8 de fevereiro de 2012

Os Upanishads...



"AUM. Aquilo é o Todo. Isto é o Todo. A Totalidade surge da Totalidade. Totalidade provém da Totalidade. Apenas a Totalidade permanece. -Manduka Upanishad.

Esta é uma das mais significativas afirmações jamais feitas em qualquer lugar da terra em todas as eras. Ela contém todo a abordagem mística para a vida. Este pequeno Sutra contém a essência da visão dos Upanishads. Nem antes nem depois esta visão foi transcendida; ela ainda permanece o Everest da consciência humana. E parece que não existe possibilidade de se ir além dela.

A visão dos Upanishads é que o Universo é a Totalidade, Indivisível. É o Todo orgânico. As partes não são separadas, nós estamos existindo todos juntos, em união: as árvores, montanhas, as pessoas, pássaros, as estrelas por mais que apareçam distantes uns dos outros - não seja enganado pelas aparências - estão intimamente ligados, todos ligados. Mesmo a menos folha de capim está conectada com a mais distante estrela e tem a mesma importância do mais brilhante dos sóis.

Nada é insignificante, nada é menos que nada. A parte representa o Todo assim como a semente contém toda a árvore. A semente contém o passado - porque todas as árvores estão nela em potencial. E é claro a semente contém o presente também. A semente parece ser tão pequena, mas não é tão pequena quanto parece. (...)
Os Upanishads dizem: a parte torna-se o Todo; o Todo torna-se parte. A vida não tem hierarquia pela visão dos Upanishads. Nada é menor, nada é maior, nada é mundano e nada é sagrado - Tudo É Um.

Esta visão veio através de alguns místicos, mas ainda não se tornou parte da consciência humana. Por isso ainda existe tanta miséria no mundo, guerras e insensibilidade. Pessoas ainda não estão florindo; seu esplendor mais alto ainda não está livre. Pessoas ainda estão vivendo vidas aprisionadas, acorrentadas. Elas contém em si o infinito mas ainda não despertaram para isso.(...)

Os Upanishads são realistas e pragmáticos. É a comunhão do coração com o coração. Este é o significado dos Upanishads - sentar perto do Mestre, apenas sentar ao lado do Mestre e alguma coisa transpira, uma chama salta do coração do Mestre para o coração do discípulo.

O Mestre precisa estar em casa isto é, já ter experimentado a Verdade. O discípulo ainda busca, mas o discípulo precisa estar silencioso, profundamente silencioso. Não é uma questão de perguntar, porque a derradeira pergunta não pode ser feita e nem pode ser respondida. Ela é apenas transmitida - sem perguntas nem respostas. Esta transmissão além das palavras é o significado da palavra Upanishads. (...) Vamos ao Sutra.

Aquilo é o Todo. Isto é o Todo.

Aquilo significa o além, o invisível. Isto significa aquilo que está aqui, o visível. Aquilo significa o oculto. Isto significa o manifesto. Aquilo significa o infinito. Isto significa o finito. AQUILO é o TODO claro; mas os Upanishads insistem: ISTO também é o TODO.

O mercado e o monatério ambos são parte do Todo. Estar com seu marido, esposa, filhos, amigos é o sagrado, tão sagrado quanto ir aos Himalaias e viver numa caverna em absoluto isolamento. Ambos pertencem a mesma existência. (...)
NÃO há diferenças! Isto é Tudo.
Existe UMA única realidade.
O externo e o interno não são dois, mas apenas dois aspectos do MESMO fenômeno.
Matéria e espírito não são antagonistas, nem estão em oposição um com o outro, porque em cada um de vocês esse encontro está acontecendo. Neste exato momento seu corpo e sua alma não são dois, eles são um. Seu corpo afeta sua consciência que afeta seu corpo. Seu corpo é apenas a parte externa e sua consciência a parte interna. Apenas duas dimensões da mesma expressão, do mesmo espectro.
Você já está VIVENDO a unidade do ISTO e AQUILO."
Osho em Philosophia Ultima

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails