27 de abril de 2011

Livre arbítrio - Ramesh



Ramesh: Primeiro, me diga o que você entende por “livre arbítrio”.

Pergunta: A noção de que “eu” posso escolher entre uma coisa ou outra.

Ramesh: Sim, mas isso inclui as consequências do que você escolhe? Seu livre arbítrio é escolher uma coisa ou outra. O seu livre arbítrio inclui o que decorrerá de fato daquilo que você escolher?

Pergunta: Não.

Ramesh: Que utilidade tem o seu livre arbítrio? Que livre arbítrio mais sem utilidade você tem! Então o que é o livre arbítrio? Certamente você pode escolher, mas se o que você escolher irá acontecer ou não, não está no seu controle. É por isso que quando as pessoas usam essas palavras eu geralmente as interrompo e peço-lhes para dizerem o que elas querem dizer por “livre arbítrio”.

Pergunta: A lógica que você apresentou, que faz sentido para mim, é que o desdobramento natural da criação, uma vez que é colocado em movimento desdobra-se a partir de um padrão determinado muito complexo. E então há este ego que pensa que pode escolher uma coisa ou outra.

Ramesh: Você vê, em que bases você faz suas escolhas? Como você faz suas escolha?

Pergunta: Essa seria minha pergunta, eu ia perguntar: “Quem escolhe?”

Ramesh: “Quem” escolhe? O ego escolhe. Mas o ego escolhe baseado em que? Meu ponto é que o ego faz sua “escolha” com base na programação que ele recebeu.

Pergunta: Sobre a qual ele não tem controle.

Ramesh: O condicionamento do meio circundante sobre o qual você não teve escolha.

Pergunta: Ou o DNA, ou algo mais.

Ramesh: Isso mesmo, portanto, há o DNA ou os genes, sobre os quais você não teve escolha, mais o condicionamento recebido do seu meio sobre o qual você não teve escolha. São essas duas coisas que eu chamo de 'a programação' com a qual você fará a “sua” escolha. Você fará sua escolha baseado no que você foi condicionado a pensar ser certo ou errado. Portanto, se o seu livre arbítrio está baseado na programação, a qual você não teve controle, então é o livre arbítrio “de quem” que estamos falando?

Pergunta: Então mesmo o livre arbítrio é uma função do Sujeito absoluto, da Fonte?

Ramesh: Correto, ou melhor, o livre arbítrio que você valoriza tanto está baseado em algo sobre o qual você não tem controle.

Pergunta: Muito bom. Isso é muito bom mesmo!

Ramesh: Eu retorno à válida questão do ego. O ego tem uma questão válida: “Vivendo em sociedade é esperado que eu faça escolhas – eu não devo fazer escolhas?” Eu digo: “É claro que sim.” Mas tudo o que estou dizendo para você considerar é: a escolha que você faz, é realmente “sua” escolha ou essa escolha acontece?
Ramesh Balsekar em Satsang

4 comentários:

  1. Ola Lilian,
    De todos os blogs, o seu é o que mais me identifico, faz pouco tempo que conheci, mais já percebi que a gratidão que você sente pelos mestres é a mesma que a minha, esses ensinamentos, satsans, textos, videos são verdadeiros tesouros, e é muito bom quando já conseguimos entender tudo que eles querem dizer, é uma "graça", agradeço todos os dias.
    Paz e Luz

    ResponderExcluir
  2. Oi Sissi!! Que lindo seu depoimento! Fico feliz que o blog esteja tocando seu coração com os ensinamentos dos nossos amados Mestres!!
    Obrigada por compartilhar, por seu carinho e sua luz!! Beijos querida!

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito! Você sabe como conseguir livros de Balsekar em português?

    serumano@ymail.com

    Obrigado.

    ResponderExcluir
  4. Olha, os livros do Ramesh que encontro são todos em inglês, mas assim que conseguir algum em português coloco para download ok? Namastê!

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails