18 de agosto de 2010

Satchitananda...


"O estado primordial está repleto de bem-aventurança, mas não há ninguém para reconhecê-la.
As árvores ainda existem naquele estado primordial, as montanhas, os oceanos, as nuvens, os desertos, todos ainda existem naquela consciência primordial. É o estado de inconsciência.

Buda chama isso de puro nada, porque não havia distinção, não havia demarcação. Era nebuloso:nenhuma forma, nenhum nome, como uma noite escura.(...)

Há muitas teorias propostas mas a teoria do Big Bang é a mais aceita, de que a partir daquele nada, coisas explodiram como uma semente explode e se torna uma árvore(...) Uma única semente pode preencher a terra inteira (...) E não apenas a terra, mas todas as terras possíveis na existência. Uma única semente! E a partir desse nada, o todo se desdobrou (...)

Tentarei explicar "esse começo sem começo", porque você não pode voltar, mas há uma maneira de seguir em frente. E como tudo se move em circulo, o tempo também se move em circulo.(...) No oriente acreditamos no tempo circular. E o conceito oriental é mais próximo da realidade, porque todo movimento é circular. A terra, a lua, as estrelas, o ano, as estações, a vida, tudo se move em circulo.(...) Então porque deveria haver excessão para o tempo? O tempo também se move em circulo.Não podemos voltar, mas se você for para a frente, se seguir adiante, um dia alcançará o 'começo sem começo', ou pode chamá-lo agora de 'fim sem fim'.

Buda o conheceu e experimentou. (...)
O que os cientistas chamam de Big Bang, eu chamo de Orgasmo Cósmico, milhões de formas nasceram a partir dele e essa foi uma experiência imensamente bem-aventurada.

Nessa experiência três coisas de desenvolvem: A primeira, o Universo, que no Oriente chamamos de Sat, significa Ser; Do universo se desenvolveu a Vida, o que chamamos de Ananda. E da vida se desenvolveu a Consciência, que chamamos de Chit.

Sat significa Ser; Ananda significa celebrando o Ser, e quando uma árvore vem a florescer, ela está celebrando o seu Ser; e Chit significa mente/consciência, quando você ficou consciente de seu estado de plenitude, de sua celebração. Esses três estados são chamados de Satchitananda.

O ser humano chegou até a consciência. As rochas ainda estão no primeiro estágio do universo; elas existem, mas não florescem, não celebram; estão fechadas voltadas para si mesmas. Algum dia elas começarão a se mover, abrirão suas pétalas, mas no momento estão afundadas em si mesmas, completamente fechadas.Itálico
Árvores e animais, esses chegaram ao estágio seguinte, a vida, tão feliz, tão bela, tão colorida. Os pássaros ficam cantando, as árvores ficam florescendo...esse é o segundo estágio, a vida.

Apenas o ser humano alcançou o terceiro estágio; o estágio da mente, o estado chit, consciência.
Buda diz que esses três estágios são como um sonho. O primeiro, o "começo sem começo", o estado primordial, é como o sono sushupti. Esses três são como um sonho, como um drama, que continua se desdobrando. Se você for além da mente, se começar a caminhar em direção a meditação, isto é, em direção a não-mente, de novo uma outra explosão acontece; porém, agora ela não é mais uma explosão, mas uma implosão; Assim como um dia a explosão aconteceu e milhões de coisas nasceram a partir do nada, da mesma maneira quando a implosão acontece, formas e nomes desaparecem, e novaItálicomente o nada nasce daí. O círculo está completo. (...)

A explosão não pode existir sem a implosão; elas caminham juntas. A implosão significa que de novo a consciência penetra na vida, que a vida penetra no universo, que o universo penetra no nada, e então o circulo se completa. O nada penetra no universo, o universo penetra na vida, a vida penetra na consciência, a consciência penetra novamente na vida, a vida penetra novamente no universo, o universo penetra novamente no nada...o círculo está completo.
Após a implosão, quando ela aconteceu, quando tudo novamente chegou ao nada, agora há uma diferença...o primeiro nada foi inconsciente, este segundo nada é consciente; o primeiro foi escuridão, o segundo é como a luz; o primeiro foi como a noite, o segundo é como o dia; o primeiro chamamos de sushupti, o segundo de jagriti, que é percepção, despertar completo.
Este é o circulo todo."
Osho em Buda sua Vida e seus Ensinamentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails