25 de dezembro de 2010

Passivo e Negativo...


"Não há nada de errado em ser passivo. Passividade é uma maneira de estar em profundo contato com o universo. E você não pode ser ativo com ele - essa é a diferença entre ciência e religião. A ciência é exatamente a mente masculina - ativa, violenta, impetuosa; a religião é a mente feminina - aberta, passiva, receptiva. A receptividade é sempre passiva. E a verdade não é para ser criada, é para ser recebida.

Você não irá criar a verdade. A verdade já está presente. Você tem que recebê-la. Tornar-se anfitrião, e então a verdade se tornará sua convidada. (...) Não faça, apenas seja ! Eis o que a passividade significa; não fazer nada. Simplesmente seja e permita que aquilo que já está presente aconteça a você. Seja passivo, não interfira. Nada está errado com a passividade.

A poesia acontece quando você é passivo. Mesmo as maiores descobertas da ciência aconteceram na passividade. E a religião é basicamente passiva.

O que Buda está fazendo quando ele está meditando? Nossa linguagem, nossos termos, dão uma falsa impressão. Quando nós dizemos que Buda está meditando, parece por causa dos termos usados, que ele está fazendo alguma coisa. Mas meditação significa não fazer nada. Se estiver fazendo alguma coisa, nada acontecerá. (...)
Mas nós fomos treinados para a atividade. No mundo, você tem que ser ativo, lutador, forçar sua passagem. Mas aquilo que é útil no mundo não é útil quando você se move em direção a uma existência mais profunda. Então você tem que reverter os passos. Seja inativo se você estiver se movendo para Deus, para a religião, para a meditação. A passividade é o caminho aí.

E não há nada errado com a negatividade também. "Negativo" somente significa que alguma coisa tem que ser abandonada. Se eu quero criar um espaço neste aposento, o que terei que fazer? Eu não posso trazer espaço lá de fora. O espaço já está aqui, mas ele está preenchido com pessoas, com móveis ou coisas. Assim, eu tiro as coisas e as pessoas, do aposento. Então o espaço é descoberto, não trazido. Ele já estava aqui, mas cheio. Assim, eu fiz um processo negativo, eu o esvaziei.

Negatividade significa esvaziar a si mesmo, não fazer uma coisa positiva, porque aquilo que você está tentando descobrir já está presente, apenas jogue fora a mobília. Os pensamentos são as mobílias da mente. Simplesmente jogue-as fora e a mente se torna um espaço, e quando a mente é um espaço, ela se torna sua alma, seu atma. Quando ela está cheia de pensamentos, desejos, ela é mente; vaga, vazia, ela é não-mente, ela é atma.

Assim, não tenha medo das palavras "Passivo e Negativo".
Se você tiver medo, nunca poderá se entregar.
Entrega é passiva e negativa. Não é uma coisa que você esteja fazendo; ao contrário, você está deixando seus afazeres, está abandonando a própria noção de que você pode fazer. Você não pode fazer - essa é a sensação básica. Somente então há entrega.
Ela é negativa, porque você está se movendo para o desconhecido, o conhecido é abandonado."
Osho em O livro dos Segredos 2

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails