31 de agosto de 2012

Escolhas Conscientes - Eckhart Tolle

"Pergunta: Vou te passar algumas situações comuns que geralmente acontecem. 
Por exemplo: Devido aos cortes no orçamento, você pode perder o emprego, e você não tem certeza se você deve aceitar trabalhar ganhando menos na mesma empresa, ou arriscar ganhar mais em uma outra empresa; ou com o nascimento de seu novo bebê, você precisa se mudar, e você não sabe  se deve permanecer no bairro em que mora, que tem uma boa escola pública e onde as casas estão em seu orçamento, ou ir para outro bairro mais barato.(...).Todos nós tivemos esses tipos de experiências, e muitas vezes quando temos que decidir algo, nós simplesmente não sabemos o que fazer.


Eckhart Tolle - O primeiro passo é, geralmente recolher informações. 
Você tem que olhar para os fatos da situação: Os prós e os contras. Mas, mesmo assim, você ainda pode não ser capaz de chegar a uma conclusão. 
Por exemplo, se você está escolhendo entre duas casas de três quartos, e estão praticamente o mesmo preço, e elas estão no mesmo tipo de bairro, você não vai chegar muito longe. 
Prós e contras são um nível de tomada de decisão, mas não é o mais importante.

Nós em geral temos sempre uma voz falante na cabeça. 
Muitas pessoas nem sequer sabem que têm essa voz. Mas ela está falando sempre, criando um monólogo interminável interior. 

Às vezes, a voz é mesmo envolvida em um diálogo, porque ela se divide em duas e você começa a falar para si mesmo. A conversa é tão incessante que é como ter um som de zumbido contínuo de uma geladeira ou um ar condicionado no quarto com você e depois de um tempo, você não ouve mais.

Durante escolhas difíceis, essa voz não é muito útil. Muitas vezes ela critica, mantendo um breve comentário sobre você e todas as coisas que você fez de errado ou você simplesmente não fez. Ele critica os outros também. É como viver com alguém que não não suporta rsrs.. Você não gostaria de viver com uma pessoa assim. Mas já que você não pode se livrar de sua mente, você está preso. O resultado? Você desanima. Você não pode ver o lado positivo do que poderia vir de suas decisões.


A voz em sua cabeça também cria uma enorme quantidade de problemas que não são realmente problemas. São apenas coisas que ainda não aconteceram, coisas que poderiam acontecer amanhã ou na próxima semana, ou nunca.. Ouvir os problemas irreais tem outro nome: preocupação. 
Isso é o que a voz na sua cabeça faz. Ela diz "se isso, se aquilo". É puro lixo. Ela agoniza, e você não pode mais sentir a alegria da vida.

Vamos ao invés de ficar se preocupando, vamos a ação. 
Por exemplo, quando você está em um hotel e você vê que não há água quente. Naturalmente, você deve ligar para a recepção e dizer: "Eu estou tentando tomar um banho. Você pode me ajudar por favor?" Nestes casos, algo pode ser feito. 
Mas quando você está na situação em que você ainda está pensando e você não sabe para onde ir, a voz em sua cabeça começa a queixar-se de tudo, até mesmo as coisas não relacionadas com a situação: o clima, como a economia é ruim, como sua vida não era para ser desta maneira e por todo mundo, mas você parece entender as coisas. 
Queixar-se não acrescenta nada, exceto peso. 
Dá-lhe um grande peso para transportar nas suas costas enquanto você está tentando descobrir o que fazer, e que o impede, em muitos casos, você de tomar qualquer decisão.

Agora imagine que aquela voz dentro de sua cabeça, de repente pára. Você percebe, Uau, é tão bem tranquila!. Isto é exatamente o que você precisa fazer para uma escolha eficaz. Você precisa estar presente. Você precisa ser livre de qualquer coisa que não seja o que está acontecendo agora.

Claro, você não pode simplesmente estalar os dedos e, de repente a mente ficar em silencio. Algumas pessoas experimentam isso pela primeira vez durante os esportes radicais. Escalar uma montanha, por exemplo, encontrar pontos de apoio e as pegas, eles percebem que não está pensando em tudo. Eles são totalmente presente, porque se entrou em ter pensamentos, eles iriam cair da montanha. Outros vão para a natureza. Eles olham para a beleza ao redor deles, eles ouvem os pássaros e o farfalhar das folhas e de repente eles percebem que isso é o que é estar presente. 

Mas você não tem que esperar para se engajar em alguma atividade perigosa ou ir para o deserto. Você pode optar por estar presente em qualquer lugar, em qualquer situação, deslocando o foco de sua atenção para longe do pensamento e para a vitalidade do seu corpo inteiro, para o momento presente, aquilo que é realidade.


Quando você está presente, suas percepções sensoriais, sua audição, sua visão aumentam instantaneamente. Você vai sentir uma quietude, uma que você não tem que fabricar. Estava lá o tempo todo, sob todos os pensamentos que sobre "o que fazer".
Você será capaz de ver a diferença entre: aqui está a situação e aqui está o que minha mente está dizendo sobre a situação; ou, em outras palavras, entre: "eu poderia perder meu emprego" e "eu poderia perder meu emprego, o que significa que eu vou perder a minha casa e tenho que levar minha filha para fora de sua escola e morar com meus pais, então eu tenho que arranjar outro emprego até o final da semana, mesmo se não há emprego e não estou qualificado o suficiente para obter um. "

Isso não significa que você ignora o futuro, e isso não significa que você não pode mais pensar sobre o que você vai fazer amanhã. Significa apenas que o 
foco de sua atenção está no momento presente. 
Você precisa planejar certas coisas, mas sempre volta para o imediatismo e vivacidade do que está realmente acontecendo.

Como podemos começar a fazer isso? É uma maneira de começar a reconhecer que a voz em sua cabeça. Uma vez que você ouve o que você está pensando, você pode ser capaz de parar de pensar. Outra forma é perguntar a si mesmo: "Qual é o problema que eu tenho agora?" Muitas vezes, isso você acorda. Você tem que admitir: Tudo bem, agora eu não tenho um problema. Por exemplo, neste exato momento, você não perdeu o seu emprego. Você pode perdê-lo mais tarde, mas neste exato momento você tem um trabalho. Sim, você ainda 
pode ter uma situação desafiadora, que mais tarde irá exigir ação. Mas isso não é um problema, não é? É um evento. Além disso, se surgir um problema, seguindo esta compreensão, então sim, você vai fazer algo sobre isso.
Depois de entender o que sua situação realmente é, e que não é o que a voz que fala na sua cabeça, então, é claro, você pode parar de lutar. A situação existe. Você não tem que se preocupar com isso ou se afogar em bebida ou chorar ou debater ou pedir a outros para o conselho. 
Você pode parar de resistir, porque o que estava te fazendo doente era o seu 
próprio pensamento sobre a realidade, não é.

Na verdade, você é capaz de ir em frente com sua atividade normal e é aí que a intuição vem de dentro Porque quando você se conectar com a calma, você também se conecta com uma inteligência criativa que é maior do que o pensamento analítico. 
Muitas vezes, a decisão correta, então surge espontaneamente. Pode não acontecer imediatamente. Pode levar um tempo, mas este período de tempo dá a sua intuição o espaço que ela precisa, de silêncio para a superfície.

Em última análise, eu acredito que, se você escolher uma forma ou de outra não importa. Se você está presente quando você tomar sua decisão, então você vai estar presente na próxima situação e estará preparado para fazer escolhas conforme as necessidades surgirem. 
Claro, você sempre poderia ter feito as coisas de formas diferentes, mas a importância final não é o que você faz, e sim como se faz, o estado de consciência que você trouxe para o seu processo, que espero faça você sentir a vitalidade de todas as suas experiências."
Eckhat Tolle em Entrevista com Ophah

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails