18 de janeiro de 2011

A consciência pura...


"Não se preocupe!
Desde que seu ser íntimo nunca nasceu, não pode morrer; desde que nunca nasceu, ninguém pode manchá-lo ou obstruí-lo.
É imortal!
E desde que o Todo lhe deu vida, desde que a vida vem do Todo, como pode a parte melhorá-la?
Da fonte tudo provém, deixe que a fonte forneça - e a fonte é eterna.

Você se posta desnecessariamente no caminho, você começa a empurrar o rio que já está fluindo em direção ao mar.
Sua pureza é absoluta! Você não pode manchá-la.
Essa é a essência do Tantra.
Todas as religiões dizem que precisa alcançá-la - o Tantra diz que já a alcançou.
Todas as religiões dizem que tem de trabalhar duramente para isso - o Tantra diz que você a está perdendo por causa de sua atividade.
Relaxe um pouco; só relaxando atingirá o Inatingível.

Você pode ter feito milhões de coisas - não se preocupe com os karmas, porque nenhum ato seu pode manchar ou tornar impuro o seu interior.
Toda a essência é pura, é virgem.
Toda criança nascida, nasce dessa virgindade original, porque a virgindade não pode ser manchada.
Como se pode manchar a virgindade? O ser interior permanece como testemunha, não é parte daquilo que você faz.(...)
Eu lhe digo que nem mesmo uma só criança jamais nasceu de uma mãe que não fosse virgem, pura na essência.

A cada momento, faça o que fizer,você está fora daquilo.
Ação alguma deixa cicatrizes em você, não pode deixar. E desde que relaxe e compreenda isso, não se preocupará sobre o que fazer, ou não fazer.
Deixe as coisas tomarem seu próprio rumo. Flutua simplesmente como uma nuvem.(...)

Dharmata significa que tudo tem sua própria natureza elementar. Se você permanece em sua morada interior, tudo aos poucos se dissolverá em seu próprio elemento natural.
Você é que é agitador.

Se permanecer dentro do seu ser, no alaya, no céu interior, naquela pureza absoluta, então como no céu, as nuvens podem ir e vir e não deixam marcas.
As ações vêm e vão, os pensamentos vêm e vão, muitas coisas acontecem, mas dentro na profundidade nada acontecerá.

Ali você simplesmente é.
Só há existência ali.
As ações não chegam até lá, nem os pensamentos.

Se você permanecer desprendido e natural naquela morada interior gradualmente verá que todos os elementos se movem em sua própria natureza.

O corpo é feito de cinco elementos.
A terra, aos poucos irá para a terra, o ar para o ar, o fogo para o fogo.
Isso é o que acontece quando você morre: cada elemento vai para seu próprio repouso - Dharmata significa a natureza elementar de todas as coisas - tudo se move para a sua própria morada.
Você se move para sua própria morada e então tudo se move para a sua. Não há perturbação.

Há duas maneiras de viver, e duas maneira de morrer.
Uma delas é como toda gente está vivendo: mesclando-se a tudo, esquecendo completamente o céu interior.
A outra forma de viver é o repouso interior e permitindo que as forças elementares façam seu próprio caminho.(...)

O homem iluminado permanece dentro da sua morada.(...)
Se você permanece dentro, verá que tudo acontece por si mesmo.
Até as árvores encontram suas nascentes, sem ego e sem mente. As raízes se movimentam para encontrar uma nascente; às vezes movimentar-se-ão muitas centenas de metros para encontrar uma nascente. E a árvore não possui mente, não tem ego.
Mas devido á existência das forças elementares, a árvore por si própria começa a lançar raízes em direção ao norte ao manancial, e um dia ela encontra.(...)

Por isso Jesus disse: "Considere os lírios do campo que não trabalham, nem fiam; nada fizeram e tudo acontece".
Quando você está no interior de sua morada, suas forças elementares começam a funcionar em sua pureza cristalina. Não saia. (...)
Compreenda isso e terá atingido o Inatingível. Compreenda isso e compreenderá tudo o que há para compreender.

Conservando-te na região não-nascida,
Tua aparência se dissolverá em Dharmata
E o egoísmo e o orgulho se desvanecerão em nada.

E quando ver que as coisas estão acontecendo por si mesmas, como você poderá reunir um ego e gabar-se dele?

Como poderá dizer "eu", quando a fome tem seu próprio caminho,
Satisfaz a si mesma, torna-se saciedade; Quando a vida tem seu próprio caminho, satisfaz a si própria e procura repouso?

Quem é você para dizer "eu sou"?
O orgulho, o eu, o egoísmo, tudo se dissolve.
Então nada faz,
Então nada quer-
Simplesmente fica em seu ser interior
E a relva cresce por si mesma...
E tudo acontece por si mesmo."
Osho em Tantra a suprema compreensão

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails