22 de março de 2010

Lao-Tzu..


"O grande TAO é onipresente:
Pode estar à direita e à esquerda.
Todas as coisas lhe devem a existência,
e ele não se recusa a elas.
Realiza a obra,
ele não a chama de sua propriedade.
Ele veste e alimenta todas as coisas
e não pretende ser o senhor delas.

Por estar continuamente sem desejos,
podem chamá-lo de pequeno.
Como todas as coisas dependem dele,
sem conhecê-lo como seu soberano,
podem chamá-lo de grande.
Assim também é o sábio:
ele jamais se engrandece;
por isso realiza a sua Grande Obra."
"Quem estima grandemente a Vida,
nada sabe da Vida,
por isso tem Vida.
Quem menospreza a Vida,
procura não perder a Vida,
por isso não tem Vida.
Quem estima a Vida
não age, nem faz planos.
Quem menospreza a Vida,
age e faz planos.
Quem estima o amor age, mas nada tem em vista.
Quem estima a justiça, age e faz planos.
Quem estima a moralidade age,
e quando não lhe fazem oposição,
a provoca com grandes gestos.
Por isso, se o TAO está perdido,
a Vida também está perdida,
Se a Vida está perdida, o amor está perdido,
Se o amor está perdido, a justiça está perdida,
Se a justiça está perdida, a moralidade está perdida,
A moralidade é a insuficiência da fidelidade, é indigência de fé e o começo da confusão.
A pré-ciência nada mais é que a aparência do TAO
e o começo da loucura.
Por isso o homem correto atem-se ao real
e não as aparências.
Ele vive no SER e não na ficção.
Rejeita esta e se atem aquele."
Lao-Tzu em Tao Te King ( versos XXXIV e XXXVIII)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails