24 de outubro de 2015

Sobre o 'eu', 'você' e a Presença - Sambodh Naseeb

 

"Quando eu olho para uma pessoa, eu sinto que “eu” estou olhando para aquela pessoa. Então digo que “eu” sou o sujeito (CONHECEDOR). Certo? E a pessoa é o objeto que estou olhando (O CONHECIDO). Em resumo: vamos chamar de objeto tudo aquilo que não sou eu, tudo aquilo que está sendo visto por mim. Ok?

Bem, então eu concluo que “eu” sou o sujeito, e “você” é o objeto. Parecem coisas separadas, não? Eu e você. É natural que se pense que são coisas separadas. Eu estou aqui, você está aí. Eu estou aqui, a parede está ali. Eu estou olhando, você está sendo olhado. Coisas separadas. Parece óbvio.

Agora vamos olhar mais de perto ...

Se eu digo que “eu” estou olhando, então, quem sou “eu”? O que estou me referindo como "eu"? É o corpo que está olhando ou é a mente que está olhando? É possível que você diga que é a mente que está olhando. Talvez você pense que o corpo não pode olhar sem o auxílio de uma mente...

Muito bem. Agora vamos adiante ...

Se é a mente que está olhando, o que é a mente? Você já reparou que a mente é um processo de pensamentos que aparecem para você? Você já deve ter percebido que você tem uma experiência da mente pelos pensamentos que tem, tanto que você diz que a mente existe, e não tem nenhuma dúvida quanto a isso. Mas quando eu olho para você, é um pensamento que olha?
Um pensamento pode olhar? Quando eu ouço os pássaros é um pensamento que escuta? Quando eu sinto o toque de sua mão na minha, é um pensamento que sente o toque?

Um pensamento tem consciência? Ou sou EU que tenho consciência do pensamento? Então, o que é este eu? Se peguei o ponto, caio nesse espaço livre de puro relaxamento e silêncio agora. Este novo EU que encontro com uma pequena investigação interna me faz entender que meus pensamentos aparecem para mim, e que EU não sou os pensamentos, mas sim, a Consciência
ou o Espaço Consciente aonde surgem os pensamentos.

Em meditação isso fica muito óbvio. O silêncio que permanece é um Silêncio Consciente. Há uma Consciência do silêncio. EU SOU a consciência do silêncio. A meditação é um lindo recurso para experimentar diretamente a Presença. E experimentar a Presença é Ser a Presença. Mas nesse ponto já podemos dizer que Ser a Presença não é mais agora algo oculto, secreto, dom de místicos. Não! Ser a Presença é simplesmente Ser. 

Ela nunca está oculta! 

A Presença, pelo seu próprio nome, é o que está sempre presente!!! Tudo o mais pode não estar Presente, mas a Presença está. Como a Presença poderia não estar se ela é você?

Então, o caminho é: use a auto-investigação ou a meditação e reconheça o que a Presença é. Deixe bem claro o que a Presença é. O que a Consciência é.
Depois disso, reconheça que ela está sempre presente como a base de toda a experiência! Porque depois de reconhecer a Presença vem a parte da integração e alinhamento desta descoberta com a vida diária comum.

Esta nova Visão de si mesmo, por si só, começa a operar milagres."

Sambodh Naseeb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails