15 de fevereiro de 2012

Sabedoria de Sidarta - O Buda.


"Aquele que experimentou a verdade, a iluminação, o nirvana é o mais feliz de todos os seres.
Acha-se livre de todos os complexos, obsessões, aflições, medos e tormentos.
Sua saúde mental é perfeita.
Não se arrepende do passado nem se preocupa com o futuro, mas vive completamente no presente.

Portanto, aprecia todas as coisas e desfruta delas no sentido mais puro, sem autoprojeções.
É feliz, desfruta de vida pura, suas faculdades estão satisfeitas, está livre da ansiedade, é sereno e pacífico.

Por estar livre de todos os desejos egoístas, do ódio, do ressentimento, do orgulho, assim como de outras máculas similares, é puro e não tem manchas que aviltam o seu viver, está repleto de amor universal, compaixão, bondade, simpatia, compreensão e tolerância.
Convive com seus semelhantes, com a maior de todas as atitudes – a pureza, pois não pensa só em si.

Não busca nenhuma satisfação, não acumula nada.
Ao contrário, distribui seus bens interiores; os pensamentos que são sempre divinos são repartidos igualmente com todos os seus semelhantes.
Está livre da ilusão de um “eu”, da sede que tudo gera e do vir-a-ser.
Seu viver é uma constante integral.
Completa união com a vida, com o que vive: seja do reino animal, vegetal ou mineral.

Há uma consonância, uma correspondência entre o que fala e o que vive.
Seus exemplos espelham um viver são e feliz que enriquecem interiormente aqueles que com ele aprendem.

Sua bandeira é a verdade e com ela ilumina o mundo e as pessoas sentem-se felizes com sua proximidade.

Seu ensinamento é o verdadeiro caminho que, ao trilhado, torna os homens mais próximos da integridade de tudo."
A Sabedoria de Sidarta - O Buda. por Antonio C. A Rocha.

Um comentário:

  1. Gostaria de receber o blog Ventos da Paz. O meu e-mail é agradecido. Vasco

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails