25 de março de 2013

Sofrimento e crescimento - Osho


"Partindo de uma mentira, qualquer coisa que diga torna-se uma mentira também. Partindo do medo, qualquer coisa que você diga torna-se medo novamente.
Se você tentar amar a partir do ódio, esse amor será apenas um ódio.(...)

Por isso, não crie nenhum conflito. Se você tem um problema, não crie outro. Fique só com um. Não lute, pois assim estará criando outro problema. É mais fácil resolver um problema do que dois. O primeiro está mais perto da origem; o segundo, mais afastado. 

Quanto mais distante, mais impossível se tornar resolvê-lo.
Se você tem medo, então tem medo. Porque fazer disso um problema? Você fica sabendo  que tem medo, assim com tem duas mãos. Por que criar um problema, se você tem apenas um nariz e não dois? Por que criar problemas por causa disso? 
O medo existe. Aceite-o, observe-o.
Aceite-o e não se preocupe com ele. O que acontecerá? De repente você sentirá que ele desapareceu. E essa é a alquimia interna, um problema desaparece se você o aceita, e torna-se cada vez mais complexo se você cria qualquer conflito com ele.
Sim, o sofrimento existe, e de repente vem o medo. Aceite-o. Ele está lá e nada pode ser feito sobre isso.


E quando digo que nada pode ser feito, não pense que estou falando de uma maneira pessimista. Quando digo que nada pode ser feito, estou lhe dando a chave para resolver o problema.
O sofrimento existe. É a parte da vida e do crescimento. Não há nada de mau nisso. O sofrimento torna-se um mal apenas quando é simplesmente destrutivo e nada criativo; torna-se um mal quando você sofre e não ganha nada com isso.

Mas eu lhe digo que o Divino pode ser alcançado através do sofrimento. Então ele se torna criativo;
A escuridão é bela se a alvorada vem em seguida; a escuridão é perigosa se é infinita, se não conduz à alvorada, mas simplesmente continua e continua, e você prossegue numa rotina, num circulo vicioso.

É isso o que está acontecendo com você. Para fugir de um sofrimento você cria outro. Então para fugir desse outro você cria outro. E isso continua sem parar. Todos os sofrimentos pelos quais você ainda não passou estão esperando por você.
Você fugiu de um, mas passou para um outro, pois a mente que criou um sofrimento criará outro. Assim, você pode fugir desse sofrimento para aquele, mas o sofrimento está sempre presente, pois a sua mente é a força criativa.

Aceite o sofrimento e passe por ele. Não fuja. Esta é uma dimensão totalmente diferente para se trabalhar.
O sofrimento existe.
Encare-o.
Passe por ele.
O medo estará lá, aceite-o. Se você tremer, então trema. Por que criar uma aparência de que não está tremendo, de que não tem medo? Se você é covarde aceite isso também.Todo mundo é covarde; As pessoas que você chama de corajosas são corajosas apenas na fachada. No fundo elas são tão covardes como qualquer um, ou ainda mais, pois para esconder a covardia criaram uma bravura ao redor de si mesmas, e algumas vezes agem de tal forma que todos pensam que não são covardes. Essa coragem é apenas uma tela protetora.


Como um homem pode ser corajoso se a morte existe? Como pode ser corajoso se ele é apenas uma folha ao vento? Como pode a folha deixar de tremer? Quando o vento sopra, a folha estremece.
Mas você não diz a folha: - "Você é covarde". 
Você diz apenas que a folha está viva. Por isso, quando você treme, e o medo toma conta de você, você é como uma folha ao vento; É bonito; Por que fazer disso um problema? (...)

Não se importe com a sociedade e suas normas, e sua condenação. Aqui ninguém irá julgá-lo. Não julgue os outros e não se deixe perturbar pelo julgamento dos outros.
Você é único. Você nunca existiu antes e nunca existirá novamente. Você é belo. Aceite isso. E qualquer coisa que aconteça deixe que ela aconteça e passe por ela. Breve, o sofrimento será um aprendizado. E então tornar-se-á criativo. 
O medo lhe dará destemor.
Da raiva surgirá a compaixão.
Da compreensão do ódio, o amor nascerá para você.
Mas isso não acontece num conflito com essas emoções, e sim na experiência feita com uma consciência alerta.
Aceite o que vier, e submeta-se à experiência."
Osho em Raízes e Asas

**
A vida é cheia de nuances, o sofrimento é uma delas. As emoções não são inimigas, são expressões, são ensinamentos. 
Mesmo que as convenções sociais reforcem que o amor é belo, a raiva é feia, que a compaixão é sublime, que o medo deve ser evitado, que o ódio é abominável... isso cria em nós mais conflito, mais divisões, mais confusão. 
Tudo isso não passa de convenções sociais, culturais e religiosas, só isso. 

Nossa estrutura psicológica, emocional é complexa, porque a mente é complexa; Somos seres multidimensionais e todas elas, todas mesmo, são importantes. Todas elas são caminhos, não são fim em si mesmas. Todas são verdadeiramente experiências, e como tal, são meios maravilhosos de crescimento, de auto conhecimento, de consciência; e maravilhosos meios também de nos humanizarmos profunda e verdadeiramente.

Evitar entrar em contato com o medo, a raiva, o ódio não passa de um mecanismo de auto sabotagem de todo o processo de crescimento. 
É "engessar" o crescimento e criar uma situação de aprisionamento na impotência. Nenhuma possibilidade de criar, de ser potente a partir desses eventos, pois só temos a chance de criar a partir deles, vivenciando-os na sua completa aceitação. Vivência, transcendência, transformação e crescimento é isso que o mergulhar nas emoções nos trás.

Um coração que ama de verdade, percorreu esse caminho. 
Mergulhou no medo, no ódio, na escuridão. Foi ao fundo do poço. Mergulhou nas sombras, nos seus abismos mais densos e profundos e o que surge desse mergulho, é a pura luz. 
Luz do espaço aberto. Luz da alma apaziguada. Luz da aceitação consciente.
Luz da simplicidade. Luz da paz.
Luz de quem se reconhece como igual aos demais, e ao mesmo tempo reconhece a sua grandeza autêntica, no caminho percorrido, nas experiência vividas, e na pura presença do Ser...
Amor
Lilian



Um comentário:

Related Posts with Thumbnails