1 de fevereiro de 2015

Também isso passará - Eckhart Tolle


"Ao tomarmos consciência da transitoriedade de todas as formas, o nosso apego a elas diminui e deixamos em certa medida de nos identificar com elas. (...)

O reconhecimento de que "Também isto irá passar" traz consigo o desapego e, com o desapego, outra dimensão entra na nossa vida - o espaço interior. Através do desapego, bem como do não-julgamento e da não-resistência, ganhamos acesso a essa dimensão.

Quando deixamos de nos identificar totalmente com as formas, a consciência -
quem somos - é libertada do seu aprisionamento à forma. Esta libertação é
o despontar do espaço interior. Chega como uma espécie de quietude, uma paz sutil que se apodera do fundo de nós mesmos, inclusive perante algo aparentemente negativo. "Também isto irá passar." De repente, cria-se um espaço à volta do acontecimento. Há igualmente um espaço em redor dos altos e baixos emocionais, e até mesmo à volta da dor. E, acima de tudo, existe um espaço entre os nossos pensamentos. E desse espaço emana uma paz que não é "deste mundo", pois este mundo é a forma e a paz é o espaço.

Agora podemos apreciar e honrar as coisas deste mundo sem lhes dar uma
importância e um significado que elas não têm. Podemos participar na dança da
criação e ser ativos sem apegos aos resultados e sem fazer exigências despropositadas ao mundo: faz-me sentir realizado, faz-me ser feliz, faz-me sentir seguro, diz-me quem sou. 

O mundo não nos pode dar estas coisas e, quando deixamos de ter estas expectativas, todo o sofrimento criado por nós próprios chega ao fim. (...)

As palavras "Também isto irá passar" são indicadores da realidade. Ao apontarem para a impermanência de todas as formas implicitamente também estão a apontar para o eterno. Apenas o que há de eterno em nós pode reconhecer a impermanência como impermanência."
Eckhart Tolle em Um mundo novo

Colaboração de Lucia Antunes

***
O que significa identificação? Identificação é uma assimilação, trata-de se tomar algo ou algum aspecto como referência, e a partir desse aspecto deduzir, ou construir todo uma estrutura mental. Em outras palavras, identificar é tomar aquilo que é mutável, transitório, improvável por definitivo, absoluto.

Fazemos isso o tempo todo, quando por inconsciência tomamos a forma como algo real. A forma seja ela qual for, é sempre transitória, está sempre mudando, nunca se mantém igual. Essa é a impermanência. Tudo aquilo que acreditamos existir de fato, está sempre em processo de mudança; mudança constante... em constante fluxo...

Os antigos usavam a imagem dos castelos de areia para esclarecer este conceito. Os castelos de areia são apenas minúsculos grãos de areia que são unidos numa determinada forma, a qual chamamos de castelo. Mas basta uma onda passar e vemos que aquilo que chamávamos de castelo, nunca deixou de ser areia que se uniu por um breve período de tempo, numa "forma" a qual chamamos de castelo.

É isso que Eckhart Tolle nos aponta neste belo texto... tudo está em constante mudança. As mudanças podem ser bastante visíveis, ou podem ser sutis, quase que imperceptíveis... mas elas estão acontecendo aqui e agora...
Tudo passa. Tudo mesmo..

Impermanência é isso, nada permanece, tudo está em fluxo de mudança contínuo. E é exatamente por isso que não devemos nos identificar com nada, não devemos tomar nada como definitivo, pois tudo existe e não existe ao mesmo tempo. Mesmo nosso corpo, emoções, pensamentos...tudo está em constante ir e vir...mudança constante...

As palavras "Também isso passará" são mesmo indicadores da realidade, como diz Eckhart Tolle. Porém é necessário que exista "algo" que não é uma coisa, é mais uma dimensão, que permaneça para observar tudo passando... esta é a realidade última..e "Isso" somos nós de verdade...
Amor
Amidha Prem

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails