28 de julho de 2011

O Medo da mudança...


"Toda a mudança gera medo, porque toda mudança o leva ao desconhecido, a um mundo estranho.

Se nada mudar e tudo permanecer estático, você nunca terá medo algum.
Isto significa que se tudo estiver morto, você não terá medo.

Por exemplo, você está sentado e existe uma rocha ao seu lado. Não há nenhum problema: você olha para a rocha e está tudo bem. De repente, a rocha começa a se mover; você fica assustado. Vivo!

Movimento gera medo; e se tudo estiver parado, não há nenhum medo. Eis porque pessoas, com medo de cair em situações temerosas, arranjam uma vida sem mudanças. Tudo permanece na mesma e a pessoa segue uma rotina morta, completamente esquecida de que a vida é um fluxo.
Ela permanece numa ilha própria onde nada muda. A mesma sala, as mesmas fotografias, a mesma mobília, a mesma casa, os mesmos hábitos, as mesmas camas - tudo na mesma.Entre isso, no meio dessa mesmice, a pessoa sente-se à vontade.

As pessoas vivem quase que em seus túmulos.
O que chama de uma vida conveniente e confortável não é nada senão um túmulo disfarçado.

Então, quando você começa a mudar, quando começa na jornada do espaço interior, quando se torna um astronauta do espaço interior, tudo está a mudar depressa, cada momento tremendo de medo. Desse modo, mais e mais medo precisa ser enfrentado.

Deixe o medo estar lá. Pouco a pouco começará a desfrutar tanto das mudanças que estará preparado a qualquer custo.

Mudanças irão dar-lhe vitalidade... Mais vivacidade, alegria, energia.

Então você não será como um poço - fechado por todos os lados, estático.
Você se tornará como um rio correndo em direção ao desconhecido, em direção ao oceano onde desaparece."
Osho em Meditações para o Dia

Este texto do amado Osho me faz lembrar do ensinamento de Buda: O caminho do meio.
Nada deve ser levado ao extremo, e sim sempre buscarmos o equilíbrio.
O aconchego é bom, aquilo que é conhecido, é bom? Sim é muito bom.
Mas o novo, o desconhecido também pode ser bom! Faz parte da vida, é inerente a nossa vida, a mudança...
A mudança nos coloca em constante adaptação, somos como que "provocados" em cada situação nova, e isso é uma maneira de colocar a mente em cheque, de deixá-la "insegura" mesmo com todo seus aquivos de memórias, o novo sempre surpreende, trás elementos que a mente não tem como prever, e isso é que é fascinante!
Quando finalmente percebemos e fazemos as pazes com o novo, com a mudança, fica claro que mudança é a constante da existência. Mesmo aquilo que aparentemente está imóvel, e imutável, se olharmos a nível atômico por exemplo, é puro movimento, pura mudança, mesmo longe do alcance da nossa visão.

O medo não é negativo em si. O medo é um aspecto, uma emoção básica, necessária até eu diria, para que possamos ser verdadeiramente inteiros.
O olhar acolhedor, simplesmente acolhe, seja lá o que for, e se não rotularmos o medo de "negativo", a alegria de "positiva", enfim, se apenas sentirmos as emoções que vierem, e aprendermos com elas, identificando que são formas-pensamentos, que vem e vão, continuaremos centrados na consciência que apenas observa, silenciosa e presente...

As mudanças existem, tem sua função, e fazem parte de uma engrenagem maior, que não temos controle nem conhecimento.

Desfrutemos daquilo que muda. Desfrutemos igualmente daquilo que permanece conhecido.
Sabendo que ambas são parte da existência, e ambas nos trazem ensinamentos únicos e valiosos para nossas vidas...
Amor
Lilian

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails