11 de janeiro de 2011

Celebração...


"Nós pensamos que a liberdade é ter o que queremos.
Na realidade liberdade é um tipo de perda. Como disse Jesus, você tem que perder a vida para salvá-la.
Quando não há mais qualquer propriedade da vida, já não há ninguém que está tentando possuir qualquer aspecto da experiência, a vida já não é algo a ser temido e rejeitado, mas algo a ser amado e celebrado.

Imagine isso:
Um balão cheio de ar, flutua num mar infinito de ar.E o balão diz para si mesmo: "Eu sou um indivíduo que vive em um mundo cheio de pessoas
Um mundo meu e dos meus:.. Os meus pensamentos, minhas lembranças, minhas crenças, minhas realizações, meus sucessos, meus fracassos, meu passado , o meu futuro, meus relacionamentos. Eu possuo um pequeno pedaço do todo, um pedacinho da vida. Esta é a minha pequena parte de tudo. "

Que o balão mais teme é a sua própria ruptura - em outras palavras, a sua própria morte - porque vê isso como a perda definitiva do "eu e meu".
Em outras palavras, a morte é a perda da "minha pequena parte de tudo". O fim da 'minha vida'.

O que o balão não pode ver é que a morte é a libertação.
Após a morte, "minha pequena parte de tudo" simplesmente explode de volta para tudo. "Minha vida se dissolve de volta à vida em si. E o que se vê é que "a minha vida foi sempre uma ilusão, porque nunca houve ninguém lá separado de tudo! Houve apenas tudo sempre!
O balão nunca "tinha" qualquer coisa para começar, e assim nunca poderia "perder" qualquer coisa. Em outras palavras, não há "indivíduo" separado da própria vida - apenas parece ser.

A mente nunca será capaz de compreender o que estou falando.
Mas em algum lugar além da mente, em algum lugar além do pensamento, em algum lugar além das histórias que contamos sobre a vida, em algum lugar além de todos os nossos conceitos, filosofias, ideologias, religiões ... pode haver um reconhecimento, uma ressonância, um saber.

E é isso que essa mensagem é realmente sobre: o reconhecimento de que está totalmente além da mente e além das palavras.

Você é perfeito como você é - até mesmo em sua imperfeição.

A vida é perfeita como ela é, mesmo se você não pode ver isso ainda.
Esta é uma viagem em sua própria ausência, uma ausência que finalmente se revela como a presença perfeita de tudo."
Jeff Foster em o Balão

Neste pequeno texto, Jeff Foster nos mostra uma imagem bem interessante.
A vida percebida pelo prisma da mente, é toda fragmentada, separada, e as partes são soltas, sem conexão.. somos balões soltos ao vento, cada um por si...
Essa mentalidade fragmentada, trás uma sensação de grande medo, e de solidão...
Nos percebemos tão pequeninos, tão frágeis, nesta vastidão do universo, soltos, sem proteção...
Nossa visão é limitada, nossa atuação é limitada, não sabemos o que virá a nos acontecer, e a morte é temida ao extremo.

Curioso é que, já que a vida vista por este olhar, é tão temerosa, tão perigosa, e mesmo assim a morte é temida...era para ser o contrário não acha? rsrs
Mas a verdade é que ninguém quer a morte, mesmo a vida sendo tão perigosa, a morte é o que a maioria das pessoas mais teme..

Mas se paramos para refletir um segundo apenas veremos que:
Onde estava este controle do ego, antes de você nascer?
Quem é que te trouxe à existência, à vida ?
Quem é que criou seu corpo, o faz funcionar, respirar, digerir os alimentos, te dá energia para viver, trabalhar, realizar as coisas, quem te dá a inteligência, quem te dá os sentimentos, emoções...
Você não tem nem consciência do que se passa no seu corpo neste exato momento. Milhões de reações químicas estão sendo feitas no maior silêncio das suas células, todos os seus órgãos funcionam em perfeita harmonia, como uma imensa orquestra, tocando a mais bela sinfonia...silenciosamente, a sinfonia da vida...
E isso acontece sem que a sua mente nem se dê conta...
Isso não é curioso?

Quando você olha um pássaro voando no céu, ou uma árvore, ou qualquer ser vivo, você não se pergunta: Quem o criou, ou quem o está mantendo vivo agora?
Nosso planeta girando, o sol brilhando, o vento soprando...
Pois bem, a resposta vale para cada um de nós também...

Não somos nós que vivemos, na verdade Somos Vividos...
Existe algo que vive em nós e através de nós...nos perpassa...
E nos faz ser exatamente do jeito que somos...

Esse algo é indefinível, inominável, incognoscìvel...
Alguns o nomearam de Vida, Deus, Tao, Todo, ou de Existência...
O nome não importa. Mas importa é a consciência de que não somos nós que vivemos, existimos...pois não temos nenhuma autonomia...nem sobre nós mesmos, quanto mais sobre a vida, sobre a realidade...
Somos vividos mesmo...

A ilusão do pequeno balão, como nos fala Jeff Foster, é ainda a visão egóica que acredita que tem o controle sobre si mesmo, sobre a vida...
Mas a consciência ampliada, percebe que por mais que façamos, ou queiramos, a existência, ou Deus, é quem vive em nós, e através de nós...
Daí que, a entrega é a única saída...é o que nos apontam todos os mestres...

Já que não temos controle sobre nada,
O que nos resta fazer?
Amar, Celebrar...e aceitar o que vier...
Pois nunca veio de mim, nem de ti...nem de ninguém...
Sempre veio do Todo, da existência, de Deus, e para ele retorna...

Celebremos então !!!
Amor
Lilian


2 comentários:

  1. Muito Obrigado Liliam!
    Uma Verdade Profunda e Libertadora que me tocou a alma.
    Exatamente o que precisava 'lembrar' rs.

    Beijos de Gratidão Mulher de Luz

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails