16 de março de 2013

Acordando do Sonho - Nisargadatta 2/2


"Desista de tudo e você ganhará tudo. Então a vida torna-se aquilo que se supõem que ela seja: pura radiação de uma fonte inexaurível. Nessa luz o mundo aparece difuso como num sonho.

Desejo e medo vêm da visão do mundo como
separado de mim mesmo.
Assim como você pensa ser do mesmo modo você pensa que o mundo seja. Se você imagina-se separado do mundo, o mundo aparecerá como separado de ti
e você experimentará desejo e medo. Eu não vejo o mundo como separado de mim e assim não há nada para eu desejar ou temer. 

Não há caos no mundo, exceto o caos que você cria em sua mente. Ele é
auto criado no sentido de que em seu verdadeiro centro há uma idéia de si mesmo como algo diferente e separado das outras  coisas. Na realidade você não é nem uma coisa nem separado.

Enquanto eu vir o sonho como real, eu sofrerei
sendo escravo dele.
Ambos sono e vigília são nomes errôneos. Nós estamos apenas sonhando.
Só o jnani conhece a verdadeira vigília e o verdadeiro sono. Nós sonhamos que estamos acordados, nos sonhamos que estamos dormindo. Os três estados são somente variedades de estados de sono. Tratar tudo como um sonho libera. Quando voe empresta realidade aos sonhos você torna-se escravo deles. Por imaginar que você nasceu, assim e tal, você se torna escravo desse assim e tal. A essência da escravidão é imaginar a si mesmo como sendo um processo, que tem passado e futuro, que tem história. Na verdade nós não temos história, não somos um processo, não desenvolvemos, não decaímos; assim veja tudo como um sonho e permaneça fora dele.

Saber que você é um prisioneiro de sua mente,
que você vive em um mundo imaginário, de sua própria criação é o lago da sabedoria.

A causa do sofrimento está na identificação do
percebedor com o percebido. É dele que nasce o desejo, e com o desejo a ação cega, de resultados
impensáveis. Olhe ao redor e você verá – o sofrimento é uma coisa feita pelo homem.
Ninguém sofre em um filme, somente a pessoa identifica-se com ele. Não
se identifique com o mundo e você não sofrerá. Enquanto ele dura, o sonho tem um ser temporal. É seu desejo de mantê-lo,
que cria o problema. Deixe ir. Pare de imaginar que o sonho é seu.

Deixe o filme desenrolar-se até o verdadeiro
fim. Você não pode ajudá-lo.
Mas você pode reconhecer que o sonho é um sonho, e não carimbá-lo com o selo de realidade.

No presente você está perdido, e, portanto em
perigo, pois para um perdido, a qualquer momento algo pode acontecer. É melhor acordar e ver sua situação real. Que você é, você sabe. O que você é, você não sabe. Descubra o que você é.

Minha intenção de acordá-lo é o link (entre
nossos respectivos sonhos). Meu coração quer que você acorde. Eu vejo você sofrendo em seus sonhos e eu sei que você deve acordar para terminar seus pesadelos. Quando você vê seu sonho como sonho, você acorda. Mas em seu sonho eu não estou interessado. É bastante para mim saber que você deve acordar. Você não precisa trazer seu sonho para uma conclusão definida, ou torná-lo nobre, ou feliz, ou belo; tudo que você precisa é realizar que você está sonhando. Pare de imaginar, pare de acreditar. Veja as contradições, as incongruências, a falsidade e o sofrimento do ente humano, a necessidade de ir além. Em sonho você ama alguns e não outros. Acordado você descobre que é o próprio amor, que encampa e inclui tudo. O amor pessoal, não importa quão intenso e genuíno invariavelmente desaparece; o amor em liberdade é amor por tudo. 

Este é o coração da questão: Enquanto você
acredita que só o mundo
externo é real, você permanece seu escravo. Simplesmente compreenda 
que o que você vê não é o que é. Aparências se dissolverão sob a investigação, e a realidade virá à superfície. Você não precisa queimar a casa para abandoná-lo. Basta sair. Somente quando você não pode ir e vir livremente que a casa torna-se uma prisão. Eu me movo para dentro e para fora da consciência fácil e naturalmente, e assim para mim o mundo é uma casa, não uma prisão.

Nada no sonho é feito por mim.
Enquanto você acreditar que é um corpo, você encontrará causas para tudo. Eu não estou dizendo que as coisas não tem causas. Cada coisa tem causas
inumeráveis. É como é, porque o mundo é como ele é. Cada causa em suas
ramificações cobre o universo. Não há causas exceto sua ignorância de seu ser real, o qual é perfeito e além da causação. Pois o que quer que aconteça, todo o universo é responsável e você é a fonte do universo.

Tudo o que acontece é a causa de tudo o que
acontece. As causas são
inúmeras; a idéia de uma causa única é uma ilusão. 

Porque você fala de ação? Você alguma vez está em ação? Algum poder
desconhecido atua e você imagina que você está agindo. Você está meramente assistindo o que acontece, sem ser capaz de influenciá-lo de nenhuma forma.
Pare de imaginar a si mesmo como sendo ou fazendo isso ou aquilo, e a
realização de que você é a fonte e o coração de tudo se derramará sobre ti.

O homem sábio não toma nada como sendo seu
próprio. Quando em algum tempo ou lugar algum milagre é atribuído a alguém, ele não estabelecerá
qualquer link causal entre eventos e pessoas, nem permitirá que qualquer conclusão seja tirada. Tudo acontece como acontece porque tinha de acontecer; tudo acontece como acontece porque o universo é como ele é. Você se imagina sendo e fazendo tudo idêntico. Não é assim. A mente e o
corpo movem-se e mudam e causam movimentos e mudanças em outras mentes e outros corpos, e isso é chamado de fazer, de ação. Eu vejo que é da natureza da ação criar outra ação, como fogo que continua queimando. Eu não ajo nem sou causa de outros agirem; eu estou constantemente alerta do que acontece.

Nada é feito por mim, tudo acontece
simplesmente. Eu não espero, eu não
planejo, eu simplesmente assisto os eventos acontecendo, sabendo-os irreais.
É como seu gravador. Ele grava, ele reproduz – tudo por si mesmo. Você
somente ouve. Similarmente, eu assisto a tudo que acontece, inclusive meu conversar com você. Não sou eu quem conversa, as palavras aparecem em minha mente e então eu as escuto sendo ditas.

O que é feito é um fato, o fazedor é um mero
conceito. Sua própria linguagem mostra que enquanto o feito é certo, o fazedor é dúbio; alternar responsabilidade é um jogo peculiarmente humano. Considerando a infindável lista de fatores requeridos para que algo aconteça, só se pode admitir que tudo é responsável por tudo, não importa quão remoto. O fazer é um mito nascido da ilusão do “eu” e do“meu”. Eu não sinto que eu esteja falando. Há fala acontecendo, isso é tudo. Você realmente fala? Você ouve a si mesmo falando e você diz: eu falo. Eu não tenho qualquer objeção às convenções de sua linguagem, mas elas distorcem e destroem a
realidade. Um modo mais acurado de dizer seria: “Há fala, trabalho, ir e vir”.

Para que qualquer coisa aconteça o universo inteiro deve coincidir. É um erro acreditar que qualquer coisa em particular possa causar um evento. Toda causa é universal. Eu estou totalmente alerta de que as coisas acontecem 
como elas tem de acontecer porque o mundo é como ele é. Para afetar o curso dos eventos, eu devo trazer um fator novo para o mundo e tal fator só pode ser eu mesmo, o poder do amor e da compreensão focalizado em mim."
Nisargadatta Maharaj em Eu Sou Aquilo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails