24 de janeiro de 2010

O Ser...


Hoje queria refletir sobre o Ser...nossa consciência Una.

Assunto fascinante, que nos remete ao âmago da existência....nos sugere sempre algo inatingível e oculto, mesmo em face de tantas evidencias...

Como sabemos que existimos?
Como temos certeza que existe um Eu sou?

Esse é o inicio da reflexão. Ser, implica em uma consciência...consciência de Ser...
Ser alguém, ser uma pessoa...que vive, que sente, que pensa, que inclusive medita sobre o Ser...

Se fizermos essa mesma pergunta a uma planta, a um animal, a uma pedra, que resposta teremos? Nenhuma...
Não que ali não possam existir outros níveis de consciência...mas onde está a auto-consciência?

A consciência do Eu sou, é exclusiva dos seres humanos...

Quando paramos um instante, e mergulhamos no nosso profundo, deixando de lado nomes, rostos, formas, estória pessoal, culturas, tradições, crenças, sentimentos, pensamentos....quando nos livramos de todas essas "coberturas" que carregamos ao longo da vida...quando nos sentamos e apenas respiramos o instante presente, centrados em nós mesmos, fechamos os olhos para o mundo das formas, aquietamos nosso corpo e nossa mente...o que surge...

A consciência...de que nós somos...nós estamos ali....simplesmente presentes...
Tomar consciência da nossa natureza essencial é tão simples, e tão encantadora que só mesmo o silêncio para acolhe-la...
Qualquer fala, qualquer som, qualquer coisa atrapalha...cria marolas nesse lago calmo...
Nossa essência é como essa superfície de um lago calmo....sempre presente, sempre consciente, sempre pronta e perfeita....
Uma tela em branco onde tudo pode ser projetado nela, ( formas, memórias, pensamentos, sentimentos, desejos enfim...) mas ela permanece sempre branca e imaculada, pois não pertence a esse mundo....não é coisa, não é energia....é espírito....

Divina presença. Divino espírito que se manifesta límpido e claro, em cada um de nós...
Simplesmente observa tudo aquilo que nela se projeta, mas ela permanece apenas observando... nada sequer a arranha, nem toca...tudo passa, só ela permanece....
Nossa natureza incriada e plena. Se mantém ali...silenciosa e bela...como a luz...

Cada ser humano é em essência essa consciência essa luz...
Toda a criação manifesta essa mesma luz, de muitas formas diferentes...muitas mesmo...mas a luz é a mesma...o que difere uma planta de uma pedra, de um animal...são apenas níveis de consciência diferentes...

Toda a nossa caminhada espiritual, se é que se pode chamar assim ( pois não estamos indo a lugar nenhum...já está tudo em nós..) é no fundo a desidentificação de tudo que nos impede de manifestar essa consciência luminosa e plena...

O processo é de retirada...de esvaziamento...de dizer eu não sou isso, eu não sou aquilo....

Temos corpo, mas não somos nosso corpo; temos pensamentos, mas não somos nossos pensamentos; temos memória, mas não somos nossas memórias; temos desejo mas não somos nossos desejos; temos sentimentos, emoções, mas não somos nossos sentimentos, nem emoções...não sou isso, nem aquilo....

Até que no final ( ou começo? ) alcançamos a tela em branco, tela que sempre esteve ali, desde sempre....não projetamos mais nada nela, não colocamos nenhum obstáculo a essa plena luz...limpamos o vitral...
A luz passa clara e plena, sem distorções...e se manifesta radiante no mundo como Cristo, como Budha...

É isso...
Amor
ૐLilian

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails