessa espontaneidade, a partir dessa consciência, um novo tipo de ação surge. Essa ação nunca cria qualquer escravidão, qualquer carma. Essa ação liberta você. Você alcança a liberdade se você ouvir a sua natureza.
Mas esse simples conselho parece ser muito difícil para as pessoas.
Ele deveria ser a coisa mais simples do mundo. Cada criança nasce seguindo sua natureza, mas na medida em que você cresce, pouco a pouco você vai perdendo o contato com ela.
Você é forçado a perder o contato com ela. O contato pode ser recuperado, ele pode ser redescoberto.(...)

O Mestre verdadeiro cria o descontentamento em você, um tal descontentamento que nada neste mundo poderá satisfazê-lo.
Ele cria um tal anseio em você, que a não ser que você alcance o máximo, você irá permanecer sem fogo, sem chama.
Ele cria dor em seu coração, ele cria angústia...porque a vida está escorregando a todo momento, e cada momento que se foi, se foi para sempre, e você ainda não alcançou Deus e mais um dia já se passou.
Ele cria um tal anseio profundo em você, uma tal dor em seu coração!
Ele cria lágrimas em seus olhos, porque somente através desse divino descontentamento, você irá se mover, você dará o salto quântico, o salto maior em direção ao desconhecido.
Somente através desse divino descontentamento é que você reunirá todas as suas energias e se arriscará, indo até a aventura maior que é descobrir quem você é."
Osho em The Book of the Books Vol 1

23 de maio de 2010

Consciência...


"A Consciência resplandecendo em você está sempre brilhando,
Ela nunca dorme.
Assim, quando o seu corpo está 'dormindo', mas o pensar continua ativo durante o estado de sonho, a Consciência resplandece nos pensamentos-sonho, emprestando sua realidade a eles, fazendo, dessa forma,o sonho parecer real.
Qualquer coisa a que a Consciência empreste a sua realidade, ganha a ilusão de ter vida - sejam os seus pensamentos durante o estado de sonho ou os seus pensamentos durante o seu estado 'acordado'.
A Consciência Universal é a ÚNICA fonte de realidade e percepção que existe.
Tudo o mais apenas pega emprestada a sua realidade da Consciência Universal, mais ou menos como a lua à noite parece ter brilho próprio, quando na verdade sua luminosidade vem do sol.
Uma outra coisa sobre os sonhos, é que todos os personagens do sonho PARECEM absolutamente separados no sonho, mas ainda assim você sabe que eles todos de fato vêm de UM sonhador, e são, portanto, UM só.
Entretanto, se alguém chegasse para a sua 'persona onírica' durante um seu sonho, e lhe dissesse que todos no sonho eram de fato apenas UM, você pensaria que esse alguém estava louco. Portanto, mesmo nos sonhos, as crenças incorretas distorcem a realidade.
E não pense que os pensamentos, que criam essa distorção da realidade durante seus sonhos, param de fazer seus "truques" quando você "acorda" - eles estão criando a mesma distorção da realidade AGORA MESMO.
Aquele prédio está fora de você. Aquele carro está fora de você. Aquela cadeira está fora de você. Suas roupas estão fora de você. O seu corpo está fora de você. A sua visão física está fora de você. Sua audição está fora de você. Todos os sentidos estão fora de você.
Seus pensamentos estão fora de você. Suas emoções estão fora de você. Sua imaginação está fora de você. QUALQUER COISA que possa ser experienciada está fora de você.
Você é o que está PERCEBENDO tudo isso.
Você é a pura PERCEPÇÃO.
Você é a Consciência que simplesmente é, a pura Consciência que está percebendo tudo simplesmente como é. Uma câmera de video não faz julgamentos ou exclui coisas daquilo que está "vendo", ela simplesmete "vê" todas as coisas como elas são.
É o pensamento que faz mudanças "no que é", e altera o puro perceber.

A PERCEPÇÃO é a Consciência Universal que está testemunhando (isto é, tomando cosciência, percebendo) tudo em "você" agora mesmo, NESTE INSTANTE.
Um outro nome para a PERCPÇÃO é a CONSCIÊNCIA USUAL DE TODO DIA.
Esta PERCEPÇÃO ou CONSCIÊNCIA USUAL DE TODO DIA não é NADA NOVO, sempre esteve onde está. Está aqui neste mesmo instante, você não poderia ter consciência de coisa alguma sem ela. Está aqui TODO o tempo, você a conhece tão bem... é o que testemunha cada pensamento, cada emoção, sonho, sensação, etc, em "você".
E é esta PERCEPÇÃO que é o você eterno... nunca nasceu e não pode morrer nunca.
É o você REAL."
Texto Anônimo - extraído de: www.ninuenlune.blogspot.com

22 de maio de 2010

Conexões...

"Cada discípulo está conectado com o mestre em sua capacidade individual.Um mestre pode ser conectado com milhões de discípulos, mas a conexão é pessoal, não organizacional."Osho

Essa pequena frase do amado mestre, me dispertou a reflexão disso que nós chamamos de Conexões...
No mundo que vivemos estamos diariamente em contato com muitas pessoas, ambientes, energias das mais diversas...mas as conexões que fazemos são mais profundas...elas permeiam um sentir, um interagir que vai além das aparências, vai além das palavras e das ações vividas e vivenciadas, mesmo que juntos...
A interação energética entre duas ou mais pessoas, é algo que intriga os estudiosos das relações humanas, isso há muito tempo, alguns cientistas, psicólogos, psicanalistas enfim...entraram nessa vertente e buscaram compreender o que se passa, o que desencadeia uma interação energética vibracional e relacional entre duas pessoas, e entre outras nem aconteça ou aconteça de forma fraca ou quase imperceptível.

Todo organismo vivo, cria ao seu redor um campo de energia, de bio-energia, chamado no Oriente de aura, no ocidente de campo bioelétrico, campo energético, enfim... esse campo é uma emanação vibracional de tudo que o organismo está vivendo, passando, pensando, sentindo naquele exato momento...

Algumas pessoas dotadas de capacidades mediúnicas, vêem esses campos energéticos como cores e formas vibrando em volta dos corpos e por tal percebem se existe algum distúrbio, alguma complicação no organismo e de que natureza se trata, se física, emocional, mental e até mesmo espiritual. A fotografia Kirlian, nos mostra o grau e a qualidade da vibração que emerge do que os cientistas chamam de ectoplasma biológico, que está constantemente sendo emitido por nossos corpos, e revela o estado de saúde/enfermidade que estamos no momento.

Com isso, percebemos que o campo criado por nós mesmos, momento a momento, cria uma aura a nossa volta, que dizem pode chegar a 3 metros de diâmetro, é basicamente a distância entre uma mão e a outra se ficarmos de braços abertos. Esse campo está interagindo constantemente com tudo que encontramos pelo caminho...seja animal, vegetal, mineral...pessoas, lugares, coisas enfim...Lembremos apenas que tudo que existe emite também o seu campo energético. Cada planta, animal, minerais...tudo emite seu próprio campo...daí a interação ser constante...mesmo que nem nos demos conta disso...

No caso das conexões, como nos fala mestre Osho, cada uma é única...intrasferível e absolutamente inédita !! Podemos conectar com uma infinidade de coisas e pessoas, e temos certeza de que cada uma é uma nota única nessa melodia divina...

Essa maravilha que aos poucos vai sendo revelada pela ciência, os místicos do Oriente já conhecem e utilizam a milhares de anos, e provam que o foco dessa campo que emanamos está diretamente ligado a nossa consciência...ela como fonte criativa, é a nota fundamental do que somos na verdade...

Se estamos aprisionados na mente, nosso campo energético terá uma qualidade. Se estamos aprisionados na matéria, nosso campo terá uma outra qualidade. Se tomamos consciência da divindade, da manifestação divina e entramos no aberto... emitimos uma qualidade diferente de vibração.Uma amizade surge de uma qualidade energética, uma parceria de trabalho, outra, um amor, uma paixão, já de outra qualidade...cada relação tem uma cor, uma melodia...essa é a beleza da existência...
Uma infinitude de cores, sinfonias, melodias e vibrações que se completam, se sobrepõe, se harmonizam...e daí geram toda uma gama infinita de relações que estão muito além das explicações... Graças a Deus !!!
Amor
Lilian

21 de maio de 2010

Yogananda...


"Venho para falar Dele a todos, de como guardá-lo no peito

E da disciplina que atrai Sua graça. A ti, que me pediste guiar-te à presença do meu Bem-amado,

Com minha silenciosa mente te advertirei, ou falarei contigo, através de um doce e expressivo olhar,

Sussurrarei baixinho com a voz do meu amor, ou te alertarei em voz alta quando te afastares Dele.

Mas quando eu me tornar apenas uma lembrança, ou imagem mental, ou voz silenciosa,

Quando nenhum apelo terrestre revelar meu paradeiro no espaço insondável, quando nenhuma leve súplica ou ordem severa trouxer de mim uma resposta,

Sorrirei na tua mente quando estiveres certo, e quando errares, chorarei através de meus olhos, fitando-te veladamente na escuridão.

E chorarei através de teus olhos talvez; E murmurarei através de tua consciência,

E raciocinarei contigo usando da tua razão, e amarei todos através do teu amor.

Quando não mais puderes me falar, lê meus "Sussurros da Eternidade"; Por meio deles, falarei contigo eternamente. Incógnito, andarei a teu lado protegendo-te com braços invisíveis.

E assim que conheceres o meu Bem-amado e ouvires a Sua voz no silêncio, reconhecer-me-ás novamente, mais tangível do que me conheceste na Terra.

Mas quando eu for somente um sonho para ti, voltarei para te lembrar que também não passas de um sonho do meu Bem-amado Celestial.

E quando souberes que és um sonho, como agora eu sei, estaremos despertos Nele para sempre."

Paramahansa Yogananda - "Quando eu for somente um Sonho".

20 de maio de 2010

Mith & Deva...

Leela...


"Você tem que viver no mundo, mas você precisa ter o mundo apenas como um grande teatro. Sou contra renunciar ao mundo.
Você não tem que fugir do mundo, você precisa viver nele, mas de uma maneira totalmente diferente.
Não o leve muito a sério, leve-o muito despreocupadamente, como uma piada cósmica.
Ele é uma piada cósmica.
No Oriente o chamamos de brincadeira de Deus. (Leela)
Se é uma brincadeira de Deus então somos apenas atores nela e ninguém leva a representação a sério.
Você pode ser um rei no drama, mas você não leva isso a sério.
Quando a cortina cai, você esquece tudo sobre ser um rei; isso não vai para sua cabeça.
Se você for rico, não deixe isso ir para sua cabeça, ou se você for pobre, não leve isso a sério. Estamos todos representando papéis; represente-os tão belamente quanto possível, porém lembre-se continuadamente que tudo isso é um jogo.
E quando a morte chegar, a última cortina cai.
Depois todos os atores desaparecem.
Todos eles desaparecem numa energia universal.
Se pudéssemos viver no mundo lembrando disso, estaríamos totalmente livres de toda miséria. Sofrimento é uma conseqüência de se levar as coisas a sério e alegria é uma conseqüência de se levar as coisas de maneira leve.
Leve a vida de modo divertido.
Desfrute-a."
Osho em Meditações para a Noite

19 de maio de 2010

Coríntios 13...


"Mesmo que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.
E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;

Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
O amor nunca falha; profecias, serão aniquiladas; as línguas, cessarão; a ciência, desaparecerá;
Porque, em parte, conhecemos e em parte profetizamos;
Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.
Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, pensava como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.
Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três,
Mas o maior destes é o amor..."
Carta de São Paulo aos Coríntios 13

17 de maio de 2010

Sonho...

Sonhar não custa nada,
Já ouvimos todos essa frase,
Sonhar é Ser nesse Universo... sonhado
Nebuloso e claro,
Indefinido e nítido,
Tudo e Nada,
Mas ainda um sonho,
Divino sonho,
Mas um sonho ainda...
Acordar do sonho é Ser,
Ser ainda no sonho, mas acordado...
Paradoxo complexo...é verdade
Não saímos do sonho,
Mas o sonho sai de nós...

Um sonhar acordado é Viver
É Ser como um raio de luar, uma flor, um sopro
Existimos no sonho,
Mas em nós já não existe o querer,
Em nós existe apenas o existir...enquanto for...
O que o sonho sonhar...seremos
O que o sonhador criar em seu sonho, diremos apenas: sim.

Sonhar não custa nada,
Somos sonhados e nem nos damos conta disso
Olhar-se no espelho é ser reflexo
Olhar a volta é ser paisagem,
Onde quem dança, é dançado,
Quem fala é falado,
Quem ama é amado..

Acordar do sonho é o próprio sonho que acorda...
Ninguém mais...

Mooji..


“Este ‘eu’ pessoal, o “me”, é como um dedo quebrado: em qualquer lugar que for, ele causará problemas; tudo que ele toca, dói.
Este quem está identificado com este ‘eu’ pensa que qualquer coisa que aconteça em sua vida é causado pelo meio que o cerca, incluindo as pessoas ao redor.
Ele dirá: ‘Os outros me causaram dor’, ‘minha circunstância de vida, 'sou responsável'.
É interminável.
Outros poucos vêem isso como uma oportunidade, ou se interessam por encontrar a fonte de todos os problemas, de todo o seu sofrimento.
‘Eu’ é a causa dos seus problemas. Justamente por você ter feito um ninho dentro do sentimento pessoal do ‘eu’ que você está apegado é por que você está sofrendo.
Não conserte sua vida. Encontre este ‘eu’ e veja o que acontece.
...
Por que você diz ‘eu quero ser livre?’ Eu compreendo esta contenda e este sentimento que profundamente o tocou. Então, vamos averiguar e ver se nós podemos determinar qual é realmente o problema. O que nós iremos remover é a convicção de que tudo não está bem.
E quando nós vamos verificar para descobrir o por quê, nós iremos compreender que você está identificado com a morte.
Você está se identificando com algo que não dura, que não tem longevidade.
Você se apaixonou pelo tempo. Você se apaixonou pelos objetos, pelas ideias que estão em transição. É assim que todo o problema começa. E como a confusão entra no Ser.”
...
Quem está por detrás de toda manifestação? Olhe, e você descobrirá que tudo acontece por si mesmo! Quando você vê isso, então sua consciência se torna desocupada. Até então, o seu Ser está ocupado com um sentimento de ‘Fazedor’ (realizador), ‘eu preciso fazer alguma coisa, eu preciso entender.
...
Esforço é requisitado para tornar-se, mas que esforço é requisitado a ser?
Então, deixe tudo como deve ser deixado; testemunhe a Existência espontânea.
Isto não é caótico. Seja o que acontecer, aconteça, e isso faz muito bem.
O suposto patrão – a mente – está causando um monte de problemas.
E não, nós não somente demitimos o patrão, como também desistimos da firma! Veja se o Universo não pára.
...
Muitos de vocês não estão aproveitando o creme da vida, porque vocês têm comprado a versão da mente de como as coisas deveriam ser.
A idéia cortou seu vínculo com a Fonte do seu Eu Real, e não mais flui.
O resultado é desarmonia e sofrimento. Você é o Eu Real, o Absoluto, expressando-se espontaneamente, mas você não sabe disso. Você não precisa nem acreditar nisso! Você pensa: ‘O que irá acontecer se eu desistir do controle? Meu mundo desabará a meus pés!’
...
O estado natural da mente é ficar em silêncio, vazio, aberto.
Não existe nenhuma intenção! Se você pensa que precisa praticar silêncio, encontrar silêncio, manter silêncio, então você tem mal entendido.
Tudo isto, o Universo inteiro, está acontecendo em Silêncio! Não é nada sobre sair correndo para achar algum silêncio.
É reconhecer o Silêncio que não pode ser perturbado aonde você se encontrar, independente da circunstância, da altura do ruído."
...
“Sentir travado, parado, estagnado é simplesmente um pensamento em que se acredita nele. Remova a crença e a estagnação desaparece.
Se um espaço for mantido na escuridão por milhares de anos, quando a janela se abrir –Levará milhares de anos para a escuridão desaparecer? Da mesma forma, em um instante, a Luz da Verdade expele a escuridão da ignorância.”
...
“Você está imaginando que tem estudado e o que está dentro de sua cabeça é o que você sabe. Mas é somente o que você pensa. Apenas o que é confirmado dentro do seu Coração é o real Conhecimento, e o mais alto conhecimento e experiência é:‘ Eu Sou nada’.”
...
“Caminhe pela luz do seu Coração.
O fluxo de cada rio é único.
Eu estou além do rio e do fluxo.
Eu sou a Consciência Livre (Sem Fronteiras).”
Mooji em Reconheça sua Natureza

16 de maio de 2010

Tao...


"Vem comigo à terra do não agir...
O que diríamos lá?
Que o Tao é a simplicidade, a paz, a indiferença, a natureza, a harmonia e a tranqüilidade.
Mas todos estes nomes são indiferentes pois suas distinções desaparecem, lá.
Lá minha vontade não tem alvo - se não está em parte nenhuma, como me aperceberei dela?
Se ela vai e volta....
Onde repousa, se vagueia ora aqui e ora ali?
Não se sabe onde termina.
O saber mais elevado é ilimitado.
O que concebe as coisas à razão de ser, não pode limitar-se pelas coisas.
Ou seja, é coisa nenhuma.
Assim, quando falamos em limites ficamos presos às coisas delimitadas.
O limite do ilimitado se chama plenitude.
O ilimitado do ilimitado é chamado de vazio.
O Tao é a ponte entre ambos, mas não é - em si - nem plenitude, nem vazio.
O Tao produz tanto a renovação quanto o desgaste.
Mas a maioria das pessoas entaladas no cartesianismo só querem o Tao como renovação, e não como desgaste.
Isso é impróprio, irreal.
O Tao não é nem a renovação, nem o desgaste.
Embora a renovação e o desgaste apareçam nele.
O Tao produz o Ser e o não-ser, mas não é nem um, nem outro.
O Tao congrega e destrói, mas não é nem a totalidade, nem o vácuo.
Tem pessoas que dizem: "Se a Consciência é tudo, então esse corpo também é Consciência".
E eu digo: sim, é, mas não é.
Eu não entendo Chuang Tsu.
Chuang Tsu sou eu.
Isso é Tao. "
Chuang Tsu é o Tao por Satyaprem

15 de maio de 2010

Inter-ser...

Amor...


"O amor de verdade não é uma fuga da solidão, o amor de verdade é uma solitude abundante. A pessoa está tão feliz em ficar sozinha que tem vontade de compartilhar. A felicidade sempre quer compartilhar. Ela é excessiva, não pode se conter, como a flor não pode conter sua fragrância - ela tem que se espalhar pelo ar.

O amor é um subproduto da liberdade. É a alegria transbordante de liberdade, é a fragrância da liberdade.

Primeiro é preciso que haja liberdade para que depois haja o amor.(...)

Cada pessoa é um mistério infinito, inextinguível, inescrutável, que não é possível que um dia você diga: "Eu conheço essa pessoa". O máximo que você pode dizer é: " Eu dei o melhor de mim, mas o mistério continua um mistério". Na verdade, quanto mais você conhece, mais misterioso outro fica. É por isso que o amor é uma constante aventura.

Como é possível conhece o outro? Você pode amar e, através do amor, esse milagre acontece. Se amar o outro, uma grande compreensão surge naturalmente. Não que tente compreender o outro: você simplesmente ama o outro como ele é, sem julgamentos.

Viva e ame. E ame total e intensamente - mas sem nunca ir contra a liberdade. A liberdade deve continuar sendo um valor supremo".
Osho em Faça seu Coração Vibrar

14 de maio de 2010

Medo X Raiva...


Entre o medo e a raiva...o que nos resta?
Nenhum dos dois...
Estava lendo outro dia um artigo de um grande amigo, que refletia sobre essas duas emoções tão básicas,
Contração - medo, Expansão- raiva, Fuga- medo, Luta-raiva;
Quando paramos e refletimos sobre esses dois aspectos que caminham conosco por toda vida, percebemos que se trata da mesma energia, que ora se contrai, e se volta para a auto preservação, e ora se expande e vai a luta, compete, briga, explode...mas trata-se da mesma energia..
Existem inclusive algumas técnicas terapêuticas em que é possível se transformar a emoção do medo em raiva e vice-versa, se apenas mudamos o ritmo da nossa respiração...
Esses dois aspectos emocionais são na verdade frutos de uma consciência que percebe a vida, o mundo, a realidade sob o prisma da competição, da dualidade, das diferenças...
Se somos todos diferentes, separados, e estamos na luta pela sobrevivencia, pelo espaço, pelo dinheiro, pelo trabalho, enfim, somos competidores em um ringue de luta e combate, é claro que a raiva e o medo são absolutamente necessários...afinal estamos uns contra os outros...

Mas o verdadeiro salto de consciência é quando nos damos conta de que na verdade não estamos em luta uns contra os outros, na verdade somos todos um, e que apesar das nossas "diferenças" são meramente aparentes, não são diferenças reais...somos todos aspectos de uma consciência única que emerge em infinitas aparências, formas, manifestações, mas ainda permanece a mesma e única consciência...que é o que somos de fato...consciência, apenas isso....
Juntamente com essa consciência una, fica claro de que nunca fomos separados, nada nunca foi separado de nada, pois isso é impossível de se dar, já que não temos autonomia, somos todos absolutamente inter-dependentes...respiramos o mesmo ar; habitamos o mesmo planeta; temos basicamente as mesmas necessidades; realmente precisamos uns dos outros...enfim...

Olhar para a criação, para a existência, e ver o Todo em cada detalhe, cada ser, cada um de nós representa uma única, original, e sempre nova criação da existência, de Deus...
Na superfície somos bem diferentes...aliás a superfície é mesmo feita para ser diferente....mas na essência, em profundidade somos todos a mesma e única manifestação...sempre...

Então aonde ficamos com a nossa raiva e nosso medo?
Fica claro que ultrapassando as barreiras mentais das diferenças, residência do medo e da raiva....como disse no início nenhum dos dois...rs
O que encontramos nas profundezas do nosso Ser e de todos os seres? Apenas a serenidade e a paz...a ausência de conflitos, e a total compreensão de que somos todos o mesmo corpo, o mesmo Espírito, a mesma consciência, e que a existência acontece em nós, e através de nós, estamos na dimesão Búdica, Crística que é a nossa natureza verdadeira essencial...
Tudo absolutamente perfeito como deve ser...
Mesmo que jamais compreendamos qualquer coisa...Deus É...
E isso basta...
Amor
Lilian

13 de maio de 2010

Recebe...


Recebe esse amor nos olhos seus
E vive dinamicamente um instante de cada vez
Colore de nuances a realidade que te cerca
E descobre a presença divina que permeia cada traço da sua paisagem que é única...

Não se importe em analisar
Nem em dizer se isso é bom ou ruim
Não precisa nem dar nomes, nem adjetivar
Basta apenas estar presente
Basta apenas mergulhar silente, ou cantante,
Mas permanece presente,
E acolhe o que vier sem julgamentos
Acolhe o que vier nos olhos seus,
Perfumando o que vier com seu amor
Acolhendo em seu coração a verdade,
Deliciando-se simplesmente
Por estar aqui,
Por existir...

Felicidade é viver dessa maneira,
E descobrir simplesmente a presença divina a cada instante
Basta olhar a volta e ver quanta beleza
Quanta perfeição que te envolve aqui e agora...

Mesmo dentro da maior escuridão existe luz
Mesmo mergulhada em saudade existe presença
Mesmo morrendo para tudo que é passado
O presente teima em renascer iluminado...

O rio corre e nem se dá conta do que faz,
A criança brinca e descobre a beleza em cada lugar,
As nuvens cobrem o sol, que logo volta a brilhar
A natureza vibra autêntica, sem nada querer provar...

Existir em Deus é desfrutar
É ser Nele e com Ele, sem nada pedir
Já que a grandeza desse amor é se doar
Já que a infinitude do Viver é Amar...

Início...


"Onde você estiver, é sempre o início.
É por isso que a vida é tão bela, tão jovem, tão virgem.
Quando você começar a pensar que algo está completo, começará a ficar morto.
A perfeição é morta; assim, os perfeccionistas são suicidas.

Desejar ser perfeito é uma maneira indireta de cometer suicídio.Nada jamais é perfeito, não pode ser, porque a vida é eterna.
Nada jamais se conclui; não existe conclusão na vida — apenas pontos cada vez mais elevados. Quando você atinge um ponto culminante, um outro está desafiando-o, chamando-o, convidando-o. Assim, lembre-se sempre de que onde você estiver é sempre um início. Então você sempre permanece uma criança, você permanece virgem.

E essa é toda a arte da vida: permanecer virgem, permanecer novo e jovem, não corrompido pela vida, não corrompido pelo passado, não corrompido pela poeira que normalmente se junta nas estradas da jornada.
Lembre-se: cada momento abre uma nova porta.
Isso é muito ilógico, porque sempre pensamos que, se houver um começo, deverá haver um fim. Mas nada pode ser feito.
A vida é ilógica: ela tem um começo, mas não tem um fim.
Nada que está realmente vivo jamais termina, mas segue continuamente em frente."
Osho, em "Osho Todos os Dias"

Já que a Vida é verbo, (Viver), não é substantivo, significa que é fluxo, movimento constante, mesmo quando não percebemos, o fluxo é a constante da vida...ela só pode ser nova a cada instante, não tem como ser diferente. Se essa consciência é perdida e começamos a ver a vida com o olhar de tudo igual, significa que estamos na mente, estamos no casulo, caixa preta da mente, do ego que rotula, cadastra, classifica e julga o que existe, acreditando que isso irá mudar a existência...mero engano...estamos na verdade em lugar nenhum...rsrs
Para a existência isso não faz a menor diferença...ela segue vida, nova, virgem a cada momento...só nos resta entrar nesse fluxo com ela e celebrar o eterno início...
Amor
Lilian

12 de maio de 2010

Não-fazer...


"A questão é, como mudar o seu foco, da mente para o ser.
O fazer trouxe-o para o mundo, o fazer é a escada que o trouxe para o mundo; o não-fazer será a escada... E o não-fazer não é inatividade.
Este ponto tem que ser bem compreendido.

O não-fazer não é inatividade, ele não é inação. A ação está ali, porque ação é vida. Se a ação desaparecer completamente, você estará morto. Mesmo respirar é uma ação; comer, digerir, dormir, tudo são atividades. Viver é estar ativo. Então o que é não-fazer, se não é inatividade? Se você entender o não-fazer como inatividade, você não terá entendido coisa alguma.

Daí, a inatividade irá se tornar a sua ocupação. Você estará constantemente ocupado em não fazer isto, não fazer aquilo. O seu processo se tornará negativo, mas ele ainda será um fazer: 'eu não posso fazer isto, eu não posso fazer aquilo'. Agora você está preocupado. A mesma tensão estará ali: 'eu não posso comer isto, eu não posso comer aquilo, eu não posso usar esta roupa, eu não posso usar aquela.' Agora você está se tornando negativo, mas o processo, o ego, ainda está ali; a mente ainda está ali. Ela está ali ao lado, mas é a mesma mente.

O não-fazer é algo que nada tem a ver com ação, mas tem muito a ver com o ego, com a idéia de ego. O fazedor é o ego. É preciso tornar-se um não-fazedor.
Aí, Deus é o fazedor e, você relaxa, você não força o rio e não cria agonia para si mesmo ao ir contra a correnteza. (...)

O não-fazedor é aquele que relaxou com o rio, que está flutuando no rio, fluindo com o rio, aquele que se tornou parte do rio, que não pensa em si separadamente, aquele que não tem um destino individual. Esse é o significado de não-fazer. O destino do todo é o seu destino. 'Para onde o todo estiver indo, eu estou indo também; para qualquer destino ou não-destino. Para onde esta bela existência estiver se movendo, eu sou parte dela. Eu sou uma onda neste grande lago, simplesmente uma pequena onda. Eu não preciso ter um destino individual.'

A partir do destino individual é que surge o medo, a angústia e a agonia. A partir do destino individual, 'eu tenho que fazer algo, eu tenho que ser alguém, eu tenho que atingir algum lugar', que a mente é criada. Fazer significa: 'eu tenho alguma idéia de como eu devo ser, do que eu devo ser'.
O não-fazer significa: ' abandonei todas as idéias do meu ser separado da existência'. "
Osho em Innocence Neo Tarot

Este texto do nosso amado mestre, nos revela uma questão simples, mas que muitas vezes aparece e confunde.
A passividade, o não-fazer ainda pode ser um fazer negativo, ainda está presente uma mente que controla, um ego, que controla para o negativo.

Na verdade não existe em absoluto a inação. Se pararmos para refletir, já que a vida é movimento, é fluxo. Quem está vivo, É e naturalmente Faz !
Mas a consciência de que somos nós - separados da existência - que somos ou fazemos, é essa idéia que é baseada na mente, baseada no ego, que se percebe separada. Essa idéia na verdade é que leva a angústia, a agonia...pois acreditamos que somos nós que levamos, somos nós que fazemos...isso gera um enorme peso, e mais que isso, uma constante inadequação, conflitos e ansiedade pelos resultados das supostas nossas ações...

Dar-se conta de que nós não somos, mas a existência É em nós, que nós não fazemos, a existência Faz em nós...que nunca fomos, nem somos, nem seremos separados da existência...que isso é impossível, já que tudo é Um, já que tudo é a mesma Consciência...é entrar no fluxo da Vida, sem separação...mas ao mesmo tempo agir, ou não agir, ser com a existência, no fluxo natural da vida...apenas consciente de que tudo que acontece ou deixa de acontecer, de tudo que fazemos ou deixamos de fazer, tudo isso pertence a dimensão do Ser da existência que É... Não existe ninguém fazendo, ou sendo...existe apenas a Existência sendo e fazendo...para ninguém separado...
Isso é ser um não-fazedor...
Amor
Lilian

11 de maio de 2010

Harmonia...

"Leva tempo até você crescer, amadurecer chegar a uma maturidade em que possa dizer sim e continuar sendo livre, em que você possa dizer sim e continuar sendo único e não se tornar um escravo.

A liberdade que se consegue dizendo não é uma liberdade muito infantil. Ela é bom para quem tem de 7 a 14 anos de idade. Mas se a pessoa ficar presa a isso e sua vida inteira se torna uma sucessão de nãos, então ela parou de crescer.

O crescimento supremo é dizer sim com tanta alegria quanto uma criança diz não. Essa é a segunda infância. E aquela pessoa que consegue dizer sim com tamanha liberdade e alegria - sem nenhuma hesitação, sem nada que a prenda, sem qualquer condição, com alegria pura e simples, com um sim puro e simples - tornou-se sábia. Ela vive em harmonia novamente.
E essa harmonia tem uma dimensão completamente diferente da harmonia das árvores, dos animais, dos pássaros.

Eles vivem em harmonia porque não podem dizer não, e o sábio vive em harmonia porque ele não diz não. Entre os pássaros e os budas estão todos os seres humanos - não crescidos, imaturos, infantis, estancados em algum lugar, tentando ainda dizer não para ter uma certa sensação de liberdade. (...)

Qual a minha definição de certo? Aquilo que está em harmonia com a existência é certo e aquilo que está em desarmonia com a existência é errado.
Você precisa estar o tempo todo muito alerta, porque isso terá que ser decidido a cada instante. Não pode depender de respostas prontas para saber se algo está certo ou errado."
Osho em Faça seu Coração Vibrar

Despedida...


"É hora de partir, meus irmãos, minhas irmãs
Eu já devolvi as chaves da minha porta
E desisto de qualquer direito à minha casa.
Fomos vizinhos durante muito tempo
E recebi mais do que pude dar.

Agora vai raiando o dia
E a lâmpada que iluminava o meu canto escuro
Apagou-se.
Veio a intimação e estou pronto para a minha jornada.
Não indaguem sobre o que levo comigo.
Sigo de mãos vazias e o coração confiante".
Poema da Despedida por Rabindranath Tagore

10 de maio de 2010

Chapada...


Fui conhecer mais um lugar lindo desse nosso Brasil maravilhoso!!
Desta vez fui conhecer a Chapada dos Veadeiros, norte de Goiás.

Que natureza incrível!! Terra seca, mas com uma biodiversidade de deixar qualquer um impressionado.
Ali no cerrado, se encontra somente 33% da biodiversidade brasileira!!
Além de ser um dos lugares do mundo com maior intensidade de reflexo luminoso do sol, aqui o índice de radiação é altíssimo, devido a alto índice de cristais de quartzo no solo, que funciona como um espelho.
Aqui é uma das áreas geológicas mais antigas do planeta.
Estamos a 1670 metros acima do nível do mar. Um exagero de plantas, flores, arbustos, ciprestes...naquela terra que já foi oceano há bilhões de anos..
Uma coisa impressionante, que nos faz refletir sobre a constante mudança do nosso planeta.
Por mais que se fale, ela é ciclica mesmo, tem seus segredos, e a ciência ainda está engatinhando para desvendar seus mistérios...

Conhecemos um vilarejo pequenino de 600 habitantes, chamado São Jorge, distrito de Alto Paraíso, que fica ao lado da entrada do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros.
Um lugar simplesmente delicioso!!
Pessoas simples, alegres e hiper-tranquilas...uma delicia ficar ali...e conversar, conversar...rsrsr

Ali encontramos cachoeiras incríveis, as mais diversas paisagens...delicia para os amantes de aventura...em cada lugar uma queda dágua mais bela que a outra, piscinas naturais, água pura potável...paraíso mesmo...
O Parque Nacional é um passeio imperdível. Tido como Patrimônio Natural Mundial pela Unesco, é uma preciosidade intocada que compõe a área de reserva de biosfera de Goiás.
Local organizado, com guias experientes, aliás queria agradecer a todos que nos atenderam no parque, e principalmente nosso guia Sr Dedé, que nos ensinou muito sobre o bioma do cerrado, as plantas medicinais e foi nosso mestre nos dando dicas nas travessias perigosas, nos desfiladeiros, e cuidou do grupo com todo carinho e atenção. Tudo regado a muita alegria, muita prosa, muitos "causos" e muita simpatia...e deixou para o final uma surpresa...oferecendo ao grupo um pedaço de rapadura caseira deliciosa...inesquecível !!!

Passamos por lugares de uma beleza impressionante, grandes canyons de rocha antiga, quedas dágua enormes, e cachoeiras de água puríssima, cercada de uma vegetação única.

Foi uma experiência deliciosa, que me faz refletir sobre a generosidade divina... e de como cada local, com sua gente, sua energia emana uma beleza autêntica que precisa ser respeitada, e cuidada com muito amor...
Todos que amam a natureza voltam de lá repletos de luz e de alegria no coração...como crianças felizes rsrs...
Valeu demais :)
Amor
Lilian
Visitem : www.infochapadadosveadeiros.com.br para maiores informações !!

7 de maio de 2010

Vida...


"Deus é a única existência, o único Ser: a única Vida que existe, a única dança, o único movimento, a única energia que existe.

No oceano e nas ondas, no mundo da ilusão e da verdade, nos sonhos e no sonhador, a única energia é Deus.

Tudo é Ele. Ele é Tudo.
Assim que você compreender isso, Ele é a única Vida...sua vida começa a se iluminar.

Você então está cheio de luz.
Deus é Vida!!
Se você compreender isso, toda sua vida se torna plena de luz.
A vida Dele se torna luz no seu entendimento.
Quando a Vida Dele é refletida em você, ela se torna LUZ.(...)
A luz brilha inteira a sua volta.
A Vida existe inteira a sua volta - nos pássaros, nas árvores, nos rios.
Vida é Tudo a sua volta, não há nada mais além disso- você está vivendo em um oceano de Vida.
Fora ou dentro, com ou sem, só a vida está acontecendo.
Um imenso oceano de Vida, e você é como um peixe dentro dele."
Osho em Come and Follow Me.

6 de maio de 2010

Regras...


"A regra de ouro da Vida é que não existem regras de ouro !!
Não podem existir.
A Vida é tão vasta, tão imensa, tão estranha, misteriosa...
Ela não pode ser reduzida a uma regra ou máxima.
Nenhuma máxima dá conta de tudo, as máximas são muito pequenas - não podem conter a Vida e suas energias Vivas.
Por isso, a regra de ouro faz senrido: a de que não existem regras de ouro.
Um ser humano autêntico, não vive à base de regras, de máximas, de mandamentos.
O ser humano autêntico simplesmente VIVE !"
Osho em Faça seu Coração Vibrar

5 de maio de 2010

Desapego...


Você precisa do passado e pensamentos para sofrer,
Você não precisa de nada para ser livre
O peso do passado descansa em seu peito e destrói sua vida e sua liberdade.
Remova-os encontrando a origem do pensamento EU.
A liberdade o espera, mas você esta engajado em alguma outra coisa
Não se amarre a qualquer coisa do passado ou do futuro, porque isso não funciona!
Seja apegado somente a este Momento.

Quando você segura alguma outra coisa alem de sua verdadeira natureza
Você se sentira em distúrbio
Por apegar-se a coisas passageiras
Você declara a você mesmo que não é a completude em que tudo está
Possuir é um véu, uma mentira
Ser é totalidade, dessa forma não é possível possuir ou desejar
Todos são budas, você tem que quebrar o apego, a identificação,
Você deve renunciar, senão você trapaceia com você mesmo
Na roda da vida e da morte com todos os seus apegos
O apego é um demônio, o apego é um problema
Porque nosso apego acaba sendo nossa realidade
Não deixe sua mente ir para fora do seu coração!

Todo mundo esta perdido nestes apegos de fora,
Não somente você.
Se qualquer desses apegos dá a você felicidade e paz mental
Então esteja com ele, pois não é chegado o tempo de deixa-lo.
Mas se você vê a cobra picando seu calcanhar, então é o tempo de deixa-lo.
Não tem uso experimentar o que já foi experimentado.

Se você sabe que o fogo queima, não tem necessidade de ser queimado novamente.
Igual a isto, evite apegos como o fogo porque eles queimarão você.
Quando sua intoxicação depende de alguma outra coisa, você esta enganando a você mesmo.”

“Somente a Verdade é e você é Ela!
Você é a Consciência imutável onde todas as atividades acontecem.
Negar isso é sofrer, saber disso é Liberdade.
E não é difícil realizar isso porque essa é sua Verdadeira Natureza.
Simplesmente pergunte ‘QUEM SOU EU?’, e observe cuidadosamente.

Não faça esforço, nem emita nenhum pensamento.
Olhe internamente, aproxime-se com toda devoção e fique no Coração.
Continue vigilante e você verá que nada aflora.
Este é o truque de como manter a mente quieta e alcançar a Liberdade.
Isto não leva tempo porque a Liberdade é sempre Aqui.
Você simplesmente deve observar: de onde surge a mente?
De onde vem os pensamentos? Qual é a fonte do pensamento?
Então você poderá ver que tem sido sempre Livre e que tudo tem sido um sonho”.
Textos diversos por Papaji

Envelhecer...


"Assim é o critério: se você está simplesmente envelhecendo, você não apenas se tornará não-sexual, mas também seco, obtuso, morto e começará a condenar outras pessoas que ainda são jovens. Esse é um tipo de vingança, no fundo é inveja:

"Como é que pode meu desejo desaparecer e as pessoas ainda estarem desejando? Estou morrendo e você está amando? A morte está se aproximando cada momento e você ainda está procurando por uma mulher, ou um homem, ainda está cantando e dançando?" Isso é inaceitável para o idoso.

Porém se a velhice não for apenas envelhecimento, mas sabedoria também, então haverá algo totalmente diferente. A pessoa mais velha se sentirá muitíssimo feliz com as pessoas que se amam. Ela terá uma benção, uma graça sempre fluindo através dela. Sempre que ela vir alguém amando, seus olhos terão alegria. Ela os abençoará, pois sabe que cada desejo tem sua própria época e a pessoa aprende somente através da experiência. Sim, agora ela está desiludida.(...)
A juventude não vivida penetra na velhice e quando isso acontece, a velhice se torna suja, feia, ela é impotente.

Você não pode viver essas experiências agora, mas elas seguem martelando dentro da sua mente. Elas continuam a vir como sonhos e desejos. O corpo já não é mais capaz de penetrar nelas, mas a mente continua. (...)
Se uma pessoa viveu perfeitamente sua infância, ela sairá dela como uma pessoa amadurecida. Se uma pessoa viveu perfeitamente sua juventude, ela sairá desse estágio como um velho amadurecido -sábio, feliz, silencioso, calmo, quieto, amoroso. Com o desaparecimento do sexo o amor não desaparecerá.

Na verdade o amor ficará maior, pois a energia que estava envolvida no sexo, não está mais envolvida nele, toda sua energia se tornou disponível ao amor. Um velho pode ser tão amoroso como nenhum jovem pode jamais ser, pois o jovem tem outros interesses."
Osho em A Sabedoria das Areias.

4 de maio de 2010

Eventos...

Outro dia, assisti a uma palestra em que o mestre falava sobre os múltiplos eventos da existência. Confesso que esse termo ficou impregnado na minha mente, e resolvi refletir sobre esse termo "eventos".

Se pararmos para pensar, tudo que acontece a nossa volta, tudo que nossos sentidos captam, nosso corpo, até mesmo nossos pensamentos e emoções podem ser incluídos nessa categoria de "eventos".

São passageiros por natureza, são impermanentes, vêm a nós e se vão de nós...
Não tem explicação, são como pétalas ao vento, chegam e se vão e muitas vezes, nem mesmo nos damos conta do que aconteceu ...nos tornamos meros observadores de eventos...rs chega a ser engraçado isso...mas é verdade rsrs

Os mestres do Oriente muitas vezes nos falam dessa qualidade de observar os múltiplos eventos emergindo e desaparecendo, e nos lembram que existe em nós "algo" que observa esses eventos acontecerem em nós e através de nós...

Aí está a dimensão da consciência...um espelho que reflete, um observador intocável que experimenta os acontecimentos, e que não mais se identifica com os eventos que por ele passam... Apenas observa, experimenta, celebra, usufrui, e deixa passar...
Se podemos perceber a vida como uma infinidade de eventos que acontecem simultaneamente, e não tem explicação, nem razão de ser, apenas ocorrem, e se vão...só isso já nos trás uma enorme liberdade...uma sensação de que o fluxo da existência continua sempre a correr / acontecer, independente da nossa pequena e parcial, vontade...

Mestre Ramesh nos fala: "Então se você pode aceitar completamente que nada pode acontecer a menos que isto seja parte do funcionamento impessoal da consciência ou vontade de Deus, como pode você se sentir culpado ou orgulhoso ?
Se você aceita totalmente, sem reserva, que os atos de outras pessoas não são seus atos e sim atos da vontade impessoal da vida, então como pode você odiar alguém ?
Desse modo, a vida é livre de culpa, orgulho ou ódio. É a vida que nós estamos procurando. Você está livre."

Passamos a perceber a vida, a existência como uma grande obra de arte, que se cria a si mesma...Infinitos elementos, de infinitas categorias e qualidades, todos em perfeita harmonia, luzes e sombras acontecendo em perfeita sincronicidade....e tudo que emerge e ocorre tem seu lugar em importância, tem a sua singularidade e unicidade...seja o evento que for...
Nos resta apenas observar, experimentar, e dançar essa sinfonia divina...que também somos nós...
É isso...
Amor
Lilian

3 de maio de 2010

Maturidade...



"Quanto mais uma pessoa entra fundo dentro de si mesma, mais madura ela se torna.
Quando ela alcança o próprio centro de seu ser,
ela se torna perfeitamente madura.
Mas nesse momento a pessoa desaparece, permanece somente uma presença; o "self" desaparece, permanece somente o silêncio;
o conhecimento desaparece, permanece somente a inocência.
Para mim, maturidade é outro nome para realização.
Você chegou à efetivação de seu potencial. Ele tornou-se real.
A semente fez uma longa viagem e floresceu.
A maturidade tem uma fragrância. Ela dá uma beleza extraordinária ao indivíduo.
Ela dá inteligência, a inteligência mais aguçada possível.
Torna-o somente amor.
Sua ação é amor.
Sua não-ação é amor.
Sua vida é amor, sua morte é amor.
Ele é simplesmente uma flor de amor..."
Osho em Pepitas de Ouro.

2 de maio de 2010

Duas palhas - Osho

"Gosto de contar a história de duas palhas que estavam se afogando em um rio caudaloso. Uma das palhas, que está disposta em diagonal a correnteza, está tentando conter o rio, e está gritando que não deixará o rio continuar. Apesar de as águas do rio continuarem rolando e a palha se incapaz de controlá-las, ela continua gritando que o rio será contido: está se gabando de que, quer ela viva ou morra, o rio será contido.

Mas essa palha continua se afogando. O rio não ouve sua voz e não sabe que a palha está lutando contra ele. É uma palha muito pequena; o rio não sabe que ela existe, e ela não faz a menor diferença para ele. Mas para a palha é uma questão de grande importância. É a maior dificuldade de sua vida. Ela está se afogando, mas continua lutando, ela chegará ao mesmo lugar que chegaria se não estivesse lutando. No entanto, como está lutando, esse momento, esse período será de dor, de pesar, de conflito e ansiedade.
A palha perto dela se soltou. Ela não está indo contra o fluxo; está deitada reta, na direção em que o rio está correndo- e acredita que está ajudando o rio a correr. O rio também não conhece a existência dessa palha. A palha pensa que, como está levando o rio para o mar, o rio vai chegar lá. E o rio desconhece essa ajuda.

Tudo isso não faz a menor diferença para o rio, mas para as duas palhas trata-se de um assunto de grande importância. Aquela que está guiando o fluxo do rio está sentindo uma imensa alegria; está dançando, repleta de prazer. A palha que está lutando contra o rio está sofrendo muito. Sua dança não é uma dança é um pesadelo. Nada mais é do que uma torção de seu corpo, ela está com problemas, está sendo derrotada; enquanto aquela que está indo com o rio está vencendo.

Um indivíduo é incapaz de fazer qualquer coisa esceto aquilo que seja a vontade do Todo. Mas ele tem a liberdade de lutar, e lutando ele tem a liberdade de ficar ansioso. Sartre disse algo importante: "O homem está condenado a ser livre". O homem está fadado, está amaldiçoado a ser livre. No entanto o homem pode usar sua liberdade de duas maneiras. Pode usar a liberdade contra a vontade da existência e criar conflito. Nesse caso sua vida será de pesar, dor e angústia, e por fim ele será derrotado.

Outro indivíduo pode fazer da sua liberdade um objeto de entrega a existência - e sua vida será uma vida de alegria, uma vida de dança e canção.

E qual será o resultado final? O final não será nada além de uma vitória para ele.
A palha que acredita estar ajudando o rio tem a probabilidade de ser vitoriosa. Ela não pode ser derrotada. A palha que tenta parar o rio certamente será derrotada. Ela não pode vencer.
Então é impossível conhecer a vontade da existência, mas certamente é possível transformar-se em um com a existência, E se esse for o caso, então a vontade da uma pessoa desaparecerá e apenas a vontade da existência permanecerá."
Osho, em Guerra e Paz Interior

1 de maio de 2010

Luz e Escuridão...


"Nada existe além da divindade. O que chamamos Satã, ou satânico, não é nada além de nossa não-aceitação. O que chamamos de "mal" é somente nossa não-aceitação.
Se pudéssemos analisar o que chamamos de mal, descobriríamos imediatamente o bem escondido ali.
Se pudéssemos analisar profundamente o pesar nós encontraríamos a felicidade ali. Se pudéssemos analisar uma maldição de perto, encontraríamos uma bênção escondida nela. Na realidade, o bem e o mal são apenas dois lados da mesma moeda. (...)
A entidade que estou chamando de desconhecido é a fonte de todas as nossas vidas, é a base da existência.(...) É dessa fonte de existência que a escuridão e a luz surgem...
Sentimos medo na escuridão, por isso nossas mentes querem acreditar que o diabo deve ser o criador da escuridão. Como gostamos da luz, nossas mentes querem acreditar que o divino deve estar criando essa luz. Mas assim, não há nada ruim na escuridão, ou bom na luz.
Aquele que ama a existência encontrará o bem tanto na escuridão quanto na luz.
A realidade é que por causa desse medo que temos da escuridão, nunca somos capazes de conhecer a beleza das escuridão. Não temos a chance de apreciar o sabor, o mistério da escuridão. Nosso medo é feito pelo homem. Saímos de cavernas, passamos pelas selvas....a escuridão era perigosa lá; animais ferozes podiam nos atacar, a noite era assustadora. É por isso que quando o fogo apareceu, nós o aceitamos como um deus- porque então a noite tinha se tornado segura.(...) Por isso em nossos corações a luz tem sido associada a falta de medo.
Mas a escuridão e a luz têm seus próprios mistérios, Tudo que acontece nessa vida que tenha qualquer significado acontece com a cooperação tanto da escuridão quanto da luz. Nós enterramos a semente na escuridão, mas a flor surge na luz.

Plantamos a semente na escuridão, embaixo da terra, as raízes se espalham nessa escuridão, mas as flores crescem no céu, na luz. Deixe uma semente na luz, e a flor nunca aparecerá;(...)

Uma criança é criada na escuridão profunda de ventre da mãe, onde não entra sequer um raio de luz, depois quando já está formada, surge na luz.
Portanto, tanto a escuridão quanto a luz são a base para a mesma energia de vida. E a divisão, a polaridade, a contradição da vida são criadas pelo homem. (...)
Não, não existe nada como Satã. Se vemos Satã em algum lugar, estamos cometendo um grande engano. Uma pessoa religiosa não consegue ver Satã em lugar algum. Apenas coisas de Deus existem."
Osho em Guerra e Paz Interior
Related Posts with Thumbnails