16 de janeiro de 2011

Sri Ramana Maharshi - Vida e Ensinamentos.


"Voces já são o Absoluto ....o que mais querem ?!
Se buscais uma realidade espiritual, uma união com Deus ou mesmo uma expansão da consciência, então crede: é hora de cessar vossa busca, este é o fim da estrada. Isto porque já somos tudo o que poderíamos buscar, sempre o fomos e sempre o seremos.
Somos o Self, somos Bhraman, o Divino que está em tudo e em lugar nenhum, a Realidade Única."

Nascido em 1879 no sul da Índia, Sri Ramana Maharshi atingiu a realização do Eu Superior aos 17 anos de idade, sem a ajuda de nenhum guru (no plano físico, pelo menos) e sem seguir nenhum dos tradicionais sistemas espirituais . Uma experiência de quase-morte lhe mostrou que o Ser era mais que o corpo físico, e com o aprofundamento desta constatação, perdeu o medo da morte. A partir de então, manteve-se permanentemente conectado a esta consciência transcendental que a tudo permeia neste mundo.

Depois de ter passado alguns anos recolhido silenciosamente às cavernas do sagrado monte Tiruvannamalai, Sri Ramana Maharshi passou a receber visitas ocasionais de buscadores espirituais. O diálogo transcrito com os mesmos é a fonte que possuímos do seu saber, uma vez que Sri Maharshi não escreveu livro algum. Com o passar dos anos, inúmeras pessoas resolveram permancer nas proximidades do local de recolhimento do grande Ser, donde o surgimento de um ashram. Este foi visitado por milhares de pessoas do mundo inteiro.
Neste mesmo local, em Tiruvannamalai, no ano de 1950, Sri Ramana Maharshi entrou em mahasamadhi.

O ponto central dos ensinamentos de Sri Ramana Maharshi é o auto questionamento: "Quem sou Eu ?".
Mediante a repetição constante desta pergunta, "Quem está pensando estes pensamentos ?".
"Quem deseja estes desejos?", vamos descobrindo que a maioria destes pensamentos e desejos são originários do ego-consciência, da mente-corpo.

Ocorre que a fonte da consciência está além deste patamar, e aprofundando o nosso questionamento, atingiremos o Ser, aquele que é, aquele que a Bíblia afirma "Eu Sou o que Sou". Sri Ramana Maharshi nos mostra uma visão para além da dualidade, uma visão védica advaita.

Ele nos afirma que o corpo físico é apenas uma projeção deste Ser, do puro Self, assim como o mundo fenomênico que "habitamos" também o é.
O ego seria apenas uma ligação, uma ponte entre o corpo e a pura consciência.
A mente é apenas o somatório de pensamentos, e o conteúdo destes pensamentos seria determinado (assim como no Budismo) pelas tendências adquiridas em vidas passadas (hábitos mentais e emocionais ou vasanas e samskaras).

Portanto, diferentemente do que é recomendado por inúmeras escolas de sabedoria oriental, Sri Ramana não aconselha a concentração como técnica de libertação. Ao seu ver, poderíamos até reforçar a dualidade mente-corpo, mente-mundo ao fazê-lo.

A questão é "Quem se concentra?". "A consciência do corpo é o 'Eu' errado. Desista desta consciência-corpo. Isto é feito através da busca da fonte do 'Eu'.
O corpo não diz 'Eu sou'. É você quem diz 'Eu sou o corpo'.

Descubra quem é este 'Eu'.
Procurando a sua fonte, ele irá desaparecer.(...) Seja o que você é. Não existe nada para ser manifestado. Tudo o que é necessário é a perda do ego.(...)
A verdade de si mesmo é a única que vale a pena ser buscada e conhecida.(...)
Realização não é nada a ser adquirido. Ela está sempre aí, mas obstruída por uma tela de pensamentos.
Todos os seus esforços devem ser dirigidos para a superação desta tela, e então a realização é revelada(...)
Realização é simplesmente a perda do ego. Destrua o ego pela procura da sua identidade. Uma vez que o ego não é nenhuma entidade, ele automaticamente desparecerá, e a realidade irá brilhar por si mesma.
Este é o método direto, enquanto todos os outros se concretizam somente através da retenção do ego."

Vimos assim que o método proposto por Sri Ramana Maharshi rumo ao Eu Superior é simples e direto, porém não necessariamente fácil. Ele prescendiria de muitas outras práticas recomendadas (sadhanas) por diversas tradições da sabedoria do Oriente.

A plena atenção constante aliada à pergunta "Quem sou Eu?" pode, segundo este Mestre, levar a este conhecimento direto da Fonte única do Ser que permeia a todos nós.

Concluindo, vejam como estes versos do poeta e santo do Budismo Tibetano, Milarepa, aproximam-se das idéias acima apresentadas de Sri Ramana Maharshi:

"Não há meditador, não há objeto a ser meditado,
Não há sinais de realização,
Não há etapas nem caminho a percorrer,
Não há sabedoria última, não há corpo de Buda.
Também o nirvana não existe.
Tudo isso são apenas palavras, modos de dizer."
Be As You Are. The Teachings of Sri Ramana Maharshi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails