7 de junho de 2010

Amor verdadeiro...


"O amor que vem da mente é sempre amoródio. Não são duas palavras é uma só: "amoródio" - nem mesmo o hífen as divide. E um amor que vem do seu coração está além de todas as dualidades.

Todos estão em busca daquele amor que vai além do amor e do ódio - mas estão buscando com a mente e por isso são infelizes. Todos os amantes sentem o fracasso, decepção, traição, mas ninguém tem culpa. A realidade é que está sendo utilizado o instrumento errado.
É como se alguém estivesse usando os olhos para ouvir música e então ficasse enfurecido porque não existe música. Mas os olhos não foram feitos para ouvir, foram feitos para ver.
A mente é um mecanismo muito sistemático e calculista; nada tem a ver com o amor. O amor será um caos, perturbará tudo nela;
O coração nada tem a ver com negócios - ele está sempre de férias.

Ele pode amar, e pode amar, e pode amar sem nunca transformar seu amor em ódio; ele não tem o veneno do ódio (...)
Continuamente nos tem sido ensinado que o amor é um relacionamento, de modo que nos acostumamos com essa idéia. Mas isso não é verdade.
Esse é o tipo mais inferior - muito poluído.
O amor é um estado de ser.

Cada vez que percebemos algo da verdade, há uma dança no coração.
O coração é o único testemunho da verdade.
E ele não pode testemunhar através de palavras.
O coração pode testemunhar a sua própria maneira: através do amor, através da dança, através da música - não verbalmente.
Ele fala, mas não fala com a linguagem e a lógica."
Osho em Pepitas de Ouro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails