15 de dezembro de 2014

Limpar sujeira! Sujeira limpa! - Conto Zen


"Um tempo atrás, havia um discípulo do Buda Shakyamuni que atingira a iluminação por meio da limpeza. Seu nome é Cudapanthaka.
Geralmente temos uma imagem que os discípulos de Buda são inteligentes e
espertos, mas ele não foi. Ele era estúpido e ele não pôde memorizar até
mesmo o seu próprio nome, mas finalmente ele se tornou uma grande iluminada figura da história budista.

Em primeiro lugar, Cudapanthaka se tornou um discípulo do Buda sob a orientação do seu irmão, que tinha uma mente muito perspicaz. No entanto, apesar de ele fazer o seu melhor sempre, a disciplina foi tão difícil para ele, que ele não conseguiu memorizar nada. Ele muitas vezes se debatia sobre permanecer como discípulo ou não, mas finalmente um dia decidiu sair.

Quando ele estava saindo, o Buda o chamou e o ordenou como seu discípulo direto. “Cudapanthaka, você vai ficar aqui e virado para o leste, recite repetidamente isto ‘Limpar a sujeira! Sujeira limpa! ’ enquanto limpa as mãos com este pano branco”. No entanto, ele não podia sequer memorizar esta frase. Ele tentou várias maneiras, mas não foi assim tão fácil para ele. Ele continuou a tentar memorizar a frase, enquanto ele limpava suas mãos.

Assim muitos dias se passaram e o seu pano branco, que o Buda tinha dado para ele, se tornou muito sujo por causa da sujeira de suas mãos. Ele então ficou chateado com a sujeira do pano e logo tentou lavar a sujeira muitas vezes, mas não conseguiu torná-lo branco como antes. Depois, ficou triste e preocupado e foi até o Buda pedindo desculpas entre lágrimas. O Buda
disse a Cudapanthaka que estava olhando fixamente no pano. “O seu pano branco se tornou sujo por causa da sujeira de suas mãos, isto aconteceu pela sujeira de sua mente". 

Se isto é assim, como é que vai fazer? “Cudapanthaka respondeu, “Farei o
meu melhor para limpar a minha sujeira e a sujeira de outros.”
Ele começou a limpar tudo, o jardim, salão principal, instalações sanitárias, sapatos, bolsas,
roupas e etc, enquanto ele recitava “Limpar a sujeira! Sujeira limpa!” 

Outros discípulos notaram isso e foram surpreendidos com os diferentes
comportamentos de Cudapanthaka. Mesmo assim trataram-no como um tolo. Um dia, alguns discípulos tentaram testar Cudapanthaka que ultimamente tinha
conquistado boa reputação e lhe pediram para fazer um discurso para muitas
pessoas. No discurso, ele falou sobre si mesmo com honestidade perante o público-alvo. Disse: “Eu sou verdadeiramente uma pessoa tola. Por isso, não tenho quaisquer bons ensinamentos para pregar para vocês, somente aquilo que eu lembro e tenho praticado sob orientação do Buda. 

Gostaria de compartilhar isso, por favor, escutem, por favor. Logo que ele falou isso, recitou lentamente com uma bela voz e suavemente. “Limpar a sujeira! Sujeira limpa! Limpar a sujeira! Sujeira limpa!”

Os discípulos que haviam tentado testá-lo ficaram muito impressionados com a profunda compaixão na sua voz e se desculparam com ele. Seu breve discurso foi concluído com aplausos.

Cudapanthaka realizou o ensino da limpeza através de toda sua vida e ele ensinou para outros as práticas da limpeza física e mental. Ele dedicou a sua vida para limpar sua mente. Embora ele fosse uma pessoa ignorante que não podia sequer memorizar o seu nome, ele finalmente conseguiu o caminho sublime da mente obediente. Ainda hoje depois de 2500 anos, esta verdadeira história incentiva muito.

Limpeza é mera limpeza, mas vai nos trazer muitos ensinamentos. Meu mestre sempre me deu aulas sobre limpeza, “Limpa o Templo que também irá limpar a sua mente. “Quando você limpa a sujeira do chão, você deve pensar que você limpa a sujeira da sua mente.” "A vassoura varre e limpa em qualquer lugar; pavimentos, escadas, o jardim, mas não pode limpar a vassoura em
si. Uma vassoura precisa de outros para limpá-la. Da mesma forma, nós, seres humanos, não podemos limpar a nossa própria mente por nós mesmos. Nós precisamos de companhia para nos ajudar a limpar as nossas mentes assim como para ajudarmos a limpar a mente de outros”.


O pano de chão limpa o chão e pode absorver um derramado sobre o tapete.
Embora o pano seja limpo, gradualmente vai se tornando sujo e velho, mas o pano nunca se queixa. Isso nos mostra o ideal da fé do Sutra de Lótus, embora uma pessoa apoia e ajuda muitas pessoas a serem felizes, ela não se vangloria, não se orgulha, não é arrogante, e não quer nada em troca, apenas sorri sempre . Este é o caminho do Bodhisattva”
.

No que diz respeito à limpeza da mente, Nichiren Shonin disse “A mente é como um espelho embaçado. No entanto, se você o limpa bem, o espelho pode ser uma joia que reflete a verdade. Tenha fé firme e limpe seu espelho de manhã e à noite, sem negligência". 

Como é que você limpa o espelho? Basta recitar ‘Namu Myoho Renge Kyo’.” Recitando Odaimoku você limpa sua mente. Um espelho embaçado pode ser limpo, mas a mente embaçada nós não conseguimos observar por nós mesmos e também não sabemos como limpá-la. Todos os dias, a mente pode ser ferida e confundida facilmente. Devemos, portanto, limpá-la. (...)

Através da limpeza física e mental, você irá perceber um sentimento leve e alegre. Por favor, se dediquem a limpeza física e mental todos os dias."
Nichiren Shu em Sweep Dirt! Clean Grime!

Um comentário:

Related Posts with Thumbnails