25 de fevereiro de 2011

Encontros curativos...


"Ninguém cura ninguém. Ninguém se cura sozinho. Nós nos curamos nos encontros."

Com essa citação de Roberto Crema, queria hoje começar esta reflexão.
A vida é a grande arte do encontro, já dizia Vinicius de Moraes, e é verdade.
E já começa cedo..a própria fecundação é encontro, gestação é encontro, e vamos vivendo milhares, milhões de encontros ao longo das nossas vidas...
Encontros que causam dor, encontros que curam a dor...
Encontros que nos fazem ampliar a visão e também aqueles encontros que nos fecham a visão...

Todas as qualidades de encontros pertencem à existência, pois, cada encontro é na verdade, a dualidade aparente da existência única manifesta, que se "duplica" para se experimentar, para se encontrar consigo mesma, e com isso "criar" padrões, ressonâncias, melodias, nuances novas...a música cósmica não pode parar...

O que sempre me chama atenção, é a qualidade dos encontros.
Qualidade no sentido luminoso da palavra, isto é, o que levamos em nós, de cada encontro, o que acontece em mim, que levo comigo, depois daquele encontro...Quanto mais percebemos em nós, essas pequenas ( ou grandes ) variações, mais apurada fica a percepção interna, subjetiva, silenciosa, da real vibração que cada encontro cria dentro de nós.

Quanto mais estamos afinados com o silencio interior, com o nosso profundo-maior, fica cada vez mais fácil, e mais rápido também, reconhecer, identificar a qualidade que cada encontro nos trás.

Interessante que, como cada momento é único, e cada pessoa é única, cada encontro também é único, não pode se prever o que acontecerá. Ou mesmo que já tenhamos encontrado aquela pessoa várias vezes, muitas vezes, fica claro que, a cada momento o encontro tem uma qualidade, uma particularidade diferente, e o que ressona em nós é específico daquele momento, não se repete.

Noto muitas vezes, que alguns mestres, possuem um campo, uma vibração tão alta, tão luminosa e harmoniosa, que o simples fato de lermos algo que eles escreveram, ou ouvirmos mesmo pela mídia suas palestras, ou satsangs, só isso, já causa em nós uma mudança vibracional positiva, que organiza nosso próprio campo. A presença é tão forte e luminosa, que a radiância se expande, apesar da distância, ou dos equipamentos de transmissão.

Os encontros curativos são algo belo e verdadeiro.
A arte do encontro passa pela sensibilidade, pela consciência interior, que está além de qualquer lógica, ou razão. Quanto mais auto-conscientes, quanto mais apaziguados estamos, internamente, mais clara fica a percepção do que acontece à nossa volta, das energias que chegam, das vibrações do ambiente, e também do que está acontecendo em termos vibracionais nos encontros com outras pessoas.
A cura, como nos aponta Roberto Crema, advém dessa sintonia fina, dessa sensibilidade natural, que traduz em si mesmo, o que o outro ainda não teve acesso em si.
Através dessa auto-investigação, dessa auto-introspecção, "vemos" o outro em profundidade, e podemos caminhar com ele, no sentido de ir clareando certos aspectos obscuros, inconscientes, e ir aos poucos transformando aquilo que era confuso, nebuloso, cheio de emoções complicadas e amorfas, em um espaço aberto, claro, e integrado, sem divisões. Desta maneira a cura emocional, se processa, e mais e mais o Ser pode ser sentido, percebido, já que as nuvens nebulosas que o ofuscavam, foram sendo dissolvidas.

Viver é encontrar. E encontrar é se transformar e transformar o outro.
Nunca saímos os mesmos. Mesmo que não percebamos, estamos transformados, em algum nível, em alguma dimensão. Quanto mais conscientes ficamos de nós mesmos, mais claramente percebemos a qualidade vibracional de cada momento, e dele tiramos lições e aprendizados para nossa vida.
Quanto mais consciência mais luz, mais radiância.
A meditação nos coloca diretamente voltados para o profundo em nós, para o silencio e para a percepção dessa vibração natural, fundamental, que emana em nós.
Não é de se estranhar, que a meditação está sendo cada vez mais estudada pela comunidade científica nos dias de hoje, e já sendo usada como mais uma ferramenta no combate ao stress e algumas doenças crônicas.

Vemos cada vez mais que, grande parte dos problemas sejam eles físicos, ou emocionais, advém da falta de contato com nosso profundo, com nosso silêncio interior. O simples fato de ancorarmos no Ser, no silencio e na paz interior, já é curativo, e nos coloca diretamente em contato com a fonte criadora da vida em nós.
Isso já nos apontavam os mestres orientais há muitos séculos, e vemos cada vez mais o quanto eles estavam ( e ainda estão!) certos...
A meditação é mesmo um encontro maravilhoso consigo mesmo, o principal encontro eu diria, e através dele, podemos encontrar verdadeiramente tudo e todos...sem excessão, uma vez que o mundo irradia a partir de nós, aquilo que vivemos "dentro" se projeta "fora"..

A paz interior é a base da paz exterior.
O encontro consigo mesmo, nos faz ver que somos todos Um e o mesmo...
Amor
Lilian

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails