12 de fevereiro de 2010

Sobre o "eu"...


Aonde está esse "eu"?
Hoje vamos refletir sobre esse pensamento "eu".

Quando nascemos, não temos nenhuma consciência do que se trata esse "eu"
Simplesmente existimos no mundo. O Todo da criação vive e se manifesta através dessa nova forma que veio ao mundo.
Nosso corpo funciona, vamos aos poucos ouvindo melhor, vendo melhor, nos movimentando melhor, enfim, nosso corpo integra melhor os movimentos, os sentidos, as percepções também e vamos "tomando forma" !!
Mais adiante começamos a compreender quem é o pai, a mãe, quem são os da família, que cuidam de nós, reconhecendo seus rostos, sua voz, e vamos indo, aprendendo a viver no mundo e com os demais....
Chega um momento que recebemos e reconhecemos que temos um nome, uma identidade, que nos diferencia dos demais...somos únicos. Ganhamos um "eu".

Aí começa o desafio.
Vem em seguida as ordens, as comparações, as críticas, os elogios, as competições, as punições...
Somos que impelidos a dar "vida" a esse pensamento de "eu".
Já que ganhamos um temos o dever de dar vida a ele, fazê-lo existir... se todos a volta fazem assim, quem somos "nós" para sermos diferentes...

Nesse momento começamos a nos dividir do TODO.
Começamos a pensar como unidade diferenciada. Começamos a "sair do paraíso".
Passamos a ver o outro, como "outro". Passamos a não mais reconhecer a que pertencemos a vida, ao cosmos, a Deus.
Tudo fica externo a nós. O "eu" caminha só, sua diferenciação tem um preço alto. O preço do isolamento, o preço do sofrer nesse mundo, pois a unidade foi "perdida".

Dessa maneira, com o nosso "eu" vamos indo pela vida. Buscando a unicidade perdida aonde?
No conhecimento. No poder. Nos relacionamentos. No dinheiro. Na carreira enfim... em milhares de "coisas"... e passamos a sentir um imenso vazio interior, que muitas vezes nos levam a depressão, a ansiedade, as drogas, ao isolamento, até a loucura...
É esse o caminho do "eu".
Como unidade aparentemente isolada do todo, com a aparente perda do paraíso, o "eu" vive a eterna busca da felicidade no amanhã, no depois, na vida eterna, sei lá...

Se paramos para refletir um segundo apenas, vamos ver que o Todo nunca foi perdido.
O Todo continua e sempre continuará o Todo. Não tem como ser diferente...

Mas o pequeno pensamento "eu", "meu", "seu", "você"... enfim é que fizeram toda diferença lá no iníco de nossas vidas, e passamos toda uma vida, ou até muitas vidas, tentando derrotar esse pensamento de "eu", e retomar a unidade inicial, retomar a felicidade de pertencer a criação, a Deus, ao Todo, ou seja, retornar ao Paraíso...
Lembrando apenas que o Paraíso é aqui e agora... sempre.
Existe apenas um pequeno, ínfimo e insignificante pensamento que o impede de vivenciá-lo plenamente...
O pequenino pensamento de "eu".
Amor
Lilian

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails