6 de janeiro de 2011

Ilusões...


"A vida vivida inconscientemente não pode ter nenhum sentido.
Na verdade, a vida não tem nenhum significado em si mesma. O significado surge quando a consciência surge em você - então, a vida reflete a sua consciência, então a vida se torna um espelho, então a vida ecoa a sua canção, a sua celebração, a sua música interior. Ouvindo aqueles ecos, você começa a sentir a significância, o significado, o valor.

Vivendo uma vida inconsciente, você pode ir mudando de um trabalho para outro - isso não vai ajudar. Talvez, por alguns dias, enquanto o trabalho for novo e houver ânimo, você possa sentir-se bem. Você pode novamente projetar suas ilusões, pode novamente começar a ter expectativas : "Desta vez vai acontecer". Novamente você será frustrado. Toda expectativa está fadada a trazer frustração.

Um homem de consciência vive sem expectativas, desse modo, ele não sente nenhuma frustração, jamais. Mais cedo ou mais tarde, quando a lua-de-mel acabar, você sentirá frustrado.(...)
Assim, as pessoas vão mudando de emprego, vão mudando de passatempos, vão mudando de esposas, maridos, vão mudando de religião. Elas vão mudando tudo o que podem mudar - com a esperança de que "desta vez" algo vai acontecer.
Não é uma questão de se mudar algo do lado de fora - você permanece o mesmo !!(...)
A menos que você se torne consciente do por quê de você fazer uma certa coisa, do por quê escolher uma certa pessoa, um certo trabalho, um certo emprego, você está fadado a permanecer frustrado. De novo e novamente, você perderá o significado da vida. (...)

Agora, ao invés de mudar as coisas - em qualquer direção ou dimensão externa - mude sua consciência. A mudança tem de ser interna, somente a mudança interna pode mudar alguma coisa.
Caso contrário, todas as mudanças são falsas, pseudo-mudanças ... parece que algo mudou, mas nada muda nunca.
Torne-se consciente. (...)

Conhecer o falso como falso é conhecer o real. Eles são dois aspectos da mesma moeda, não são diferentes. Se você conhece o falso, nesse próprio conhecer você conhece o real como real. É uma experiência simultânea. Se você pode reconhecer o falso, você deve ter conhecido o real, caso contrário como você conheceria o falso? (...)

As pessoas vão vivendo de expectativas, de ilusões. Uma ilusão é despedaçada, e imediatamente elas começam a viver uma outra ilusão. Elas nunca se tornam realmente conscientes de que seja
o que for que sua mente projete vai ser ilusório.
Sua mente pode apenas criar ilusões, seu deus é uma ilusão, sua meditação é uma ilusão, seu yoga, é uma ilusão, seu tao é uma ilusão, porque tudo isso são projeções da sua mente. São como o horizonte, que parece tão perto ...a pessoa pode chegar lá em uma hora - mas a pessoa nunca chega no horizonte. Ele simplesmente aparenta ser, ele não existe. Se você correr atrás dele, você correrá pela eternidade e nunca o encontrará. (...)

Não repita chavões, tente ver o que interessa. Não acredite, tente compreender. Pare de projetar suas fantasias, seus sonhos, suas expectativas na vida. Esqueça-se completamente disso.
Todo o esforço tem que ser um e único, e esse esforço é para acordar.
Se você estiver acordado, então as coisas serão diferentes, totalmente diferentes.
E não haverá nenhuma necessidade de descobrir nada especial, de descobrir significados; então nas pequenas coisas da vida, há significado, há grande significância.
Cada pedrinha a beira mar, torna-se um diamante.
Então haverá sermões em cada pedra e canções escondidas em todas as rochas e escrituras por toda parte, porque o mundo está cheio de Deus, transbordando de divindade.

E você sedento de significado, pela simples razão de que você não está olhando para aquilo que É, você não pode olhar para aquilo que É, porque você está dormindo muito.
Acorde! Saia do túmulo !A inconsciência é o seu túmulo.
E depois saberá o que é a Vida, e o quanto ela é bela e quão abençoada ela é, e que Graça e que presente de Deus ela é."
Osho, em Zen - A transmissão especial

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails