27 de abril de 2012

Quem É Você Realmente? - Gangaji



"Cada pensamento que você já teve sobre você mesmo, está aumentado ou diminuído. Não é o que você é, trata-se apenas de um pensamento.
A Verdade que você é não pode ser um pensamento, porque é a fonte, a raiz de todos os pensamentos.
A Verdade que você é não pode ser nomeada ou definida.
Palavras como alma, luz, Deus, Verdade, Self, consciência, inteligência universal, divindade, são apenas capazes de indicar a Verdade, são indicações da imensidão que verdadeiramente você É.

Seja qual for a maneira que você defina a si mesmo como filho, como mãe, pai, buscador, curador, doente, sofredor, iluminado, em todos, o que se encontra por trás deles é a Verdade de si mesmo. Não está longe de você, é pelo contrário, tão perto que você não acredita que seja você.

A Verdade que você é não pode ser tocada por qualquer conceito que você pensa que é.
A Verdade que você é está longe de todos estes conceitos. Você já é Liberdade.
A identificação com esses blocos de pensamentos fazem com que ignore a sua real natureza ou a confunda com aquilo que é passageiro.
Estes pensamentos criam a ilusão de que você está afastado da sua essência, daquilo que verdadeiramente você É. Criam a ilusão da separação e da necessidade de realiza aquilo que você É.
Basta que preste atenção ao seu profundo e reconheça que esta luz, esta consciência permanece no profundo esperando para ser reconhecida como a sua natureza verdadeira, aquilo que você realmente É.

Assim como os pensamentos aparecem na mente, as sensações aparecem no corpo, emoções que passam através da mente e do corpo, algumas dessas sensações definem que você realmente é?
Quando se rebela contra algumas dessas sensações, emoções você pode afirmar que você seja isso? Do mesmo modo você pode se afirmar como alguma emoção ou pensamento? Já que todos estes mecanismos chegam e se vão, são passageiros, nascem e morrem.

A Verdade que você É não chega nem se vai. Já estava presente antes de nascer este corpo e permanecerá após a morte do corpo.
Descobrir QUEM VOCÊ É, não é somente possível, como um direito de nascimento seu.

Todos os pensamentos que afirmam que você é o pensador, que aquilo é criado em você e que lhe definem como algo temporário ou passageiro ou que ainda não está pronto, que ainda precisa se aprimorar, estes também são apenas pensamentos, são truques da mente.
É o momento de você investigar a verdade destes pensamentos e meditar naquilo que eles realmente são, na origem de cada um deles. Nesta meditação você se abrirá a inteligência que você É e que reconhece a si mesma.

A mais importante pergunta que você pode fazer a si mesmo é: QUEM SOU EU?

Implícita nesta pergunta está todo o âmago da sua existência e tudo que a envolve. Todas as atividades, toda individualidade, coletividade, é motivada pela busca da auto definição.
Esta definição pode ser positiva ou negativa. Toda a sua vida será uma expressão dessa resposta. No momento em que você se define seja como for, esta questão terá um poder imenso, e repercutirá em todas as dimensões da sua vida.
A busca pela Verdade é imensamente aberta e ecoa no profundo de cada um de nós.
Todas as experiências de sucesso e fracasso, de vitória ou derrota vem acompanhadas da definição que você deu a si mesmo, e daí surgem a satisfação ou a insatisfação.

A menos que esta pergunta seja profundamente respondida e experimentada, você não estará convencido, e ainda permanecerá faminto por saber. Porque independente da definição que receba dos outros, faça sentido ou não, e não importando como você define a si mesmo, nenhuma definição será capaz de trazer uma certeza absoluta.
No momento em que você percebe que esta pergunta não possui nenhuma resposta, a satisfação a esta pergunta aparece. Eis o momento do despertar espiritual, da maturidade espiritual.

Neste momento é importante que investigue: Quem você realmente é.
Existe um poder imenso nesta simples pergunta: Quem sou eu? Traga sua mente a origem da não identificação. A base de toda identificação é : "eu sou alguém". Apesar desta resposta automática, você deveria investigar profundamente.
Não é difícil de vermos que por trás deste pensamento inicial : "eu sou alguém" , existem todas as formas de sofrimento como: "ser uma pessoa melhor", "alguém que precisa de mais prazer", "mais conforto", "mais realizações". Mas a base deste pensamento "eu sou alguém", a mente criou o "eu" com o sentido de identidade separada, isolada e então começa a busca pelo retorno a união "perdida".

A auto-indagação começa com esta simples pergunta: Quem Sou Eu? E a investigação profunda desta pergunta é capaz de desfazer as identificações criadas pela mente, todas aqueles adjetivos que dizemos a nós mesmos ou ouvimos dos outros, sejam eles importantes ou não, sejam eles novos ou velhos.
Nunca uma tão simples pergunta foi capaz de revelar tamanha grandeza.

QUEM É VOCÊ REALMENTE?
Como você sabe quem você é? Será realmente verdade?
Quando você retornar a esta pergunta: Quem Sou Eu? Você se identificará com sua aparência ou com o seu corpo. Você é um objeto ou a consciência deste objeto?
Objetos vem e vão; família, filhos, amantes, derrotados, vitoriosos, iluminados, ignorantes, mesmo estas definições chegam e se vão. A consciência dessas identificações é sempre presente. O engano é se identificar como um objeto nesta consciência, isto causa dor e cria o círculo interminável de sofrimentos.
No momento em que esta identificação termina e você descobre direta e completamente que você é a Consciência em Si mesmo, e que jamais perdeu a si mesma, apenas se deixou identificar com definições passageiras, e que a busca por si mesma passava por conceitos e definições que também são pensamentos.
Na pergunta o, "QUEM" é seguido por um puro e inocente (porém imenso ), poder de realização que aguarda para acontecer, sem qualquer identificação; é indefinível, ilimitado, apenas "algo" que reconhece a si mesmo inseparável de qualquer outro ser .

Você é livre, ilimitado e nada pode te prender , te limitar.
Nenhuma ideia que apareça sobre você, é verdadeiramente você. As ideias aparecem para você e desaparecem para você.
Você é a consciência, embora consciência também seja um conceito é o que podemos definir no momento, deixe-as irem também, e permaneça centrado naquilo que nunca nasceu e nunca morrerá. Experimente a alegria, a satisfação que já está aqui.
Permaneça na paz profunda da sua natureza essencial, anterior a qualquer pensamento que chega e posterior a qualquer pensamento que se vá."

2 comentários:

  1. Lindo texto para reflexão...fiquei pensando quem eu sou realmente...faz sentido!!
    Tenha um ótimo final de semana, querida Lilian!
    Beijinhos!♥

    ResponderExcluir
  2. Tudo de bom prá ti Mari querida!! Beijos <3

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails