4 de maio de 2010

Eventos...

Outro dia, assisti a uma palestra em que o mestre falava sobre os múltiplos eventos da existência. Confesso que esse termo ficou impregnado na minha mente, e resolvi refletir sobre esse termo "eventos".

Se pararmos para pensar, tudo que acontece a nossa volta, tudo que nossos sentidos captam, nosso corpo, até mesmo nossos pensamentos e emoções podem ser incluídos nessa categoria de "eventos".

São passageiros por natureza, são impermanentes, vêm a nós e se vão de nós...
Não tem explicação, são como pétalas ao vento, chegam e se vão e muitas vezes, nem mesmo nos damos conta do que aconteceu ...nos tornamos meros observadores de eventos...rs chega a ser engraçado isso...mas é verdade rsrs

Os mestres do Oriente muitas vezes nos falam dessa qualidade de observar os múltiplos eventos emergindo e desaparecendo, e nos lembram que existe em nós "algo" que observa esses eventos acontecerem em nós e através de nós...

Aí está a dimensão da consciência...um espelho que reflete, um observador intocável que experimenta os acontecimentos, e que não mais se identifica com os eventos que por ele passam... Apenas observa, experimenta, celebra, usufrui, e deixa passar...
Se podemos perceber a vida como uma infinidade de eventos que acontecem simultaneamente, e não tem explicação, nem razão de ser, apenas ocorrem, e se vão...só isso já nos trás uma enorme liberdade...uma sensação de que o fluxo da existência continua sempre a correr / acontecer, independente da nossa pequena e parcial, vontade...

Mestre Ramesh nos fala: "Então se você pode aceitar completamente que nada pode acontecer a menos que isto seja parte do funcionamento impessoal da consciência ou vontade de Deus, como pode você se sentir culpado ou orgulhoso ?
Se você aceita totalmente, sem reserva, que os atos de outras pessoas não são seus atos e sim atos da vontade impessoal da vida, então como pode você odiar alguém ?
Desse modo, a vida é livre de culpa, orgulho ou ódio. É a vida que nós estamos procurando. Você está livre."

Passamos a perceber a vida, a existência como uma grande obra de arte, que se cria a si mesma...Infinitos elementos, de infinitas categorias e qualidades, todos em perfeita harmonia, luzes e sombras acontecendo em perfeita sincronicidade....e tudo que emerge e ocorre tem seu lugar em importância, tem a sua singularidade e unicidade...seja o evento que for...
Nos resta apenas observar, experimentar, e dançar essa sinfonia divina...que também somos nós...
É isso...
Amor
Lilian

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails