2 de agosto de 2010

Quase loucura...


"No que se refere ao mundo, tornar-se um buscador é quase tornar-se louco. Assim, você está entrando na loucura. Mas essa loucura é a única sanidade que existe !

Nossa infelicidade é que nos esquecemos da linguagem do amor. A razão de termos esquecido a linguagem do amor é que ficamos demasiadamente identificados com a razão, com a mente.

Nada há de errado com a razão, mas ela tem a tendência a monopolizar. Ela se prende a todo o seu ser. Então, o sentimento sofre, passa fome e aos poucos você esquece completamente dele.
Ele continua encolhendo e encolhendo, e esse sentimento morto se torna um peso morto; esse sentimento se torna um coração morto.
Então a pessoa pode dar um jeito de empurrar a si mesma, e sempre será de 'algum jeito'. Não haverá charme ou magia porque sem amor, não existe magia na vida.

E também não haverá poesia; a vida será apenas prosa, sempre a mesma prosa. Sim ela será gramática, mas não terá canção; ela terá uma estrutura, mas não terá substância...
O risco de se mover da razão ao sentimento -da mente para o coração - e tentar manter um equilíbrio é algo apenas para os realmente corajosos -apenas para os loucos- porque o preço de admissão nada mais é que sua mente dominada pela razão, sua mente dominada pela lógica, sua mente dominada pela matemática.
Quando essa atitude for abandonada, a prosa não estará mais no centro, e sim a poesia; o propósito não estará mais no centro, e sim a brincadeira; o dinheiro não estará mais no centro, e sim a simplicidade, a não-possessividade, o puro deleite da vida, ou seja, quase uma loucura!!"
Osho em Todos os dias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails