10 de dezembro de 2010

O Sagrado SIM do Tantra...


"O Tantra evita a mente, e encara a vida face a face, jamais pensando: Isto é bom ou Isto é mau; porém, e simplesmente, encarando-a como ela é.
Por isso é difícil dizer que o Tantra é uma atitude - na verdade , é uma não-atitude.

A segunda coisa a ser lembrada, é que o Tantra é um grande repetidor do "sim"; diz "sim" a tudo.
Nada há que se pareça com o "não" a coisa alguma, porque com o não se inicia a luta, com o não você se torna o ego.
No momento em que diz "não" a qualquer coisa, você já se torna o ego.
Um conflito surgiu, agora está em guerra.

O Tantra ama, e ama incondicionalmente. Nunca diz "não" a nada, seja o que for, porque tudo faz parte do todo e tudo tem seu lugar próprio no Todo, e o Todo só poderá existir quando nada lhe falte.

"Diz-se que mesmo que só uma gota d'agua faltasse,
Toda a existência teria sede.
Você colhe uma flor no jardim,
E colheu alguma coisa de toda a existência.
Maltrata uma flor,
E maltratou milhões de estrelas -
Porque tudo está inter-relacionado.

O Todo existe como um todo, um todo orgânico.
O Todo não existe como algo mecânico - tudo está relacionado com tudo o mais.

Desse forma, o Tantra diz "sim", incondicionalmente. Nunca houve qualquer outra visão da vida que dissesse sim incondicionalmente - simplesmente "sim", o "não" desaparecendo de seu próprio ser.

Quando não existe o "não", como você pode lutar? Como pode estar em guerra?
Flutue, simplesmente. Simplesmente dissolva-se, desmanche-se. Torne-se um.
Já não existem fronteiras.

O "não" cria fronteiras. O "não" é a fronteira em torno de você. Sempre que disser "não", observe, imediatamente algo se fecha. Sempre que diz "sim", seu ser se abre.(...)

Só um sim total cria um Deus verdadeiro, revela o verdadeiro Deus. Quando diz um sim total à existência, toda ela subitamente se transforma. Então, não há mais pedras, não há mais árvores, não há mais pessoas, rios, montanhas - subitamente tudo se transforma em um Unidade, e essa Unidade é Deus.

O verdadeiro teísta é o que diz "sim" a tudo, e não só a Deus, porque a mente é muito engenhosa. Você pode dizer sim a Deus, e não ao mundo. Isso tem acontecido. Milhões de pessoas perderam toda a sua vida por causa disso. (...) Criaram uma divisão: negam o mundo para aceitar a Deus. Mas a aceitação que se baseia na negação não é absolutamente uma aceitação. É falsa. É uma simulação.

Como você pode aceitar o Criador sem aceitar a criação? Se diz "não" à criação, como pode dizer "sim" ao Criador? Ambos são UM.
O Criador e a criação não representam duas coisas: o Criador é a criação.

Na verdade não há divisão entre Criador e a criação, trata-se de um processo continuo de criatividade. Um pólo da criatividade parece-se ao Criador e o outro pólo da criatividade parece-se à criação - mas ambos são pólos do mesmo fenômeno.

O Tantra diz que, se você diz "sim", simplesmente diz "sim": não o diz em oposição a algum "não". Mas todas as religiões fizeram isso: disseram "não" ao mundo e "sim" a Deus. E disseram não ao mundo, energeticamente, de forma que seu sim pudesse se tornar mais forte. (...)
Mas que tipo de aceitação é essa? Isto é aceitação? Estão escolhendo. Estão retalhando a existência em dois pedaços. Estão se colocando acima de Deus: "Isto eu aceito, isto eu renego". Toda renúncia vem disso.

Quem renuncia não é uma pessoa religiosa. Segundo o Tantra quem renuncia é um egoísta. Primeiro esteve acumulando coisas do mundo, e sua atenção estava no mundo. Agora, renuncia, mas sua atenção ainda está voltada para o mundo e ela permanece egoísta.(...)

Habitualmente uma pessoa aceita determinada situação quando se sente impossibilitada de fazer outra coisa, porém essa é a aceitação da impotência. Não o levará a parte alguma. (...)

A aceitação tântrica não é desse tipo. Ela vem de uma super realização, vem de um profundo contentamento - não vem da sensação de estar perdido, da frustração, do desamparo. Surge inesperadamente. Todo o seu ser se toma de um profundo contentamento. (...)

A transformação vem quando você aceita seu ser total. Então e de súbito, tudo entra em ordem, tudo toma seu próprio lugar. A cólera é absorvida, a ambição é absorvida. Assim sem que tente, sem o retalhamento de seu ser, todo esse seu ser se recompõe.
Se você aceita e diz "sim" acontece uma recomposição, e onde antes havia rumor, clamor interno, nasce música, melodia, harmonia."
Osho em Tantra a suprema compreensão

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails