8 de maio de 2012

Observar...


"Buda tinha uma ideia interessante a respeito da tecnologia da iluminação, e essa ideia nasceu muito apropriadamente, pautada numa clara visão. Ele notou que as pessoas se confundiam com aquilo que elas viam, então propôs um método inovador para a época. Ele disse: "Observe os seus movimentos, observe como você respira, observe o que você sente, observe o que você pensa". E as pessoas aceitaram este convite.

O que aconteceu com a proposta de Buda é que, quem olhou para onde estava sendo apontado, começou a notar muito lentamente – talvez lentamente demais – que se eles estavam observando o que quer que seja que estivesse ocorrendo (a respiração, os pensamentos, as sensações...), ficava óbvio que eles não eram aquilo que estava acontecendo. Pois, quem estaria observando?

Este, portanto, é justamente o ponto de onde inicio a minha conversa com você: quanto tempo você precisa observar para se dar conta de que você não é aquilo que está sendo observado?

Buda propôs como uma técnica: observe cada movimento, palavra, respiração, sensação... E a maioria daqueles que receberam e recebem ainda hoje essa instrução, perdem-se na tentativa de "controlar" esses acontecimentos. Ele disse: "Observe". E as pessoas perdem seu tempo tentando controlar o que pensam, o que sentem, o jeito que se movem. É a mente mal-interpretando e se apropriando da proposta.
Buda não estava propondo o controle, estava propondo a elucidação. Todo o intuito dessa proposta é que você veja que você é aquele que "" e aquilo que é observado por você não é você.

Existem dois processos em ocorrência: a percepção e o fato em si.
Inicio propondo que você não é o seu corpo nem a sua mente e chamo a sua atenção para quem você é, apesar dos sentidos.

Eis que, diante de tal proposta, o que resta como sendo "você" é nada. E esse "nada" tende a ser interpretado como niilista para a mente – o que aciona um sério risco de que você desista no meio do caminho. Mas a boa nova que me acompanha é que esse "nada" é Aquilo onde todas as coisas ocorrem.
Portanto, fique exatamente onde você está e veja o que Observar significa."
Satyaprem em Satsang

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails