30 de janeiro de 2013

Vivendo a partir do Centro...

Recebi um email muito interessante de uma amiga e seguidora do blog, que me coloca uma questão importante e hoje quero compartilhar com vocês, pois acredito que seja a dúvida de muitos de vocês também.

Diz ela que, desde que começou a meditar, ( isso já tem alguns meses, com práticas diárias) , ela tem notado que sua mente está bem mais calma, seus sentimentos mais suaves, não perde a calma por qualquer coisa, e que sua vida tem estado bem melhor por isso. 

Mas também tem notado que suas ambições e vontades de superação e progresso no seu emprego tem diminuído; tem notado que ultimamente não tem se importado tanto com promoções, metas e que frente aos seus colegas tem sido vista como uma pessoa que não pretende alcançar cargos e salários melhores. Isso tem feito com que ela fique insegura e se achando "errada" frente aos seus colegas de trabalho...

Pois bem, com a mente mais calma, viver de forma mais solta e relaxada é mesmo uma quebra de paradigmas. Se a vida que levamos sempre foi ansiosa, cheia de metas e desafios, muitas coisas a serem feitas ao mesmo tempo, agitação e complexidade, claro, quando você muda a sua mente, sua vida inteira tende a mudar também; afinal, o mundo é um grande espelho....
Se havia aceleração, é provável que você levará o dia mais relaxada, mais solta e não deixando de fazer as coisas que precisa, mas sendo feitas com mais soltura, mais consciência e leveza; menos exigência e mais amor em tudo que você fizer.

O trabalho burocrático é estressante, as empresas vivem em meio a metas e compromissos, contratos, exigências; as pessoas estão sempre dispostas a se superarem e a buscarem postos mais e mais altos, mais e mais ganho e mais e mais destaque. Esse circulo vicioso é o movimento da mente agitada... gira gira sem parar...

A meditação nos leva ao nosso centro, nos leva a paz e ao silencio perenes, nossa natureza original. Saímos do pêndulo da mente ( bom-mau, forte-fraco, certo-errado...) e saímos dessa ambição desenfreada também.
A partir desse centro existe uma atenção relaxada, existe uma inteligência brilhante, mas ela acontece em um ritmo diferente do ritmo da mente agitada. Existe uma profundidade que é típica dos que meditam, um centro que faz com que todas as tarefas sejam feitas a partir desse centro. Por mais efusivas que sejam, pode-se estar celebrando, dançando, cantando, não importa, aquele centro permanece presente, e uma outra pessoa que esteja centrada reconhece no mesmo instante uma outra. Pois tudo acontece a partir desse centro. E o trabalho, seja ele qual for, também.

A mudança de percepção acontece para todos que se iniciam na meditação. O mundo é a mente, se a mente muda, claro, o mundo muda. Passamos a perceber coisas que antes não percebíamos, passamos a valorizar coisas que antes não valorizávamos, e também coisas que antes para nós, tinham uma grande importância de uma hora para outra, deixam de ter.

Osho, sempre coloca esta questão, como se o mundo fosse um grande parque de diversões. Vamos escolher os brinquedos que estão adequados a nossa mente, naquele instante. Quando a mente muda, mudamos os brinquedos também. Ele diz que a criança, acha tudo interessante, existe nela uma ansiedade em conhecer, experimentar, vivenciar... 
O Sábio já vive a dimensão da saciedade, já experimentou, vivenciou e se deliciou, e alcançou a dimensão da paz e da observação. Se sente bem sendo a própria vida em fluxo.Tudo acolhe, mas a nada se prende. Desfruta da vida, sem nenhum apego, sem nenhuma ambição, sem nenhum objetivo. Já alcançou a Verdade. Já está pleno em Si mesmo, não existe nenhum lugar a ir...está em casa.

Este momento em que nossa amiga vive, é um momento mágico, e diria da maior importância. Ela está começando a perceber o vazio das suas antigas referências, e como é "raso" e confuso todo esse mundo da mente.
Aprofundar na meditação, nos abre as portas da beleza sutil do momento presente, nos coloca frente e frente com todas as possibilidades que a vida nos trás e que independem de qualquer comparação, cobiça, ambição, competição..
É um momento de retorno à fonte...
E a Natureza inteira se alegra quando isso acontece, afinal, foi para isso que ela investiu toda sua energia, todo o seu amor...a consciência Búdica está nascendo... o reconhecimento de que sempre fomos TOTALIDADE e nenhuma "limitação" da mente pode sequer nos tocar...são apenas pequenas nuvens passageiras, que jamais tocarão o céu...
Amor
Lilian

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails