4 de agosto de 2010

Ternura...


Eu te peço perdão por te amar de repente
Embora o meu amor seja uma velha canção nos teus ouvidos
Das horas que passei à sombra dos teus gestos
Bebendo em tua boca o perfume dos sorrisos
Das noites que vivi acalentanda
Pela graça indizível dos teus passos eternamente fugindo
Trago a doçura dos que aceitam melancolicamente.
E posso te dizer que o grande afeto que te deixo
Não traz o exaspero das lágrimas nem a fascinação das promessas
Nem as misteriosas palavras dos véus da alma...

É um sossego, uma unção, um transbordamento de carícias
E só te pede que te repouses quieto, muito quieto
E deixes que as mãos cálidas da noite encontrem sem fatalidade o olhar estático da aurora.
Ternura por Vinicius de Moraes

2 comentários:

  1. Olá!
    Seu cantinho tem uma energia muito boa.
    Parabéns pela sensibilidade.
    Desejo que seu caminho seja de muita paz e luz.
    Tenha uma ótima noite.
    Com carinho, Lady.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Lady por suas palavras tão carinhosas!!
    Muita luz no seu caminho também!!
    Seja bem vinda Sempre!!
    Com carinho Lilian

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails