10 de agosto de 2011

Nada é puro ou impuro...


"O tantra diz que o fato é real e a interpretação não é real. Não interprete. Na verdade, nada reconheça como puro ou impuro. Por que? Porque pureza e impureza são nossas atitudes impostas sobre a realidade. Tente isto.

Esta técnica é difícil, não é simples, porque nós somos muito orientados em direção ao pensamento dual, baseados e enraizados no pensamento dual, de modo que nem nos damos conta de nossas condenações e justificações. Se alguém começa a fumar aqui, você pode não ter sentido conscientemente, mas você condenou. No fundo, dentro de você, teve uma condenação. O seu olhar pode ter condenado, ou o não olhar pode ter condenado. Você pode nem ter olhado para a pessoa, e ainda assim, ter condenado.

Será difícil porque o hábito tornou-se profundamente enraizado. E você continua, pelos seus simples gestos, pelo seu sentar, pelo seu estar de pé, continua condenando, justificando, nem mesmo percebendo o que você está fazendo. Quando você sorri para uma pessoa ou quando você não sorri, quando você olha para uma pessoa, ou ou quando você não olha, quando você simplesmente ignora alguém, o que você está fazendo? Você está impondo as suas atitudes.

Você diz que algo é belo, então você terá condenado algo como feio. E essa atitude dual está dividindo você simultaneamente, assim, dentro de você, existirão duas pessoas.

Se você diz que alguém está raivoso e que a raiva é ruim, o que você fará quando você sentir raiva? Você dirá que isso é ruim, e daí surgirão problemas, pois você dirá que 'isso é ruim e essa raiva em mim é ruim.' Daí, você começou a se dividir em duas pessoas: uma pessoa ruim, uma pessoa má internamente, e uma pessoa boa, um santo. Naturalmente, é provável que você se identifique com o santo internamente, e, em conseqüência, o demônio, o Satã, o ruim dentro de você será condenado. Você está dividido em dois. Agora, haverá uma luta constante, um conflito. Agora você não consegue ser um indivíduo; você será uma multidão, uma casa dividida contra ela mesma. Agora não haverá paz nem silêncio. Você sentirá somente tensões e angústia. Isso é o que você está sentindo, mas você não sabe o porquê.

Uma pessoa dividida não consegue estar em paz. Como poderia? Onde colocar o seu lado ruim? Você tem que destruí-lo, e ele é você. Você não pode destruí-lo. Você não é dois. A realidade é una, mas pela sua atitude de dividir, você dividiu a realidade externa. Agora, o seu interior está dividido da mesma forma, por isso todo mundo está brigando consigo mesmo. É como se a sua mão direita estivesse brigando com a mão esquerda, sendo a energia uma só. Na minha mão direita e na mão esquerda, eu sou; eu estou fluindo em ambas. (....)

O tantra diz: não divida, permaneça sem divisão, só assim você será vitorioso. Como ser, sem divisão? Não condene, não diga isso é bom e aquilo é ruim. Simplesmente jogue fora todos os conceitos de pureza e impureza.

Olhe para o mundo, mas não diga o que ele é. Seja ignorante, não seja muito sábio. Não rotule, permaneça silencioso, sem condenação, sem justificação. Se você conseguir permanecer silencioso a respeito do mundo, pouco a pouco esse silêncio penetrará você. E se a divisão não existir do lado de fora, ela desaparecerá na consciência mais interna, porque elas existem interligadas. (...)
Tente isto. Mova-se no mundo sem qualquer valor, simplesmente com os fatos naturais: alguém é isso e alguém é aquilo. E aos poucos você sentirá uma não divisão dentro de você. As suas polaridades estarão se juntando, o seu 'ruim' e o seu 'bom' estarão se juntando. Eles irão se dissolver em um e você se tornará uma unidade. E nada existirá como puro ou impuro. Conheça a realidade.

Existem ensinamentos que são baseados no celibato. Eles dizem que o celibato é bom e que o sexo é ruim. O tantra diz que o sexo é sexo e o celibato é celibato. Alguém é celibatário e o outro não é. Mas esses são fatos simples, nenhum valor é agregado a eles. O tantra nunca dirá que o celibato é bom e que aquele que está no sexo é ruim. O tantra não dirá isso. O tantra aceita as coisas como elas são. E por que? Exatamente para criar uma unidade dentro de você.

Esta é uma técnica para criar uma unidade dentro de você, para experienciar uma existência total internamente, sem divisão, sem conflitos, sem oposição. Somente então o silêncio é possível. (...)"
Osho em Tantra a Suprema Compreensão

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails