4 de março de 2010

Khalil Gibran...


"Muito antigamente, quando a primeira trepidação da fala me chegou aos lábios, subi a montanha sagrada e conversei com Deus, dizendo:
- Senhor, sou vosso escravo. Vossa vontade oculta é minha lei e vou cumpri-la para todo o sempre.
Mas Deus não respondeu e passou por mim como uma tempestade violenta.

Mil anos depois, voltei a subir a montanha sagrada e falei de novo com Deus, dizendo:
- Criador, sou vossa criatura. Com barro me fizestes e a vós devo tudo o que sou.
Mas Deus não me respondeu e passou por mim como mil asas velozes.

Depois de mil anos, subi a montanha sagrada e falei de novo com Deus:
- Pai, sou vosso filho. Com amor e compaixão me destes a vida e com amor e adoração vou herdar vosso reino.
Mas Deus não me respondeu e passou por mim como os véus da neblina das montanhas distantes.

Passados outros mil anos, subi a montanha sagrada e me dirigi ao Criador de novo, dizendo:- Meu Deus, meu alvo e minha plenitude, sou vosso ontem e vós sois meu amanhã.
Sou vossa raiz na terra e voz sois minha flor no céu, e juntos crescemos diante da face do sol.
Então Deus se inclinou para mim e sussurrou em meus ouvidos palavras doces e, como o mar que abraça um riacho que nele desagua, ele me abraçou.
E, quando desci para os vales e as planícies, Deus também estava lá."
Kahlil Gibran em O louco

Nesse texto lindo, de Gibran, vemos como a relação do homem com Deus vai sendo revelada...
Primeiramente, uma relação de submissão do escravo, do medo, de cumprimento de leis...uma não-relação eu diria até...distanciamento total e impessoalidade também...
A resposta é a tempestade...conflito, mente dividida.... dificuldades...

Segundo, temos a relação de criatura, uma "coisa" criada por Deus.... um barro inerte...
Aqui vemos a distância entre Deus e o homem...a diferença entre ambos...
A resposta de Deus são as asas velozes...um sopro que trás o movimento, a reflexão, a mudança de mentalidade...convida a consciência mais elevada, mais iluminada, mais viva...

Terceiro temos a hierarquia entre pai e filho....aqui já existe a semelhança, já é manifesto o amor e a gratidão...o filho herdeiro do reino ( ou do reinado ) do pai...uma ligação eterna... de confiança e de respeito...
A resposta...neblinas... apenas nuvens encobrem ainda essa consciência...já é possível se vislumbrar o céu...

Por fim, temos a completude da relação humana-divina. Não mais existem divisões, nem diferenças. O amor e a beleza da existência são plenamente manifestos seja na pequenez da forma humana, (raiz) seja na vastidão infinita do onipresente Deus (flor)...juntos crescem diante da face do sol... sol da sabedoria, da perfeita compreensão...sol da luz eterna onipresente...
Deus e o homem nunca foram mais que Um e o Mesmo...
A resposta, ( que nem chega a ser resposta )...um doce sussurro divino, amoroso...e um abraço terno e eterno...o riacho finalmente se desagua no mar...
Encontro das águas...encontro dos encontros...
Detalhe, que Deus também foi encontrado nos vales da vida...ou seja, na vida cotidiana, nos afazeres do dia-a-dia...

Tomar posse dessa união eterna é a consciência de que Deus É , sempre foi e sempre será...
Tudo em Todos....nenhuma divisão é possível ( nem necessária) nenhuma união é real...já que nunca houve nenhuma separação...
Deus É....
Amor
Lilian

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails