1 de dezembro de 2013

Por que não sinto nada na meditação?




Uma questão que sempre aparece nos emails que recebo é sobre as "experiências", "visões", "percepções" que muitas pessoas "não conseguem ter" na meditação. Sinto que existe um grande equívoco aqui, e que muitas vezes faz com que se desista de meditar, por se acreditar que "não se dá para isso"...

Ou então, como já vi também, é o uso de determinadas meditações para se "conseguir alguma coisa", seja um relacionamento novo, seja um emprego melhor, ou conseguir fama e riqueza...


Essas questões podem parecer menos importantes para a maioria de vocês, mas saibam que elas ainda existem, e ainda confundem muita gente por aí.

Temos a ilusão de que meditar é pedir; meditar é trocar; meditar é criar uma relação de toma lá dá cá com Deus, com o Divino... claro que isso é pura imaginação de nossas mentes...


A meditação é simplesmente o derretimento de TODAS essas vontades, todos esses desejos, todos os sonhos, e imaginações...
Derretimento...
Sempre que estamos querendo algo, significa que aquilo que possuímos ainda não está nos satisfazendo, nos sentimos incompletos.. isso abre a "brecha" do desejo, e com ele uma série de "coisas" são então valorizadas, como se elas sim, tivessem o poder de nos preencher, o poder de nos tornar completos, felizes e realizados...

Essa crença que existe na grande maioria das pessoas, é claro, foi também construída ao longo de suas vidas, e mais, foi alimentada por toda uma sociedade ávida em vender / consumir... ( cria-se a falta, para se vender a satisfação - esse é o lema...)

Nossos desejos tem em si uma projeção da visão de nós mesmos, da vida, daquilo em que nos identificamos.

Quanto mais vamos abrindo os olhos para essas manipulações a que estamos sujeitos, quanto mais vamos olhando com bons olhos a vida que levamos, aquilo que realmente somos, aquilo que já nos está disponível, pequenos gestos, pequenos momentos, se tornam verdadeiras preciosidades...

Uma simples mudança de olhar, faz com que possamos mergulhar na mais profunda felicidade, e de maneira simples, gratuita, sem alardes; realizarmos que independente de qualquer coisa, de qualquer pessoa, permanecemos sendo pura presença, permanecemos sendo observadores conscientes da existência... e nada pode mudar isso...

A meditação não é uma técnica para conseguir coisas.. mas um mergulho em si mesmo para ir além dos desejos.. e quando digo desejos, digo TODOS os desejos...
É uma ampliação da consciência, que nos faz finalmente compreender e vivenciar no âmago do nosso ser que não precisamos de nada, já somos aquilo que procurávamos, já somos completos e realizados aqui mesmo e agora...

Muitas escolas criaram caminhos iniciáticos, com a intenção de ir pouco a pouco familiarizando o buscador com valores reais, retomando a sua pureza original, a fim de que a essência pudesse brilhar sem os confusos obstáculos mentais.

Nesses caminhos, muita coisa foi dita, e muitas regras e condicionantes foram impostas, para o buscador finalmente encontrar-se consigo mesmo. 
Mas verdadeiramente, não existem caminhos, e nenhuma técnica é melhor ou mais importante que a outra.

O mais importante é o momento presente, e com ele a plena atenção, a plena consciência. Tudo o mais é secundário....

Se mantivermos centrados no aqui e agora, abertos, disponíveis a aquilo que é, compreendendo que os pensamentos vem e vão, as emoções vem e vão, e que nós enquanto consciência permanecemos os puros observadores de todo esse cenário... relaxaremos e estaremos em casa...

Usar a meditação para se conseguir "coisas", é perder totalmente a base mesma do que seja meditação...

Mergulhar em si mesmo é primeiramente se perder (do ego cheio de desejos e medos) - e também se encontrar - ( com o Ser, a essência Una e luminosa que se manifesta em tudo e em todos) .

Trata-se de um não-movimento! 

A dissolução gradativa daquilo que não é - o ego ilusório - que se acredita auto-suficiente, separado, e autônomo - e a revelação da Consciência plena, que sempre esteve presente, mas que por ser silenciosa e pacífica, acabou por ser confundida com os processos mentais.

Digo sinceramente a vocês, não se preocupem! 

Não se preocupem em ver nada, sentir nada, luzes, experiências, não se preocupem com nada disso... apenas sente-se e relaxe...observe-se... observe seu corpo, sua respiração, observe suas emoções, seus pensamentos, observe os sons externos, tudo que se passa, deixe passar...observar é a proposta...

Deixe o momento ser o que quiser ser... você já faz parte dele, você é ele, não tem como não ser... 
Tudo o que você percebe é você! 
Expanda essa percepção cada vez mais, expanda essa consciência até o infinito... e deleite-se em ser simplesmente... você mesmo...
Nessa plenitude de pura felicidade e paz, falta não há...
Amor
Amidha Prem

4 comentários:

  1. Muito bom este texto que você escreveu, muito claro e didático. Bjs. Namastê.

    ResponderExcluir
  2. Querida Lilian

    Claríssimo, muito esclarecedor, responde a dúvida de muitos.
    Muito obrigado.
    Abs :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão querido!! Grande abraço! Namastê!

      Excluir

Related Posts with Thumbnails