11 de junho de 2010

Ilusão do ego...


"Mula Nasrudin estava caminhando, olhando pra si mesmo, para o seu botão, para o seu umbigo, para o seu ego e ele passou perto de um poço.
Quando ele olhou lá pra dentro, ele viu a lua dentro do poço e disse: "Meu Deus! Preciso Salvá-la."
Aí, ele pegou uma corda, jogou lá pra baixo e disse assim: "Segura firme que eu vou te salvar". Ele jogou a corda e ela trancou num negócio e ele ficou puxando.
"Que pesada a lua"! Ele pôs toda a força do mundo.
Daí, de repente, a corda escapou e ele caiu de costas no chão e viu a lua lá em cima, no céu. E ele disse: "Pôxa! Imagina se eu não estivesse passando.
Imagina! Tu não estarias salva"..."

Essa é a ilusão do ego.
Não tinha lua nenhuma lá dentro.
É pura ilusão. Acorde! Não precisa salvar nada.
A lua está salva. Você está salvo.
Você já está muito bem onde você se encontra, mas você está procurando no lugar errado.
E você procura no lugar errado porque existe uma idéia de que você esteja em algum lugar ou que algo deve acontecer.
Que algo é esse? Você tem de averiguar na sua mente: que algo é esse.
Veja se esse algo que você mantém como o que tem de acontecer ou esse lugar onde se tem de chegar não é um objeto sagrado pra você. "Não, isso aqui é dogma.
Eu não posso tocar nisso. Isso aqui, sorry, mas nisso eu não vou tocar.

Você está apegado a uma idéia e, enquanto você estiver apegado a qualquer idéia, você não pode ficar aqui, porque aqui não cabe nenhuma idéia.
As idéias só existem no passado e no futuro.
No presente não existe idéia.
Existe apenas a inexistência da idéia.
Existe apenas Consciência.
Idéia não é. A idéia depende da sua mente.
Consciência não depende da sua mente.
O seu ego depende da construção estrutural da sua mente.

A sua Consciência, quem verdadeiramente você é, seu Ser, não depende de construção nenhuma; mora fora do tempo.
Sua Consciência está aqui-agora, caso você faça vista-grossa, ou não.
Você faz vista-grossa quando você descreve a si mesmo não como Consciência, mas como história.
Você tem de ir para o passado para falar de você mas você não existe no passado, quem você verdadeiramente É, É Aqui.

Existe também um engôdo, um engano: "Quando eu iluminar"... É uma idéia de que algo vai acontecer no futuro e que vai haver um acontecimento e a partir desse acontecimento, eu estarei iluminado e não mais precisarei me iluminar.
Mas iluminar é verbo, é sempre no presente.
Não existe um acontecimento senão será mais um no conteúdo da sua mente. "Quando eu Iluminei, anteontem"... Ué!
Mas se você Iluminou anteontem, você não está Iluminado agora.

Iluminar é estar totalmente no presente para todo o sempre."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails