18 de outubro de 2011

Estar em Satsang...


"Estamos aqui reunidos para reconhecer a Verdade que é eterna.
Estar em Satsang significa estar em associação com a Verdade. Quando nós compreendemos isso, nós podemos nos encontrar juntos aqui, com uma intenção comum à todos.

Quando você vem a Satsang para ter uma associação com a Verdade, em geral você é levado a perguntar: Quem Sou Eu? ou O que Sou Eu? sem nenhum roteiro ou regra, sem histórias sobre quem você é e o que você é. Existe um convite para que se liberte de todos os roteiros do que você pensa sobre sua vida, e tudo que a envolve. Todo senso de identidade está nesse roteiro.

Alguns papéis desse roteiro são " Eu sou um homem ( mulher) de sucesso", ou " Eu sou um homem ( mulher) sem sucesso", ou " Eu sou um buscador espiritual que já teve muitas experiências espirituais". Nós sempre temos roteiros específicos e nossas histórias sobre esses papéis. Mas nossas histórias e papéis não são verdadeiramente o que nós somos.

A beleza sobre Satsang é que se trata de uma oportunidade de acordarmos das nossas histórias. Quando você começa a realizar o que a Verdade é, você reconhece que a Verdade não é uma abstração, não está fora daqui a uma distância de você, e não é algo para ser aprendido amanhã. Você descobre que a Verdade é Quem você realmente É, sem as suas histórias ou roteiros, neste exato momento. A benção real desse encontro é a oportunidade de parar agora mesmo, não amanhã de contar essas e acreditar nessas mesmas histórias.

O Despertar é uma mudança radical de identidade.
Você pensa que é você, mas você não é! Você é o Ser eterno.
O tempo de Despertar é agora. Não amanhã. Agora.

Quando meu pequeno eu começa a realizar porque está aqui em Satsang, ele pensa: " Este não é um lugar para mim. Eu pensei em vir aqui para tirar vantagens, mas não existem vantagens aqui". É uma ideia revolucionária para muitas pessoas, em ir a algum lugar ou fazer alguma coisa onde não se ganhará nada, nem terá vantagens.

Mas Satsang significa poder ver que nossa felicidade e liberdade nada tem a ver com ganho, nem sorte nem vantagem. Pelo contrário, tem a ver com o mergulhar profundamente na experiência desse momento totalmente desarmados de defesas, sem nenhuma estratégia. Trata-se da oportunidade de parar de criar estratégias e histórias sobre nós mesmos.

A benção aqui é que somos convidados a uma experiência direta do "pequeno eu" sem defesas.
Aqui nós podemos perguntar " O que sou Eu? e Quem sou Eu agora? - sem minhas histórias, sem minhas demandas para este momento, sem minha esperança para este momento, sem meu roteiro.
A mente, se disser alguma coisa, apenas dirá: "Eu não sei." Porque a mente não sabe o que é quando é desarmada, ela não sabe quem ou o que é sem as regras ou os personagens para jogar.

O ator que atua todos estes papéis é chamado de "eu". Mesmo quando nós respondemos as boas vindas ao chamado do Satsang, o ator continua mantendo a si mesmo e tendência da mente diz: "Eu estou aqui". Mas, quando olhamos o que está por trás do "Eu estou aqui", é como se gritasse em uma sala vazia - existe um eco, "Eu estou aqui", e toda vez que olharmos, nós só encontramos um eco. Quem? "Eu estou aqui." Quem?

Então, quando você começar a abandonar cada vez mais os enganos e equívocos de quem você pensa que é como o ator atrás do papel, você começa a ver que isso é apenas uma outra narrativa. Se você realmente olhar, haverá uma chance maravilhosa de estar plenamente desarmado, porque você não irá encontrar nenhum ator, ou ninguém na verdade.

Quando esse desarmamento acontece, você está permitindo que a maravilha da experiência do presente aconteça. Isto é a maravilhosa experiência do Ser que você pode experienciar por si mesmo. Você realizará que isto não é um roteiro nem regra, não está programado e só está relacionado a este momento. Também não existe nenhum ator atuando. O que você é em verdade, é anterior a idéia que você faz de si mesmo.

O que você é sem suas regras, está escondido em algum lugar. E então quando você abandona suas regras, quando olha para o passado do personagem chamado "eu" para a verdade do seu ser, você pode pensar que existe alguém para se encontrado, que está de alguma forma escondido. Se isso acontecer quando alcançar um estado de abertura. Veja que não existe ninguém aqui, o Self, a Verdade, o Ser iluminado é que vê, é que É. Se você sair desse roteiro do pequeno eu - agora o que você é? (...)

Despertar é a realização que acontece antes da mente encontrar um novo roteiro, a mente diz: desisto. Não tenho a menor ideia de quem sou."
Quando você começa a compreender isto, você realiza que se abandonar os roteiros que seguiu antes e abandonar estas regras por um momento, você verá que não é quem você acreditava ser.

Vir a um Satsang é uma coisa revolucionária para a idéia de "eu", porque o "eu" pensa que está indo para obter alegria em mudar de roteiro, de regras, de identidade - mesmo que esta identidade seja não ter identidade. Ele vai fazer o que for preciso para fazer a bola chamada "eu" rolando. E a verdadeira proposta é investigar de perto, se o "eu" existe de fato, ou se trata apenas de uma idéia, de um pensamento. (...)

Se nós perguntamos " Quem sou eu sem o conceito de "mim"? O que sou Eu sem o "mim"?
Instantâneamente o conceito de "eu" pode ser iluminado através da experiência, porque é uma resposta viva a esta questão : O que sou Eu? Quem sou Eu? Não é um conceito morto, mas uma resposta viva.

Neste momento do radiante despertar acontece um misterioso desdobramento dentro de cada um, momento a momento. Este estado vivo do Ser, é a única coisa que você tem sido e sempre será, e que é agora. Você não é um ser humano, você é o Ser na aparência humana. (...)

Quando você despertar para esta consciência, verá que a vida brinca com a "sua" vida, ou melhor, que a vida brinca consigo mesma. E não se move de acordo com agendas do pequeno eu, aquele que tem todas as ideias sobre isto ou aquilo. Despertar não se preocupa mais sobre agendas ou deveres e regras. As coisas acontecem, e mesmo não acontecendo da maneira que se deseja, existe gratidão mesmo assim. Você descobre que a existência tem seu próprio
movimento, suponho que a rendição real seja seguir este movimento. Isto é o verdadeiro significado do "Seja feita sua vontade".

Satsang é um convite, um convite a desidentificação e a realização do mistério. Oh isso é o que eu sou! Eu pensava que era aquele eu cheio de compromissos, regras e papéis. Eu pensava que era o ator das regras. Eu pensava que eu era as regras"
Nada disso é verdadeiro.

Quando o conceito chamado: "Eu sou um ser humano" termina, nós chamamos isto de morte.
É mais fácil se deixar que este conceito morra antes do seu corpo físico morrer. E deixe a vida correr como quiser a partir de então.
Através do Satsang você acorda para o Ser que tem sido eternamente e tenha uma vida verdadeira."
Adyashanti em Emptiness Dancing - Satsang

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails