11 de abril de 2010

Poeminha...


Na minha infância primeira
Criaram-se encontros eternos
Entre bonecas e jardins
Entre campos e pássaros
Nasceram
A solidão
E o silêncio...

Pequenina criança
Numa cidade distante
Vi nascer um desejo
De compreender a realidade
De enxergar o colorido da Vida
De quebrar as amarras da incompreensão coletiva
E voar...

No pequeno mundo
Já se encontrava em semente
Toda a busca de uma vida em aberto
Sem palavras
Nem companhia
Se construia o profundo
Com o coração pulsante
Confiante...

Me esqueci de duvidar...
Me esqueci de pensar...
Me esqueci de não-Ser...

Hoje na minha infância derradeira
Vejo cores e poemas em qualquer lugar
A beleza sem razão de ser
Existe...

Nem perguntas a fazer
Nem respostas a dar

A infância tornou-se Luz
A Existência também É...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails