10 de abril de 2013

Onde estão as vacas? - Conto Zen


"Um dia o Buda estava sentado com um grupo de monges na floresta perto de Sravasti. Eles haviam acabado de almoçar e estavam em uma pequena palestra de Dharma
De repente um fazendeiro se aproximou. Estava visivelmente chateado e gritou:
 - "Monges! Monges! Vocês viram minhas vacas?”

O Buda disse: - “Não, não vimos nenhuma vaca.”
- “Sabem monges", o homem disse, “Eu sou a pessoa mais miserável na terra. Por alguma razão minhas 12 vacas fugiram esta manhã. Eu tenho apenas dois acres de plantação de gergelim e este ano os insetos comeram todas as plantas. Penso que vou me suicidar.”fazendeiro estava realmente sofrendo.

Cheio de compaixão o Buda disse:
- “Não senhor, não vimos suas vacas. Talvez você deva procurá-las em outro lugar.”

Quando o fazendeiro se foi, o Buda virou para seus monges, olhou para eles profundamente, sorriu e disse: “Queridos amigos, vocês sabem que são as pessoas mais felizes do mundo. Vocês não têm vacas para perder.“
Portanto amigos, se vocês têm vacas, olhem profundamente para a natureza delas para ver se elas estão trazendo felicidade ou sofrimento. Vocês deveriam aprender a arte de soltar suas vacas. 

A chave é deixar ir e libertar a si mesmo.(...)
Liberdade é a base de nossa felicidade. Não podemos ser felizes se estamos presos. 

Solidez e liberdade são a base autêntica de nossa felicidade. É por isso que praticamos para restabelecer nossa liberdade e criar espaço ao nosso redor. 

Também, quando você ama e é amado, se não há liberdade, seu amor pode ser sufocante. 
Você não pode ser livre com este tipo de amor que tira sua liberdade e não permite que você seja você mesmo. 

Este tipo de amor não é autêntico; é uma vaca. 
Você deve achar coragem de deixar suas vacas irem."
Thich Nhat Hanh em The Path of Emancipation

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails