27 de agosto de 2012

O Despertar da Meditação...


"Enquanto que para muitas pessoas a Meditação ainda é vista apenas como um relaxamento, Osho passou a vida inteira se dedicando em seus discursos públicos a detalhar sobre este caminho de purificação e clareza.

Meditação é muito mais que relaxamento do corpo e da mente.
Meditação é um caminho de vida e de transformação.

É um processo pelo qual transmutamos a nossa energia e nos tornamos mais conscientes de quem realmente somos.
O nosso padrão natural é o sonambulismo. Vivemos como se já estivéssemos prontos. Acreditamos que já temos capacidade de amar, de aprender, de dar valor a uma amizade, às belezas da vida. Mas nada sabemos. Nossa civilização não tem coração.

Tem tecnologia usada para satisfazer egos doentes, carentes, patológicos. Mas não tem amor. Não conhecemos a vida como ela é. Nossa educação é pobre. Nossos relacionamentos não satisfazem e precisam ser mudados de quando em quando. São pessoas carentes querendo encontrar felicidades com outras pessoas carentes. O resultado é zero.
A sensação de que o outro não pôde me dar o que eu queria gera mágoa, frustração, sentimento de fracasso – pontos que, infelizmente, ocorrem diariamente num grande número de casamentos.

Estamos sempre insatisfeitos, pedindo sempre mais, e sem saber bem o que nos faz pedir sempre mais e mais. Uma carência quase absoluta. Um vazio que apenas gera angústia e desejo. E este desejo, uma promessa que nunca é cumprida...

Neste grau de insanidade temos a falsa crença de que sabemos como educar nossas crianças! Então vemos escolas despreparadas, professores estressados, pais que não compreendem mais suas posições diantes dos filhos (pois já não são respeitados, afinal nunca sequer souberam respeitar “a si mesmos”). E pouco se fala de uma educação para o Ser, para o Real Viver.“Vamos renovar os currículos”, a gente ouve. Mas nunca ouví: “Vamos renovar nossas almas”.

A Meditação é uma resposta a esta vida automática e sem propósito que estamos vivendo.
O caminho da Meditação é a saída para o medo que controla a maioria das pessoas. Medo que impede de nos vermos como amor. Medo que cria a grande ilusão de que estamos separados uns dos outros e da vida. Medo que impede de olharmos para dentro de nós mesmos e despertarmos para o que realmente somos: consciência de luz, de amor, de sabedoria, de amizade, de criatividade e participação.

Quando começamos a meditar, muitas coisas acontecem. Uma delas é nos darmos conta de como criamos as armadilhas.
Despertamos para o fato de que somos responsáveis pelo nosso sofrimento. E isso, para a maioria das pessoas é apavorante, pois não terão mais em quem descontar e pôr a culpa. Não, não é culpa de ninguém. Não, não é nem culpa nossa. É apenas ignorância natural. Faz parte do caminho. Pode ser vencida com responsabilidade. Pode ser ultrapassada com um caminho que nos abra os olhos para como estamos reagindo a cada evento que nos acontece.
Reação significa automatismo, falta de inteligência. Ação, bem ao contrário, condiz com a aptidão para estar aberto ao fato, disposto a olhar para o que está acontecendo, agir com inteligência ao momento. Isso é o que significa responsabilidade – a habilidade de responder ao momento.

Estou reagindo com consciência ou estou reagindo com a mesma moeda? Vingança é inteligência ou simplesmente um instinto precário e embrutecido? Então, a meditação faz surgir muitas coisas que estavam ocultas. E é por este motivo que muitas pessoas desistem. A segurança da rotina é mais viável que a vida. A vida é um campo aberto de possibilidades. Ela nunca está pronta. Está sempre se movendo para um pico mais elevado. Muita gente reclama da rotina, mas se prende a ela com unhas e dentes.

Por que? Pelo medo de mudar. Neste caminho escuto muitas coisas. As pessoas que iniciam a meditar tem certos desconfortos. Ouvi certa vez: “Eu comecei a meditar, mas parei. Ao invés de minha mente se aquietar ela ficou muito pior. Eu não sei porque vem tanto pensamento. Fiquei quase louca”!
Sim, naturalmente. Meditação não é um anestésico. Meditação não é mentalização (práticas em que você imagina luzes, lugares bonitos, pensamentos elevados, etc). A meditação é uma prática para observar a mente. Observar como ela é.
Meditação não é reprogramação. É simplesmente autoconhecimento. Puro e simples. Ela não funciona como calmante. Nenhum caminho espiritual que se preze pode ser um calmante. Nós não precisamos de consolos. Precisamos de libertação. Consolos já temos demais na vida, pois tudo que se faz é para distração, entretenimento. Distrair-se para que? Para não olhar para
si. Para não resolver as pendências. Para não ver a vida como ela é. A indústria do entretenimento é a maior de todas hoje em dia? Eis o porque. Ela existe como uma necessidade.
Sem ela o ser humano explode. Mas acaba sendo uma saída não muito inteligente, porque não resolve nada. É consolo. É para distrair, é mais um circo, e sempre de curta duração...

A meditação lhe faz consciente dos pensamentos. Há pendências no passado. Há preocupações com o futuro.Pendências e preocupações são a base da confusão mental.Então, a prática da meditação lhe mostrará nitidamente suas pendências. Algo que você não está fazendo? Uma ação que está adiando? Uma culpa que está guardando? Uma raiva armazenada. Tudo isso precisa ser visto e curado. Por outro lado, ela também mostrará a nossa tendência a preocupações – que na verdade são fantasias, pura imaginação, histórias e crenças que estão habituadas a aparecer e que já temos como verdade. É preciso questionar:

É mesmo verdade? É mesmo real que preciso controlar tudo na minha vida? É mesmo verdade que não posso errar? É mesmo verdade que sou confuso ou apenas ESTOU confuso nesse momento diante de tais e tais fatos?

Ser confuso é uma coisa.Estar confuso é outra.
Ser triste é uma coisa.Estar triste é outra.
O caminho da meditação existe para colocar a casa em ordem. E a casa somos nós mesmos!

Como é possível tranquilidade e ao mesmo tempo viver em uma mente desordenada?
Meditar não é fugir da vida. Meditar é encontrar a vida. E nós mesmos estamos sempre no caminho de nossa própria vida.
Osho disse: “Saia de seu próprio caminho”. O único obstáculo, por incrível que pareça, são idéias errôneas que cultivamos na mente.Essas idéias funcionam como um filtro. Elas não deixam a vida aparecer em sua aparência real. A vida é distorcida por nossa própria interpretação. E quando filtros negativos, cheios de medo, angústia e ansiedade estão em nós, o que vemos na vida é isso – um reflexo de nós mesmos.

Criar um espaço meditativo em sua vida é abrir-se para o momento, despertar confiança no poder de ser você mesmo, acordar sua essência de amor, e fazer amizade com tudo que existe.

Isso é possível. Assim como tudo é possível com um pouco de disciplina e vontade, o caminho do bem viver passa por isso também. É possível, mas requer coragem, perseverança, e foco.
É preciso se juntar com pessoas que estão há mais tempo na viagem. Ouvir delas o que é o caminho. Aprender alguns atalhos de como driblamos a mente de suas artimanhas de auto-sabotagem. E principalmente é preciso muito interesse, muito empenho em realmente querer o melhor para si. Querer sair da posição de vítima. Não se satisfazer com uma vida morna. Ansiar por um viver com totalidade e celebração.

Há um ditado: “Quando pronto, o mestre aparece”. E o que é o mestre? Algumas pessoas acham que o mestre é apenas aquele guru todo trajado de branco ou ocre, que vem a sua vida e você automaticamente estará iluminado, cheio de graça e o sofrimento desaparecerá para sempre. Uma ilusão infantil. O mestre pode ser qualquer acontecimento na vida. Um acidente, um sofrimento muito forte, uma mudança drástica de emprego, uma perda no relacionamento, uma doença, etc. E é claro que pode ser personificado também em um professor, que ajuda no caminho de se autoconhecer e descobrir que em si próprio está a pérola da vida.

O Plano Maior envia no momento certo o mestre perfeito.
Nunca sabemos qual será o nosso próximo passo, e nem sabemos qual será o mestre na próxima esquina do caminho. Mas certamente sabemos de uma coisa: enquanto houver briga interna, enquanto houver reclamação, enquanto houver falta de entrega, de confiança, de aceitação plena da vida como ela É, muitos mestres aparecerão para nos despertar, criando um fogo interior para queimar nossas limitações e despertar a luz de nossa consciência.

Meditação é um caminho.(...)
Os ensinamentos dos iluminados não são simples de assimilar. E aí que novamente a meditação entra de forma maravilhosa. Ela permite com que a mente fique mais sutil para compreender a vida, de modo que tudo aquilo que ouvimos da boca dos sábios possam ser vividos na nossa vida também. Acredito que apenas desse modo os ensinamentos são úteis. Eles podem promover mudança. Eles não são teóricos. Pois se forem teóricos se tornam apenas uma filosofia. Meditação não é uma filosofia apenas.
Meditação é vida, é transformação constante. É aprender a se relacionar com a mudança como o rio que corre e sempre se renova. A vida precisa de atenção constante, de abertura, de flexibilidade. É por isso que se diz que pra viver realmente a vida você tem que se tornar a vida. Se você estiver separado da vida não aceitará as mudanças. É como se o Plano Menor (a mente humana) quisesse ganhar do Plano Maior (a vida em sua total dimensão, em sua rede complexa de acontecimento e possibilidades entrelaçadas). Existe possibilidade disso?

Quando um pensamento que aparece em nossas mentes condizem com o Plano Maior, com a rede da vida, então muitas coisas começam a acontecer a partir dele. Mas quando um pensamento é apenas um pensamento lixo, um resíduo de alguma crença errônea, um desejo que não condiz com seu crescimento naquele momento, então, nada poderá fazer aquilo dar continuidade. E se você brigar com a vida inevitavelmente sempre perderá.

Muitas vezes a vida parecerá injusta. Aí podemos lembrar que o plano do pensamento, das opiniões, contém uma expansão Menor. Mas no Plano Maior, tudo está acontecendo como deve acontecer. E muitas vezes, tardiamente, é que nós percebemos que tudo estava perfeito.
A ignorância é sempre da mente limitada. Pois é natural que nossas mentes não possam compreender a imensidão da vida e os motivos pelos quais tudo acontece.

A meditação e os ensinamentos dos sábios podem nos ajudar a fazer um acordo com a Realidade Maior. Uma clareza que vai além do entendimento. Quando o nosso coração amansa e sabe
que tudo que está acontecendo é perfeito e útil para nós. Então vem uma aceitação natural. E dessa aceitação natural nasce uma espontaneidade que faz com que tudo se harmonize num Todo Maior."
Swami Naseeb em O Despertar da Meditação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails