22 de maio de 2011

Experimente a existência!


A menos que você experimente, não conheceu ainda. A menos que você experimente, não pode haver fé. Antes que você experimente toda crença é falsa, toda certeza é apenas fachada, todo conhecimento é apenas informação e nada mais.

Lembre-se: antes de experimentar alguma coisa por si mesmo, não esteja tão seguro dela, pois certeza em demasia é apenas um truque da mente para ocultar a incerteza interior. Antes de vivenciar alguma coisa por si mesmo, não diga que a conhece, porque seu conhecimento é apenas um truque para ocultar sua ignorância.

Você pode ter lido o Gita, o Alcorão, pode ter lido a Bíblia. Então você sabe "a respeito de", mas não sabe. Pode saber muito a respeito de Deus, mas isso não significa nada, a menos que você conheça Deus. Saber "a respeito de" não é conhecimento. Você pode saber o que Jesus disse, mas isso é emprestado, é secundário, inútil. Você pode repetir o que Krishna disse, mas isso é apenas mecânico. Você pode memorizá-lo, pode sabê-lo de cor, mas nunca estará em seu coração; permanecerá na memória. A memória é mecânica; não é conhecimento.
O conhecimento surge somente através da sua própria experiência. Insista em sua própria experiência. Se você insistir, conseguirá.

Aqueles que procurarem, encontrarão. Mas você nunca procura; contenta-se com o conhecimento emprestado. Nunca diz: "Preciso conhecer por mim mesmo". Se você procurar, a existência estará pronta para lhe dar; mas você se contenta somente com os livros, com escrituras, com informação de empréstimo. Nunca procura o verdadeiro conhecimento.
Procure o real. E o real significa sua própria experiência. Os Budas não são de nenhuma ajuda. Podem apenas mostrar o caminho, mas você precisa andar com seus próprios pés. Insista em conhecer por si mesmo, em sua própria experiência. Não se contente antes disso.

Aqueles que desejarem ler, lerão. Se você insistir muito em ler as leis supremas, elas se revelarão a você. (...) Insista: "Quero ler na existência", e a ocasião lhe será revelada. Mas se você se contentar em carregar livros e mais livros, então a existência não se imporá. A existência é absolutamente não-violenta; ela não se impõe a você. Você pode continuar nas escrituras e se está feliz, ótimo. Mas você ainda está vivendo num mundo falso, está vivendo no mundo das palavras. Abra o livro da existência, descubra a verdadeira escritura.

Aqueles que desejarem aprender, aprenderão. Aprender é difícil porque aprender significa render-se, aprender significa entregar-se, aprender significa tornar-se semelhante a um útero, tornar-se feminino, receptivo, permitindo que a existência entre em você. Porém aqueles que desejarem aprender aprenderão.
Nós também desejamos, mas não aprender. Desejamos coletar mais informações. Isso não é aprender.(...)

Você pode carregar minhas palavras. Mas estará carregando um peso morto. Elas lhe oprimirão, você não será livre. Minhas palavras não podem libertá-lo. Ao contrário: podem aprisioná-lo, podem tornar-se grilhões para você.(...)

Tudo o que digo, seja o que for, não é para ser lembrado. É para ser vivido. Se você o vive torna-se seu. Então essas palavras não me pertencem mais. Agora aquela experiência tornou-se a sua própria experiência. Agora você conhece alguma coisa através de seus próprios olhos, sente alguma coisa através de seu coração. Isto é conhecimento. E isso proporciona certeza e fé."
Osho em A Nova Alquimia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails