8 de agosto de 2010

Culpa...


"A palavra culpa, jamais deveria ser usada. (...) Ela não é um fenômeno natural, foi criada pelas pseudo-religiões. Através da culpa se pode explorar a humanidade.
Toda história das pseudo-religiões está baseada na culpa: é a mais venenosa das palavras.

Não se pode encontrar culpa nos animais. Os animais simplesmente são; eles não tem nenhum ideal, eles simplesmente existem. Não existe perfeição a ser alcançada, por isso todos os animais permanecem belos e inocentes.
O ideal corrompe.
No momento que se tem um ideal a alcançar, você jamais estará a vontade, estará em casa, e você jamais estará contente. Insatisfação segue o ideal como uma sombra, e quanto mais insatisfeito você fica consigo mesmo, mais isso se torna impossível de alcançar o ideal.

Se você está satisfeito consigo mesmo, se você se aceita como você é, o ideal desaparece imediatamente. Eu enfatizo a palavra 'imediatamente': sem nenhum intervalo, neste exato momento, aqui e agora, você realiza que já é perfeito: isso não é algo que se precise ser alcançado no futuro, isso é algo que existe em você.

Perfeição é a sua natureza - você é perfeito.
Essa é a diferença entre as pseudo-religiões e as religiões autênticas. (...)
As religiões autênticas dizem que você é perfeito, não que você venha a ser perfeito um dia.

Você não pode ser imperfeito, porque para Deus, imperfeição é impossível. Se Deus cria o mundo, como ele pode ser imperfeito? E se você vem de Deus, como você pode ser imperfeito?

Vocês são Deuses - vocês são o tattvamasi. E isso é a realização e um profundo entendimento, isso não é algo a se tornar, ou um vir a ser. Se você está silente, nesse exato momento você realiza a verdade, você é perfeito! E uma vez realizado que você é perfeito, sua vida é perfeita, porque tudo que emana de ti é perfeito também.

Por isso, por favor não usem essa palavra 'culpa', ela é perigosa.(...)
Aceitem-se como vocês são totalmente, incondicionalmente.
Essa é a maneira que Deus quer que vocês sejam: a maneira exata que são, precisamente como são. É assim que vocês são necessários aqui nesse momento. Até o esforço de mudar é infundado. Quem irá mudar de fato? Se vocês tentarem mudar mesmo que seja um pouco, vocês cairão no ideal, no mesmo circulo vicioso do ideal e da culpa, e vocês falharão.(...)

Se vocês estão aqui e agora e se aceitarem completamente como são, essa aceitação total cria transformação pois estão de acordo com a sua natureza original, essa é a beleza que acontece. Quando vocês aceitam a si mesmos, vocês começam a se mover - não pela força; nem apresse o rio; nem mesmo lute - flua com a vida. Sem nenhum ideal.(...)

Perfeccionismo gera neurose. Todo esforço em se tornar algo perfeito é obsessivo, isso cria neurose, isso cria toda sorte de loucuras. Logo você jamais será sadio. A única sanidade que existe é aceitar-se como você é. Não se condene, nem se julgue.(...)
De repente você descobrirá que está se movendo com o rio da vida, fluindo. E todos os rios alcançam o oceano, e nenhum esforço é necessário."
Osho em Come Follow Me.

2 comentários:

  1. " as pessoas mais felizes não são aquelas que tem tudo que desejam, mas aquelas que sabem aproveitar o que a vida lhes deu", como já dizia Clarice Lispector. Acho que eh exatamente isso, ser feliz eh tomar a consciência de que se êh completo agora e de que não há nada a conquistar ou a mudar. Quando se percebe isso, eh tão fácil se entregar totalmente, e quando se entrega totalmente eh tão fácil ser feliz. Nada mais te impede de viver este momento de forma completa e perfeita.
    Beijos

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails