16 de setembro de 2010

Manifestações passageiras...


As emoções que vivemos, e os pensamentos que passam por nós, são em verdade aspectos voláteis da consciência.

Muitas pessoas me perguntam, como pode ser isso? É muito simples.

Da mesma forma que vemos um objeto, e nós temos plena consciência que nós não somos aquele objeto, que ele é percebido por nós, e fazemos claramente a distinção entre nós e o objeto; Assim também são os pensamentos e as emoções;
Embora pareça que "somos os pensamentos" que "somos as emoções", na verdade não somos nada disso.
Se fossemos, como nós os perceberíamos? Quem observa os pensamentos e as emoções? Vocês já se perguntaram isso? Existe "algo" por trás, algo que observa tudo isso acontecer, algo que nos diz que esse pensamento ou essa emoção está acontecendo.

O que acontece é basicamente uma identificação.
Nós acreditamos que somos o que pensamos, somos o que sentimos, mas eles simplesmente vêem a nós, e vão de nós. Se nós fossemos os pensamentos e as emoções eles não passariam, ficariam permanentemente em nós, já refletiram sobre isso? Mas da mesma maneira que pela manhã posso estar feliz, ao meio dia estou medroso, e a noite estou triste, ou alegre, e assim vai ...

Observar o que acontece externamente é fácil. Sabemos claramente até aonde está meu corpo, e aonde começa o mundo, os objetos etc; Mas tomar consciência do que acontece internamente é mais difícil, pois desde pequenos fomos educados a acreditar que o que acontece dentro sou eu, é meu.
Mas isso também não é verdade.

A existência é uma só. Não tem divisões. Não tem fronteiras. Assim como o céu. É limpa, única e absoluta.

O que acreditamos sermos nós, cada um de nós, diferentes na aparência, na forma, até mesmo na índole, nas personalidades, gostos, tendências etc, são apenas aspectos manifestos, passageiros de uma mesma e única existência. Que se manifesta dura na pedra, perfumada na flor, brilhante no sol, molhada na chuva, e auto-consciente em nós.

Essa é a grandeza de cada um de nós. Somos ao mesmo tempo manifestação da existência e auto-consciência percebendo a si mesma.
Se superficializamos nossa percepção, caímos na "diferença". Se aprofundamos a percepção fatalmente alcançamos a unicidade. Já que ela é sempre presente, ela É de verdade !

Essa percepção é muito simples de ser alcançada. Os mestres do Oriente, nos deram todas as '"dicas" de como não sermos mais iludidos por tudo isso que acontece em nós e através de nós.
Sempre que algum pensamento nos ocorrer, para e se pergunte: Quem está percebendo esse pensamento? Quem está sentindo essa emoção? Imediatamente você irá se conectar com a consciência profunda que observa tudo acontecer na sua 'tela'. O que acontece é uma consciência de que EU EXISTO, nada mais. Sem nome, sem estória, sem crenças, sem nada...uma simples e permanente consciência de que EU SOU / EU EXISTO, nada mais.

Essa consciência que observa (EU SOU) é sempre pacífica, sempre disponível e a tudo acolhe, sem se envolver...é neutra.
Nossa essência pode, e deve ser alcançada e cultivada, para que seja plenamente manifesta na nossas vidas, e estejamos sempre em contato com ela, mesmo "vivendo" nossos filmes diários, de amor, de alegria, de tristeza, de decepção, de saudade, de medo, de tudo o mais...são apenas manifestações passageiras, são fenômenos como dizem os mestres, já que vivemos em uma dimensão de fenômenos, estes também estão acontecendo em nós e para nós.
Espero ter clareado alguma coisa!!
Caso tenham mais dúvidas entrem em contato, é uma alegria poder ajudar ok?
Amor
Lilian

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails