5 de maio de 2010

Envelhecer...


"Assim é o critério: se você está simplesmente envelhecendo, você não apenas se tornará não-sexual, mas também seco, obtuso, morto e começará a condenar outras pessoas que ainda são jovens. Esse é um tipo de vingança, no fundo é inveja:

"Como é que pode meu desejo desaparecer e as pessoas ainda estarem desejando? Estou morrendo e você está amando? A morte está se aproximando cada momento e você ainda está procurando por uma mulher, ou um homem, ainda está cantando e dançando?" Isso é inaceitável para o idoso.

Porém se a velhice não for apenas envelhecimento, mas sabedoria também, então haverá algo totalmente diferente. A pessoa mais velha se sentirá muitíssimo feliz com as pessoas que se amam. Ela terá uma benção, uma graça sempre fluindo através dela. Sempre que ela vir alguém amando, seus olhos terão alegria. Ela os abençoará, pois sabe que cada desejo tem sua própria época e a pessoa aprende somente através da experiência. Sim, agora ela está desiludida.(...)
A juventude não vivida penetra na velhice e quando isso acontece, a velhice se torna suja, feia, ela é impotente.

Você não pode viver essas experiências agora, mas elas seguem martelando dentro da sua mente. Elas continuam a vir como sonhos e desejos. O corpo já não é mais capaz de penetrar nelas, mas a mente continua. (...)
Se uma pessoa viveu perfeitamente sua infância, ela sairá dela como uma pessoa amadurecida. Se uma pessoa viveu perfeitamente sua juventude, ela sairá desse estágio como um velho amadurecido -sábio, feliz, silencioso, calmo, quieto, amoroso. Com o desaparecimento do sexo o amor não desaparecerá.

Na verdade o amor ficará maior, pois a energia que estava envolvida no sexo, não está mais envolvida nele, toda sua energia se tornou disponível ao amor. Um velho pode ser tão amoroso como nenhum jovem pode jamais ser, pois o jovem tem outros interesses."
Osho em A Sabedoria das Areias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails