9 de setembro de 2010

Potencialidade total...


"Estou interessado na mente total, na mente que não é nem ocidental, nem oriental, que é apenas humana - a mente global. É fácil conviver com uma parte da mente, mas se quiser viver com ambas as partes, você terá que viver uma vida muito inconsistente.

Numa camada mais profunda, você terá uma consistência, uma harmonia espiritual.
O homem permanece espiritualmente pobre, a menos que a polaridade oposta seja também uma parte dele. Então ele enriquece. Se você é simplesmente um artista e não tem mente científica, sua arte está propensa a ser pobre.(...)

A mente não deve ser fixa. Um matemático será mais rico se puder mover-se para o mundo das artes. Se uma mente tiver a liberdade de se afastar de suas fixações principais e de então retornar a elas, ele será um matemático mais rico. Pelo oposto, acontece um cruzamento. Você começa a olhar as coisas de uma forma diferente. Sua perspectiva total será mais rica.(...)

Por exemplo, se me torno muito lógico, torno-me incapaz de entender poesia. A lógica transforma-se numa fixação. Então quando ouço poesia, minha fixação está ali. A poesia parece absurda. Não porque a seja, mas tenho uma fixação com a lógica. Do ponto de vista da lógica, a poesia é absurda.
Por outro lado, se me torno fixado em poesia, então começo a pensar na lógica como apenas uma coisa utilitária, sem profundidade nela. Torno-me fechado nela.(...)

Uma árvore cresce. Cortamos todos os galhos, exceto um e permitimos à árvore crescer somente numa direção. Será uma árvore muito pobre, muito feia e por último, ela é propensa a estar em dificuldades profundas,, porque um único galho não pode crescer por si mesmo; só pode crescer numa família de galhos. (...) Para a árvore crescer realmente, deve-se permitir-lhe que cresça em todas as direções. Somente então a árvore será rica forte.

O espírito humano deve crescer igual a uma árvore; em todas as direções. O conceito de que não podemos crescer em direções opostas deve ser abandonado. Realmente podemos crescer somente se crescermos em direções opostas.
Até agora, temos dito que o indivíduo deve se especializar, deve crescer somente numa direção específica. Então algo acontece. O Indivíduo cresce numa direção específica e lhe falta tudo. Ele se torna um galho, não uma árvore. E mesmo este galho é propenso a ser pobre.

Não apenas temos cortado os galhos da mente,, mas temos cortado as raízes. Permitimos uma raiz, e permitimos um galho, por conseguinte, um ser humano muito faminto tem se desenvolvido em todo o mundo: no Oriente e no Ocidente, em todas as partes. (...)

Nunca aceitamos o ser humano todo. Em algum lugar o sexo não é aceito. Num outro lugar, o mundo não é aceito. Noutro, a emoção não é aceita. Não temos sido fortes o suficiente para aceitarmos tudo o que é humano, sem condenação, e para permitirmos que os seres humanos cresçam em todas as direções. Quanto mais você crescer em direções opostas, maior será o crescimento, a riqueza, a afluência interior. Nossa perspectiva total deve mudar.(...)

Algo tem sempre que se negado e desprezado. "Isto é nocivo", "Isto é mau", "Isto é pecado".
Tenho que continuar a cortar galhos. Em breve não sou absolutamente uma árvore, uma coisa vivente. E lá está sempre o medo de que os galhos que neguei possam surgir de novo, possam crescer de novo. Torno-me temeroso de tudo. A doença se estabelece: uma tristeza, uma morte.
Continuamos a viver vidas parciais que estão mais próximas à morte que à vida. O indivíduo deve aceitar a potencialidade humana total."
Osho em Psicologia do Esotérico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails