6 de março de 2011

A Música suprema..



"A meditação acontece dentro, a gentileza, o amor, e a compaixão, acontecem no exterior, são a mesma manifestação.
Ninguém pode ver o estado meditativo de outra pessoa, mas todos podem ver a compaixão, o amor que cerca tal pessoa. Ela se torna amor, se torna compaixão.
Mergulhe fundo na meditação para alcançar a compaixão. Essa é a verdade suprema da vida.

A vida é música, a mente é barulho. Por causa da mente barulhenta somos incapazes de ouvir a música da vida. A menos que interrompamos a mente e seu barulho, jamais conheceremos a bela música da vida.
A música é próxima da experiência do divino, porque o divino é a música suprema da existência, e´outro nome para a harmonia que existe no universo.
O que chamamos de música é só uma gota minúscula dela. Mas embora seja uma gota minúscula, ela contém todo o segredo do oceano.
Esta é a atividade da música; ela libera a meditação em você, libera o esplendor aprisionado. Por um momento, todas as muralhas da prisão desaparecem. Por um momento, você é transportado para outro mundo. Por um momento, você transcende o tempo e o espaço, torna-se infinito, irrestrito. Esse é o começo, o começo de uma jornada que nunca termina.

A música nasceu na meditação profunda. A música é um esforço para criar externamente a mesma circunferência que ocorre em seu ser interior na meditação profunda. Por isso, um meditador autêntico é o verdadeiro músico.
Ele pode tocar ou pode não tocar, pode compor ou pode não compor. Mas ele conhece o segredo, ele tem a chave de ouro, e o verdadeiro músico com certeza se depara, cedo ou tarde, com o fato da meditação. Ele não pode evitar isso por muito tempo, é um encontro inevitável, porque o exterior provoca o interior, a música exterior desafia a música interior, que há muito está adormecida.
E a mesma música está escondida em toda a existência; por isso, digo que a música é um dos mais divinos fenômenos da existência.

Meditação é música, a música suprema: música sem som, música do silêncio.
É muito mais rica, mais profunda que qualquer música que possamos criar pelo som, porque afinal de contas, o som é uma perturbação.
Podemos torná-la agradável, mas ainda assim é perturbação.
O silêncio significa nenhuma perturbação, nenhuma agitação, mas há uma grande música, há uma grande harmonia nesse estado de ausência de som, de ausência de palavras.
A meditação conduz ao estado de silêncio e, se um homem não conhece este silêncio, ele não descobre o que traz no coração. Ele permanece inconsciente do próprio reino, da própria riqueza, dos próprios tesouros. Ele continua sendo um mendigo, quando na verdade pode ser um imperador a qualquer momento - basta voltar-se para dentro.(...)

Deus não é filosofia, é mais música. Deus não é hipótese, é mais uma dança.
Comece a procurar Deus nessas direções e você estará no caminho certo, chegará em casa.
Siga a música no mundo exterior e no mundo interior.
Aprenda a escutar a música da existência: o vento passando entre os pinheiros, o som da água, o oceano numa tremenda dança. (...)
Toda minha visão é a de uma humanidade dançante, cantante, amorosa e risonha. Eu gostaria de encher a terra de risos, música, poesia, criatividade, mais sensibilidade.
Quanto mais sensível e criativa for uma pessoa, mais religiosa ela é; quanto mais criativa ela for, mais próxima do criador, obviamente."
Osho, em Meditações para a noite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails