26 de fevereiro de 2011

Humildade e serviço...



Jesus disse inúmeras vezes, "Os últimos serão os primeiros".

É uma afirmação simples, uma frase simples. Não é uma questão de causa e efeito. Ele não está dizendo que se você quiser ser o primeiro, deve antes ser o último. Está dizendo: "Se você é o último, será o primeiro".

E há uma grande diferença entre os dois. Linguisticamente, logicamente, nem tanto. Você dirá: " Qual é a diferença entre dizer uma coisa ou outra?" Mas existencialmente, há uma grande diferença.
Seja o último. Aprecie ser o último, e não porque sendo o último você será o primeiro. Quando você é o último com alegria, já é o primeiro! Ora, onde mais você poderia estar? Que estado elevado pode alcançar? Seja o último, aproveite...porque a última posição é um espaço muito, muito bonito; ninguém compete com ela, ninguém vai lutar contra você - você é o último.

Lao-Tsé dizia: " Sou o último, por isso vivo na maior paz, porque ninguém quer competir comigo".
Quem está disposto a lutar pelo último lugar? Todos tem compaixão pelo último; todos dizem: " Pobre homem". E quem é ambicioso pela última posição? Ninguém tira tal pessoa desse lugar.

Se você é o último, todos deixam você em paz, ninguém o perturba; você pode ser simplesmente você mesmo. E quando está disposto a ser o último, pode ficar no presente - do contrário, não.
Se quiser ser o primeiro, terá que ficar no futuro, porque deverá pensar: " Como serei o primeiro? Como tirar de lá, as pessoas que já estão lá, e arrumar um lugar para mim?"(...)

Um homem que está disposto a ser o último - não como uma estratégia para se tornar o primeiro, mas apenas compreendendo que é tolice e estupidez competir...Para quê? Por que não aproveitar a vida?
Você só pode fazer uma coisa: ou competir ou celebrar; é a mesma energia. Ou você aproveita, ou luta. Você pode amar ou lutar; as duas coisas juntas não são possíveis.
Assim, a pessoa que se coloca como última - não com o desejo de ser a primeira, mas compreendendo que ser a primeira é estupidez da mente, da mente medíocre, tola - a pessoa que vê a tolice disso, a inutilidade disso, que vê as pessoas que são as primeiras se sentindo no inferno; compreendendo tudo isso, ela se torna a primeira. Percebe? Você entende isso?
Quando um indivíduo compreende isso, torna-se o primeiro. É isso que Jesus quer dizer.(...)

Jesus diz: "Se alguém quer ser o primeiro, que seja o último, o servo de todos."
Ele está simplesmente afirmando um fato: que aquele que compreendeu a feiúra do ego, a feiúra da violência, o veneno da ambição - nesse compreensão tal indivíduo não competirá, ficará feliz onde estiver. E nessa felicidade, verá que Deus está em toda parte. E nessa experiência de Deus em toda parte, ele se tornará um servo.
Não que ele terá que praticar, não precisa buscar um lugar para onde ir ou como servir. Onde ele estiver, tudo é Deus, e o servo é a parte do todo. Não há um esforço deliberado para servir. O serviço vem quando você está em silêncio. O serviço flui de seu ser quando você está feliz, quando está tão pleno de energia que, ao surgir a necessidade, você serve.

Um cão está morrendo e você serve. Uma árvore está secando e ninguém lhe deu água; mas você lhe dá. E não finge nem se gaba de ter servido. Não sai clamando a todos: "Olhem que grande servo eu sou! Ajudei a essa árvore a ficar verde de novo. Não é essa questão. Ao ajudar a árvore a ficar verde, você deixou sua própria vida verde também. É a recompensa, não há outra. Ao ajudar o cão, você ajudou a si próprio - porque tudo é um.

Quando você bate em alguém, critica alguém, está batendo, criticando a si mesmo. Quando mata alguém, está se matando - porque somos todos um.
E quando você serve a si próprio, não há necessidade de se gabar. Você não se torna um grande missionário, um grande servo, ou coisa assim. Você não se torna ninguém, tudo ocorre naturalmente.
Quando uma pessoa está feliz, sua compaixão é natural; por causa da felicidade a pessoa é compassiva."
Osho em A flauta nos lábios de Deus

Um comentário:

Related Posts with Thumbnails